GOVERNO

Forças Armadas e CPqD reforçam uso do Rádio definido por Software

Da redação ... 18/08/2014 ... Convergência Digital

O CPqD e o Exército do Brasil assinaram dois contratos no escopo do Projeto Rádio Definido por Software de Defesa (RDS-Defesa), inserido em um programa estratégico do Ministério da Defesa brasileiro.

Coordenado pelo Centro Tecnológico do Exército - organização militar sediada no Rio de Janeiro e integrante do Departamento de Ciência e Tecnologia (DCT) do Exército do Brasil, o RDS-Defesa tem o objetivo de promover a interoperabilidade física nas comunicações táticas das Forças Armadas do Brasil, por meio do desenvolvimento de protótipos de rádio baseados no conceito RDS.

Segundo o General de Exército Sinclair Mayer, chefe do Departamento de Ciência e Tecnologia do Exército, o RDS-Defesa representa um salto de qualidade para as Forças Armadas brasileiras, na medida em que reduzirá a dependência tecnológica em setor estratégico. 

“O programa contribuirá para aumentar a interoperabilidade nas comunicações táticas das Forças Armadas e, também, para dinamizar a Base Industrial de Defesa no setor das telecomunicações”, afirma o General Mayer.

Paulo Cabestré, diretor de Redes Convergentes do CPqD, explica que o RDS permite o uso de diversos padrões de comunicação, aumentando a eficiência e segurança em diferentes faixas de frequência, com o uso de um mesmo equipamento de rádio genérico. Isso acontece porque os componentes do sistema de radiocomunicação, usualmente em forma de hardware, passam a ser implementados por software em computadores comuns (PCs) ou em sistemas embarcados.

Um dos contratos foi firmado com o Centro Tecnológico do Exército (CTEx) e destina-se à pesquisa e ao desenvolvimento de novas funcionalidades a serem incorporadas à primeira fase do projeto RDS-Defesa. O CPqD vem trabalhando em parceria com o CTEx  nessa fase de desenvolvimento, que se concentra na faixa de frequência VHF (30 a 300 MHz). Entre as novas funcionalidades, estão um software planejador de missões, que será usado no gerenciamento e na configuração do rádio, e diversos componentes de aplicação aderentes ao padrão SCA (Software Communications Architecture).

O outro contrato, assinado com a Fundação de Apoio à Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (FAPEB) do Exército Brasileiro, é voltado para a pesquisa e o desenvolvimento de um módulo de forma de onda na faixa de frequência HF (3 a 30 MHz), também no padrão SCA. Com duração prevista de dois anos, o contrato conta com recursos da FINEP – Financiadora de Estudos e Projetos destinados ao Programa Nacional de Rádios Definidos por Software do Ministério da Defesa.


Cobertura Especial do 2º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2017

Telebras desbanca teles e assume rede da Dataprev por R$ 292 milhões

Estatal assume rede que interliga 1,7 mil agências do INSS e data centers no lugar da Embratel, Telefônica, Oi e British Telecom.


Presidente do Serpro diz que sinergia com Dataprev dá ganho de valor ao Estado

Para Glória Guimarães, as duas empresas são convergentes, fazem serviços diferentes para entes distintos e, principalmente, não há competição entre elas. A executiva revela ainda que Serpro e Dataprev já alinham modelos de negócios.

TCU: faltam estratégia e coordenação na compra pública de TI

O secretário de fiscalização de tecnologia da informação do Tribunal de Contas da União, Márcio Braz, sustenta que a fragmentação das aquisições é um erro e é hora de o Estado trabalhar com ganhos de escala.


Clique aqui e acompanhe a cobertura completa do evento

Para Abinee, revisão da Lei de Telecom vai gerar mais emprego

Em documento oficial, a entidade, que representa o setor de Tecnologia da Informação e Comunicação, sustenta que a alteração do marco regulatório é importante para incentivar investimentos nas redes de banda larga.

Empresas de TI e Telecom rejeitam reforma do PIS/Cofins

Estudo feito pelo Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação estima que, caso aprovada, a reforma implicaria na eliminação de cerca de dois milhões de postos de trabalho. TI prevê o desaparecimento de um em cada cinco postos de trabalho. Em telecom, um prejuízo de R$ 2 bilhões/ano.

MCTIC tem 60 dias para apresentar mudanças à Lei do Bem

Dados de dezembro, mostram que menos de 1% das empresas tributadas no país que poderiam se beneficiar com a legislação, que concede incentivos fiscais para quem quer investir em pesquisa e desenvolvimento.

Congresso tem frente parlamentar contra a pirataria

Frente Parlamentar Mista em Defesa da Propriedade Intelectual e do Combate à Pirataria sustenta que o país perde R$ 120 bilhões anualmente por conta da pirataria.


Acompanhe a Cobertura Especial do WCIT 2016

Fim da gestão do Governo dos EUA abre nova era para a Internet

Desde 1º de outubro, as funções técnicas da internet – nomes, números e protocolos – não envolvem mais um contrato da ICANN com o governo americano. “O Brasil influenciou nessa transição”, diz o secretário-executivo do CGI.br, Hartmut Glaser. 


Acompanhe a Cobertura Especial do WCIT 2016

  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G