INTERNET

Redes sociais: Criador do Twitter rejeita comparação com o Facebook

Da redação ... 11/04/2013 ... Convergência Digital

O crescimento acelerado do Facebook -- a rede social tem mais de 1 bilhão de usuários no mundo -- ainda não preocupa o Twitter, com cerca de 500 milhões de perfis. A declaração é de Jack Dorsey, fundador do Twitter, que afirmou não haver concorrência entre os serviços, por serem "completamente diferentes". O executivo participou de uma palestra nesta quinta-feira, 11/04, para alunos da Fundação Getúlio Vargas, realizada em São Paulo. "Acessar o Twitter é como checar a previsão do tempo, lá você vê notícias rápidas sobre pessoas com as quais você se importa, sejam parentes ou pessoas públicas. Já o Facebook é uma rede social de fato e é ótimo para quem quer manter contato com os amigos", disse Dorsey.

O fundador do Twitter informou, sem dar muitos detalhes, que a razão de sua visita ao Brasil são os próximos eventos esportivos que serão realizados no país: Copa do Mundo em 2014 e Jogos Olímpicos em 2016. Durante essas efemérides, a rede social costuma atingir picos de audiência. Nas Olimpíadas de Londres em 2012, por exemplo, foram gerados mais de 150 milhões de mensagens durante os 16 dias de jogos.

Recentemente, alguns relatórios indicaram que, apesar do grande número de usuários da rede (aproximadamente 200 milhões), há uma grande quantidade de usuários fantasmas, que não interagem na rede social. Segundo pesquisadores, o mercado de perfis falsos movimenta de US$ 40 milhões a US$ 360 milhões. Quanto a isso, o executivo informou que o Twitter trabalha no combate de contas que infringem as regras da rede e que o serviço não é apenas para os ávidos publicadores de mensagens.

"Nosso trabalho é tornar o Twitter fácil tanto para quem gosta de postar mensagens como para quem gosta de saber o que está acontecendo. Talvez, entre esses usuários pouco ativos, há várias pessoas que só estão focadas em ver mensagens daqueles com quem se importam", disse. Ao ser questionado sobre os aspectos relativos à fundação da rede social, Dorsey explicou a razão pela qual o Twitter disponibiliza apenas 140 caracteres. Segundo ele, quanto menor o espaço que o usuário tiver, mais criativo ele vai ser. O mesmo conceito, diz, foi usado na concepção do Vine, aplicativo ligado ao Twitter que permite fazer vídeos em até 6 segundos.

Além disso, a limitação está ligada em tornar o serviço mais internacional, pois o tamanho tem relação direta com o número de caracteres de uma mensagem de texto em um celular. "Nossa intenção foi criar uma ferramenta que qualquer pessoa do mundo poderia ter acesso." Jack Dorsey fundou o Twitter em 2006 juntamente com Evan Williams e Biz Stone nos Estados Unidos. A ideia inicial dos fundadores era que o Twitter fosse uma espécie de "SMS da internet" com a limitação de caracteres de uma mensagem de celular. Inicialmente chamada Twttr (sem vogais), o nome da rede social, em inglês, significa gorjear. A ideia é que o usuário da rede social está "piando" pela internet.

Fonte: UOL Tecnologia


Perícia digital: Disputa judicial exige mais prazo de armazenamento de dados

"Conflitos judiciais levam mais tempo que o exigido das empresas para armazenamento das informações. Com dados, não há anonimato na Internet", observa João Alberto Matos, do Pio Tamassia Advocacia. Fake News e perfis falsos nas redes sociais mobilizam a maior parte das perícias digitais.

MPF investiga Facebook por prestar informação falsa e descumprir ordem judicial

Para o Ministério Público, “a atitude mostra desrespeito aos Poderes da República Federativa do Brasil". Facebook tem 30 dias para dar esclarecimentos.

Brasileiro precisa entender que os dados valem muito dinheiro

Professor Luca Belli, da FGV/RJ, diz que o Brasil tem 210 milhões de produtores de dados e pode ter uma vantagem competitiva em Inteligência Artificial. "Mas a hora é de abrir a caixa preta e entender os critérios usados na tomada de decisão", observa. Sobre a LGPD, o especialista é taxativo: sem Autoridade de Dados, a legislação não 'pega'.

Autoridade de Dados tem de ser independente, técnica e sem controle do Estado

"Não haverá Lei de Proteção de Dados sem a Autoridade, mas não podemos ter essa entidade ligada à Casa Civil, ao Ministério da Justiça ou ao CGI. Ela vai fiscalizar a iniciativa privada e o poder público. Precisa ter independência", adverte Carlos Affonso de Souza, do ITS/Rio de Janeiro.

Brasil soma quase sete mil provedores de Internet

Pesquisa TIC Provedores 2017, feita pelo CGI.br, mostra ainda que os ISPs são os fomentadores da fibra óptica no País. Maior parte dos provedores é pequeno e oferecem até 1000 acessos. Os grandes provedores respondem por 2%, mas atendem a 80% do mercado.

Revista Abranet 26 . nov-dez 2018 / jan 2019
Veja a Revista Abranet nº 26 Estudo da Abranet revela a existência de um universo díspar entre os prestadores, o que impõe desafios à regulamentação mínima necessária para manter o mercado estruturado e o limite aceitável para a sobrevivência das empresas.
Clique aqui para ver outras edições

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet - Abranet

Empresas da Internet pedem mais segurança jurídica

“O Marco Civil da Internet trouxe base sólida para criar parâmetros para se ter lei mínima para a Internet seguir avançando, mas, infelizmente, vemos varias iniciativas tentando modifica-lo", afirmou o presidente da Abranet, Eduardo Parajo.

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet

  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G