Convergência Digital - Home
Network Eventos
Veja mais informações do Fórum TIC Brasil

Setor defende a contratação de um CTO para o Governo

Convergência Digital - Cobertura Especial Fórum TIC Brasil
Luís Osvaldo Grossmann e Luiz Queiroz - 22/03/2013

Empresas e mesmo representantes do governo entendem que iniciativas esparsas dificultam o avanço de projetos, notadamente no arranjo de um ambiente propício ao desenvolvimento da computação em nuvem no país. Até por isso, uma proposta recorrente é centralizar esse tipo de projeto de tecnologia da informação, o que poderia se materializar na figura de um “diretor técnico” da administração federal. 

“Não tenho dúvida de que o Brasil precisa de um CTO”, defende o diretor de infraestrutura da Brasscom, Nelson Wortsman, utilizando o jargão inglês para “chief technology officer” – o que em empresas brasileiras é mais conhecido como aquele diretor técnico. 

Segundo ele, “nossos ministérios são divididos politicamente e é muito difícil fazer um projeto interministerial. São partidos diferentes, objetivos diferentes. Um CTO poderia fazer funcionar”. O tema voltou à mesa durante o Fórum TIC Brasil, realizado em Brasília nesta semana.  

Para presidente da Unisys no Brasil, Agostinho Pereira da Rocha, o setor privado teria muito mais clareza da direção pretendida com esse modelo centralizado. “Seria extremamente benéfico ter uma diretiva padronizada para todo o país, com a redução dos esforços individuais.”

Além disso, acredita, o modelo também favoreceria o desenvolvimento do setor privado, inclusive na prestação de serviços ao governo. “Estaríamos interagindo com essa organização única através de acordos de serviço, o que seria o ambiente ideal para que empresas pudessem prestar serviços ao governo e ser remuneradas pela qualidade, talvez tendo uma grande ‘cloud’ com quatro ou cinco provedores [privados]”. 

O diretor do Datasus, Augusto Gadelha, é outro que defende essa centralização – mas que deveria ser muito mais ampla que um projeto específico de computação em nuvem. Por outro lado, entende que tampouco pode ser perdida uma razoável dose de flexibilidade das diferentes instâncias. 

“As ilhas no governo precisam desaparecer e um CTO para o país seria interessante, não necessariamente para nuvem, mas para racionalização do uso da informática”, avalia Gadelha. 

“Mais do que isso”, continua, “precisamos de instituições maduras que tenham um nível de governança que dê sustentação não só política mas de poder para um CTO desses. E ao mesmo tempo ele teria que ter limites para não se tornar um czar da informática”. 

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

23/03/2018
A profissão de hoje em TI é a do desenvolvimento de algoritmos

21/03/2018
Pagar imposto tem de ser menos complicado no Brasil

21/03/2018
Brasil criou estereótipos sobre quem é o profissional da computação

20/03/2018
Setor de TIC precisa mostrar aos jovens que não é 'um bicho-papão'

19/03/2018
Economia digital: Governo tem de impedir a digitalização da burocracia

15/03/2018
Dataprev diz que seu maior ativo são os mais de 26 bilhões de dados civis

15/03/2018
MP com ajustes na reforma trabalhista deve caducar sem votação

06/03/2018
Serviços digitais impõem transparência na relação do governo com o cidadão

05/03/2018
Brasil precisa correr para capacitar os 800 mil funcionários de call center

27/02/2018
Computação em nuvem exige uma mudança imediata na lei de compras governamentais

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Convergência Digital e a Network Eventos disponibilizam a 1ª edição da revista eletrônica do Fórum TIC Brasil.

Clique e boa leitura!
Destaques
Destaques

USP contabiliza os ganhos do uso da computação na nuvem

Instituição é a primeira a utilizar de forma intensiva as aplicações baseadas em cloud, contratada junto à Citrix. Para o gerente de infraestrutura de TI da USP, Cyrano Rizzo, que participou do Forum TIC Brasil 2013, um dos pontos-chaves para a adoção de cloud é definir a orquestração.

TV digital: indústria brasileira está 'perdendo o bonde'

Para André Barbosa, um dos responsáveis pela implantação do SBTVD, o padrão nipo-brasileiro de TV Digital e superintendente de Comunicação da EBC, a indústria já perdeu vez para fornecer equipamentos para os países latino-americanos. Mas agora tem a chance de virar o jogo com o uso do padrão na África.

Para a AMD, smartphone conduz o acesso à nuvem

Para o vice presidente corporativo da  AMD, Andrew Feldman, o acesso à nuvem já chegou às mãos de um bilhão de pessoas. “Um processador de 9 dólares no telefone dá acesso ao mundo”, avaliou ele ao participar do Fórum TIC Brasil. 

Olivetti retorna ao Brasil com fabricação de tablets e modems 3G/4G

Empresa italiana retoma seus planos de produção fabril apostando na mobilidade. Os tablets para varejo, manufaturados na Microboard, em Minas Gerais, chegam ao mercado em maio. Os dispositivos corporativos serão lançados no segundo semestre.

Brasil vai ganhar R$ 90 bilhões se virar hub da nuvem na AL

Estimativa é da Brasscom, que destaca o peso do país (58%) no mercado latino-americano de datacenters, mas lamenta a ausência de políticas unificadas e de longo prazo para atrair investimentos no setor. Para entidade, deveriam ser criadas ‘zonas francas’ que favoreçam a instalação dos centros de dados. 

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site