GOVERNO

Forças Armadas e CPqD reforçam uso do Rádio definido por Software

Da redação ... 18/08/2014 ... Convergência Digital

O CPqD e o Exército do Brasil assinaram dois contratos no escopo do Projeto Rádio Definido por Software de Defesa (RDS-Defesa), inserido em um programa estratégico do Ministério da Defesa brasileiro.

Coordenado pelo Centro Tecnológico do Exército - organização militar sediada no Rio de Janeiro e integrante do Departamento de Ciência e Tecnologia (DCT) do Exército do Brasil, o RDS-Defesa tem o objetivo de promover a interoperabilidade física nas comunicações táticas das Forças Armadas do Brasil, por meio do desenvolvimento de protótipos de rádio baseados no conceito RDS.

Segundo o General de Exército Sinclair Mayer, chefe do Departamento de Ciência e Tecnologia do Exército, o RDS-Defesa representa um salto de qualidade para as Forças Armadas brasileiras, na medida em que reduzirá a dependência tecnológica em setor estratégico. 

“O programa contribuirá para aumentar a interoperabilidade nas comunicações táticas das Forças Armadas e, também, para dinamizar a Base Industrial de Defesa no setor das telecomunicações”, afirma o General Mayer.

Paulo Cabestré, diretor de Redes Convergentes do CPqD, explica que o RDS permite o uso de diversos padrões de comunicação, aumentando a eficiência e segurança em diferentes faixas de frequência, com o uso de um mesmo equipamento de rádio genérico. Isso acontece porque os componentes do sistema de radiocomunicação, usualmente em forma de hardware, passam a ser implementados por software em computadores comuns (PCs) ou em sistemas embarcados.

Um dos contratos foi firmado com o Centro Tecnológico do Exército (CTEx) e destina-se à pesquisa e ao desenvolvimento de novas funcionalidades a serem incorporadas à primeira fase do projeto RDS-Defesa. O CPqD vem trabalhando em parceria com o CTEx  nessa fase de desenvolvimento, que se concentra na faixa de frequência VHF (30 a 300 MHz). Entre as novas funcionalidades, estão um software planejador de missões, que será usado no gerenciamento e na configuração do rádio, e diversos componentes de aplicação aderentes ao padrão SCA (Software Communications Architecture).

O outro contrato, assinado com a Fundação de Apoio à Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (FAPEB) do Exército Brasileiro, é voltado para a pesquisa e o desenvolvimento de um módulo de forma de onda na faixa de frequência HF (3 a 30 MHz), também no padrão SCA. Com duração prevista de dois anos, o contrato conta com recursos da FINEP – Financiadora de Estudos e Projetos destinados ao Programa Nacional de Rádios Definidos por Software do Ministério da Defesa.


Cobertura Especial do 2º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2017

Telebras desbanca teles e assume rede da Dataprev por R$ 292 milhões

Estatal assume rede que interliga 1,7 mil agências do INSS e data centers no lugar da Embratel, Telefônica, Oi e British Telecom.



Clique aqui e acompanhe a cobertura completa do evento

Call centers alegam que aumento no PIS/Cofins cortaria 5% do faturamento

Segmento adere a grita do setor de serviços contra os estudos anunciados pelo Ministério da Fazenda de correção do tributo para compensar perdas de receitas.

Casa Civil tenta padronizar análises de Impacto Regulatório nas agências

Estão em consulta pública até 1 de novembro propostas de diretrizes gerais além de um guia específico para orientar a elaboração das AIR pela Anatel e os demais órgãos reguladores. 

Serpro/ITI iniciam atualização dos certificados SSL dos sites do Governo

Instituto Nacional de Tecnologia da Informação informa que serão emitidos certificados digitais na cadeia v2 pela ACSerpro para encerrar as menasgens 'esta conexão não é confiável' nos sites do governo federal. Entidade, no entanto, não divulgou um cronograma de atualização.

Dataprev se candidata a ser fornecedora de serviços digitais para Governo

Estatal já tem funcionando o Cidadão BR, com autenticações de 2,5 milhões de pessoas e oferta de serviços como busca de empregos e aplicações do INSS. Neste momento, governo faz uma consulta pública para a compra de plataforma na nuvem para oferta digital ao cidadão.


Acompanhe a Cobertura Especial do WCIT 2016

Fim da gestão do Governo dos EUA abre nova era para a Internet

Desde 1º de outubro, as funções técnicas da internet – nomes, números e protocolos – não envolvem mais um contrato da ICANN com o governo americano. “O Brasil influenciou nessa transição”, diz o secretário-executivo do CGI.br, Hartmut Glaser. 


Acompanhe a Cobertura Especial do WCIT 2016

  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G