Home - Convergência Digital

No Brasil, smartphone está à frente de dinheiro para jovens

Convergência Digital - Carreira
Da redação - 20/06/2013

Uma pesquisa global divulgada pela Symantec revela como os aparelhos móveis desempenham um papel central na forma como as pessoas aproveitam shows, eventos e festivais, realizada em 11 países, entre eles o Brasil. Nos últimos dois anos, 76% dos brasileiros disse que foi a um grande evento de música, 84% frequentou jogos esportivos de alto nível e 87% estava em um festival.

O levantamento apontou ainda que:

·77% dos entrevistados dissram que é importante levar seus smartphones para shows, eventos e festivais. De fato, 92% tinha maior chance de levar o smartphone do que qualquer outro item, incluindo dinheiro, documento de identidade e cartões de crédito e débito.

·O fã moderno de hoje é móvel; quase um em cada cinco usou o smartphone para apresentar seu ingresso na entrada, e um em cada dez usou o smartphone para comprar itens já dentro dos eventos.

·A maioria (78%) registrou o momento em fotos e vídeos, e 50% publicou fotos em redes sociais. As mulheres publicaram mais fotos do evento, atualizações de status e check-in online em redes sociais do que homens.

·No Brasil, para 88% dos brasileiros, o item pessoal mais levado aos grandes eventos são os smartphones, seguido pelo dinheiro em espécie (85%) e documento de identidade (90%).

·87% dos brasileiros tiram fotos e gravam vídeos quando está nestes eventos e 71% postam este conteúdo em mídias sociais, como o Instagram, Twitter, Facebook e FourSquare.

Segurança em risco

O grande problema é que o estudo aponta que o comportamento digital não é o ideal. Isso porque  quase um terço (31%) dos fãs modernos admitiu que não protege seus smartphones com senhas, e 35% não tomaram precaução nenhuma para se proteger contra perda ou roubo. Além disso, 35% dos fãs modernos no mundo todo sofreram roubo ou perda de smartphone.

O estudo mostra ainda que o transporte público é um dos principais pontos para smartphones perdidos, roubados ou esquecidos. No mundo todo, mais smartphones sumiram no transporte público do que em carros pessoais, táxis, ao ar livre, em bares ou em restaurantes e cafés.

No quesito aplicativos, o estudo apura que 66% dos expectadores que baixaram aplicativos de shows, eventos e festivais dizem que melhorou a experiência como um todo. Infelizmente, 25% disseram que o aplicativo enviou spam após o evento e 12% chegaram a se arrepender de baixar o App. No Brasil, 85% disseram que seu smartphone foi útil para o evento e 69% afirmaram que o dispositivo melhorou sua experiência em relação ao evento pessoal.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

16/07/2018
No Brasil, 49% dos usuários já tiveram um smartphone roubado

03/07/2018
Smartphone é a principal ferramenta de compra online no Brasil

06/06/2018
Huawei fecha acordo com Positivo para voltar a vender celulares no Brasil

19/04/2018
Brasil já contabiliza mais de 1 smartphone ativo por habitante

28/03/2018
Disputa de fornecedores impulsiona venda de smartphones no Brasil

05/02/2018
Celular é a nova carteira de identidade dos brasileiros

05/12/2017
Migração total do 2G exige smartphones mais baratos

04/12/2017
Brasileiros dizem adeus aos feature phones

01/11/2017
Um em cada três smartphones terá Inteligência Artificial nativa

31/10/2017
Smartphones responderam por 59% dos acessos à Internet na América Latina

Destaques
Destaques

Brasil ativa 72 novos celulares 4G por minuto em maio

No quinto mês do ano, 3,2 milhões de novos chips 4G entraram em operação, somando um total de 116 milhões de acessos ativos. Ao levar em conta os acessos fixos e móveis, o País soma 237 milhões de acessos ativos.

5G: redes comerciais na América Latina em 12 a 18 meses

Crescimento rápido do 4G abre espaço para investimentos no 5G, afirma a 5G Americas. América Latina pode fechar 2018 com 258 milhões de conexões LTE ativas, incluindo o M2M.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

A IA vai virar a economia de "cabeça para baixo" como um tsunami!

Por: Eduardo Prado *

O impacto só não vai ser mais ser mais rápido nas economias dos países por causa da falta de mão de obra de Inteligência Artificial por conta da carência de especialistas como cientistas de dados.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site