TELECOM

Sky não consegue liminar e tem que incluir canais abertos na programação

Luís Osvaldo Grossmann ... 20/06/2013 ... Convergência Digital

A Justiça Federal não aceitou o pedido liminar da Sky e a operadora tem, novamente, 10 dias para incluir oito canais ‘abertos’ em sua programação – além dos seis que já carrega. A empresa, no entanto, deve recorrer da decisão da 3a  Vara Federal de Brasília. 

Na ação, a Sky tenta evitar a inclusão de diversos canais ‘abertos’ – além de cinco dos obrigatórios: TV Escola, comunitário, da cidadania, universitário e legislativo municipal/estadual. Obrigada pela Anatel a incluir todos os ‘abertos’, queria já suspender essa determinação mesmo antes do julgamento do mérito. 

O Juiz Tales Krauss Queiroz, no entanto, abraçou o argumento da Anatel de que o must carry – literalmente, ‘deve carregar’ – “é o ponto de partida de qualquer pacote a ser ofertado”. Fica valendo, assim, ao menos até o fim do julgamento, aquilo que a agência já determinara à operadora. 

O carregamento obrigatório de canais não atingia operadoras de TV paga via satélite, como a Sky, até o advento da Lei 12.485/11, a Lei do Serviço de Acesso Condicionado, ou Seac. O sentido da exceção era técnico – transmissões via satélite têm capacidade limitada. 

A Sky, por exemplo, tem capacidade para 172 canais, mas existem 514 geradoras locais de radiodifusão. Daí, ao regulamentar a lei, a Anatel criou a figura das “redes nacionais” – geradoras com presença nas cinco regiões, alcance a pelo menos um terço da população e programação, em sua maior parte, centralizada. 

Desse entendimento resultam 14 ‘redes nacionais’. A Sky só carrega sete delas, mas a regra da Anatel diz que, se levar um, tem que levar os 14. Para incluir a Globo no line up, as operadoras têm que acomodar, por exemplo, a RIT TV, do televangelista R. R. Soares e a Rede Brasil, do ex-deputado Celso Russomano.


Internet Móvel 3G 4G
Indústria móvel pressiona por faixas de 26GHz, 40 GHz e 66-71 GHz para o 5G

Estudo da GSMA sustenta que a oferta de serviços 5G nessas faixas podem adicionar US$ 565 bilhões ao PIB mundial. Faixas desejadas são as em ondas milimétricas. Decisão da UIT só será conhecida em 2019.

Painel Telebrasil 2019
A 63ª edição do principal encontro institucional de lideranças do setor de telecomunicações e TICs acontecerá entre os dias 21 e 23 de maio de 2019, em Brasília. Saiba mais em paineltelebrasil.org.br
Veja o vídeo

Bens reversíveis: Posição da Anatel contraria a Lei

Ao impedir a venda de todo e qualquer bem pelas operadoras, a agência gera insegurança ao investido, advertiu o advogado Fabiano Robalinho, do escritório Sérgio Bermudes Advogados.

Guerra fria na Telecom Italia, dona da TIM, ganha novo capítulo 'sangrento'

A francesa Vivendi reclama de quebra dos princípios de governança corporativa da operadora italiana com a não convocação de uma assembleia de acionistas.

Bens reversíveis: Anatel não está apegada a 'rótulos patrimoniais ou funcionais'

Para Ronaldo Neves, assessor da presidência da Anatel, 2018 está sendo um ano interessante para a posição da agência com relação ao tema, classificado como instigante. Segundo ele, a reversibilidade está associada apenas ao bem direcionado para a prestação do serviço concedido.

Metodologia da Anatel obriga teles irem à Justiça contra valores de multas

"Cabe à agência fazer uma reflexão de como está cobrando. As infrações cometidas no 2º semestre têm valor de multa maior do que as mesmas infrações cometidas no 1º semestre", explica o advogado Rodrigo Greco, da Rodrigo Greco Associados.



Painel Telebrasil 2017 - Cobertura Especial ConvergênciaDigital


Clique aqui e acompanhe a cobertura completa do Painel Telebrasil 2017

  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G