Home - Convergência Digital

Brasileiro reclama da baixa qualidade dos planos de carreira

Convergência Digital - Carreira
Ana Paula Lobo* - 13/09/2013

O Brasileiro é o que pior avalia o plano de carreira oferecido pelas empresas na América latina. Para se ter uma ideia, 32% afirmam que sequer existe um plano de carreira nas empresas e 26% afirmaram que a empresa oferece um plano de baixa qualidade, somando 58% do total de executivos que participaram do estudo.  Os que consideram bom o plano de carreira das empresas somam 38% e apenas 4% acham os planos excelentes, revela estudo realizado com 900 executivos no Brasil, Argentina, Chile, México e Colômbia pela Michael Page.

A explicação para a realidade brasileira, diz o diretor de marketing da Michael Page para a América Latina, Sérgio Sabino, deve-se ao fato de que as empresas nacionais ou subsidiárias de multinacionais no Brasil viveram nos últimos anos uma pressão muito grande para ser a operação mais importante da região da América Latina.

“As companhias quiseram aproveitar o crescimento da economia brasileira que se intensificou bastante entre 2004 e 2011”, ressalta. A necessidade de expansão com rapidez fez com que muitas empresas deixassem a estruturação de planos de carreira em segundo plano. “Essa omissão pode ser percebida agora na insatisfação dos executivos e representa um grande problema para as companhias. Esse estudo oferece uma reflexão importante para os RHs”, acrescenta.

O estudo da Michael Page revela que a realidade é bem diferente entre nossos vizinhos. Para 46% dos colombianos, 40% dos mexicanos, 35% dos argentinos e 34% dos chilenos os planos de carreira oferecidos pelas companhias instaladas nesses países são excelentes. Em média 50% dos profissionais desses países consideram desfrutar de um bom plano de carreira. “Estamos falando de países com realidades macroeconômicas distintas. O que chama atenção, porém, é que mesmo vivendo um momento importante de crescimento, as empresas da Colômbia e do México se mostraram mais preocupadas em oferecer um plano de carreira consistente para seus funcionários”, conclui Sabino.

Para se pensar num plano de carreira adequado, a consultoria dá 5 dicas. Saiba quais são:

1)Pergunte a colegas, amigos e conhecidos e pesquise na mídia qual o posicionamento que a empresa tem em seu trato com os funcionários, em todas as áreas e subdivisões (ex.: comercial, administrativo, suporte, corpo diretor);

2)Na entrevista, pergunte se a empresa valoriza a meritocracia e se tem planos organizados para garantir que todos serão recompensados da melhor forma possível pelos seus resultados;

3)Pergunte se há critérios claros e objetivos sobre o que será esperado de você na sua função e sobre como suas metas serão remuneradas (se atingidas). Lembre que nem todas as empresas oferecem remuneração variável, e a recompensa pode vir de outras formas – promoções, novas atribuições e responsabilidades, reestruração de equipes, etc;

4)Avalie o organograma da empresa, e verifique se as posições são claras e objetivas, e se o seu caminho de crescimento já tem um esboço desde o início. É importante saber quais são os próximos passos que você deve esperar em sua carreira na empresa;

5)Pergunte se a empresa investe em treinamento em todas as áreas da empresa, como suporte oficial ao seu crescimento e desenvolvimento dentro da organização.

 



Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

23/05/2018
Greve na BBTS, ex-Cobra Tecnologia, afeta caixas eletrônicos do Banco do Brasil

14/05/2018
Interação com Robôs é um dos temas para seleção de bolsa de estudo do Google no Brasil

10/05/2018
Empresa de TI abre 60 vagas em 12 cidades

09/05/2018
Empresa abre 300 vagas para profissionais de TI

04/05/2018
Enrolou no currículo? Você cometeu um erro fatal!

03/05/2018
Salário pesa mais que reputação da empresa na escolha de um emprego noBrasil

27/04/2018
Analista de Web Analytics: você é o 'cara' de 2018 na TI nacional

25/04/2018
Checou o celular numa entrevista de emprego? Deu ruim...

24/04/2018
Amazon abre vagas para contratar estagiários no Brasil

24/04/2018
Compartilhar Fake News pode custar o seu emprego

Veja mais artigos
Veja mais artigos

eSocial desafia a rotina dos Recursos Humanos

Por Juliana Andrade*

Chegou a hora de as empresas tirarem proveito da robotização, especialmente, na análise de cadastros para observar se há ou não alguma informaçaõ que destoe da atualidade. O regime fiscal online exige a reparação dos dados.

Destaques
Destaques

Juízes do Trabalho: Reforma trabalhista só vale depois da sua entrada em vigor

Decisão foi tomada por mais de 700 juízes e desembargadores. Para eles, a Lei 13.467/2017 só deve valer para processos e contratos iniciados após 11 de novembro de 2017, quando a legislação entrou em vigor.

Lei Trabalhista: TST decide que demissão só pode ser homologada no sindicato

Tema é controverso, mas o ministro Alexandre Agra Belmonte decidiu em setença que "se o empregado tiver mais de um ano de serviço, o pedido de demissão somente terá validade se assistido pelo seu sindicato".

Os 10 cargos em alta na TI para 2018

Conhecimento técnico não é mais o diferencial. Habilidades no relacionamento e de liderança estão pesando muito na hora da contratação.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site