INTERNET

Acabou o estoque de IPv.4 no Brasil e na América Latina

Luís Osvaldo Grossmann* ... 10/06/2014 ... Convergência Digital

A alocação de endereços IPv4 no Brasil entra a partir desta terça-feira, 10/6, em “terminação gradual”, como definiu o Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR, ou NIC.br. Trata-se do “fim” dos recursos da versão 4 de endereçamento IP e significa o início de racionamento severo.

O anúncio foi feito pelo NIC.br e pelo LACNIC, a entidade que distribui endereços para América Latina e Caribe. “Perto do esgotamento na região, adotou-se um estoque único. Quando o estoque da região termina, o estoque do Brasil também chega ao fim”, explica o diretor-presidente do NIC.br, Demi Getschko.

O efeito prático desse anúncio conjunto é que a partir de agora organizações no Brasil poderão receber, no máximo, 1024 endereços IP (equivalente a um prefixo /22) a cada seis meses, mesmo que justifiquem a necessidade de blocos maiores.

Descreve o NIC.br que “para esse processo de terminação gradual foi reservado o equivalente a dois milhões de endereços IPv4 através de uma política proposta e aprovada pela própria comunidade Internet”. Acabado este estoque, existirão ainda dois milhões de endereços IPv4 que serão distribuídos somente para novos solicitantes, limitados a uma única alocação por solicitante de, no máximo, 1024 endereços.

O “esgotamento” dos endereços não só era esperado como já se deu na Ásia, há três anos, e na Europa, há dois. O estoque de endereços IP é um recurso finito, limitado a quatro bilhões de endereços na versão 4. “A solução para o contínuo crescimento da rede é o uso do protocolo IP na versão 6 (IPv6)”, lembra o NIC.br.

Essa mudança de um sistema de endereços em 32 bits para 128 bits permite uma infinidade (340 ‘undecilhões’) de combinações que, imagina-se, durará para sempre, ou quase – como um dia se imaginou sobre o IPv4. É preciso a adesão maciça das redes e dos equipamentos para a Internet manter a expansão.

“O esgotamento de endereços nessa versão do protocolo faz parte do crescimento da Internet, e no Brasil seu crescimento é notavelmente grande. Nesse momento, a preocupação principal é estimular a adoção do IPv6”, sustenta Demi Getschko.

De acordo com o NIC.br, 68% das organizações no Brasil que fazem parte da Internet como Sistemas Autônomos já se conscientizaram e alocaram blocos IPv6. “É muito importante intensificar o esforço para a adoção do novo protocolo.”

* Com informações do NIC.br


Com alta de 15%, Brasil é o segundo maior alvo de ataques web no mundo

Novo relatório da Akamai aponta, porém, que o país caiu de terceiro para quinto no ranking de origem dos ataques online. 

Black Friday dá gás às vendas, mas fica longe do desempenho de 2016

Segundo levantamento da Ebit, vendas online cresceram 10,3%, contra alta de 17% em 2016. Nas lojas físicas, alta foi de 4,9%, conforme a Serasa, enquanto chegou a 11% no ano passado. 

Em Goiás, homem é condenado à prisão por compartilhar fotos no You Tube e no WhatsApp

Pena, no entanto, foi revertida para a prestaçaõ de serviços à comunidade. Homem divulgou fotos da ex-namorada em listas nas redes sociais por vingança.

'Vingança pornográfica" vai dar cadeia de dois a quatro anos

Avançou na CCJ do Senado o PL 18/2017, que adota punição mais rigorosa para o registro ou divulgação, não autorizada, de cenas de intimidade sexual de uma pessoal. PL seguiu em regime de urgência para o Plenário do Senado.

Consumidores ignoram termos de privacidade de dados no Brasil

E o consentimento tem sido a base legal para o processamento das informações, observou o sócio sênior da Accenture, José Moscati.

Revista Abranet 23 . dez 2017 - jan/fev 2018
Veja a Revista Abranet nº 23 Qual é a fórmula do sucesso? Boas práticas aplicadas por corporações bem-sucedidas sugerem um caminho a seguir. Entrevista com Tadao Takahashi. Discussão sobre a lei de proteção de dados avança. E mais.
Clique aqui para ver outras edições

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet - Abranet

Empresas da Internet pedem mais segurança jurídica

“O Marco Civil da Internet trouxe base sólida para criar parâmetros para se ter lei mínima para a Internet seguir avançando, mas, infelizmente, vemos varias iniciativas tentando modifica-lo", afirmou o presidente da Abranet, Eduardo Parajo.

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet

  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G