TELECOM

Desoneração de redes para banda larga será de R$ 5 bilhões

Luís Osvaldo Grossmann ... 01/09/2014 ... Convergência Digital

O governo federal vai isentar de PIS, Cofins e IPI 1,4 mil projetos de implantação de redes de telecomunicações que devem estar construídas até o fim do próximo ano. Ao todo, os pedidos envolvem investimentos de R$ 15,9 bilhões – e a renúncia fiscal de aproximadamente R$ 6 bilhões, segundo estima o Ministério as Comunicações

Os benefícios estão previstos no Regime Especial de Tributação do Plano Nacional de Banda Larga, ou simplesmente REPNBL, criado em lei ainda em 2012 e regulamentado no início do ano passado, quando os projetos começaram a ser submetidos. Entre os 205 já aprovados, os investimentos prometidos chegam a R$ 3,2 bilhões.

O objetivo do empurrão fiscal era antecipar entre R$ 16 bilhões e R$ 18 bilhões em investimentos. Para isso foram listados 13 tipos de aportes elegíveis, como datacenters, redes de acesso, de transporte, smartgrid, cabos submarinos e satélites. Os projetos ficaram quase na meta, assim como as desonerações – inicialmente calculadas entre R$ 3,8 bilhões e R$ 6 bilhões, devem somar R$ 5 bi.

“As desonerações devem ficar próximas a 30% do total”, calcula o diretor de Indústria, Ciência e Tecnologia do Minicom, José Gontijo. “No começo, as empresas tinham mais dificuldade. Mas quando o prazo foi se aproximando, a procura disparou. Do total, 1.037 foram apresentados nas duas últimas semanas de junho”, revela.

A pasta chegou a receber 1,8 mil projetos, envolvendo R$ 26,5 bilhões – mas os dados contém duplicidade, porque parte foi retirada e depois reapresentada, além de terem havido desistências no trajeto. A Telebras, por exemplo, chegou a indicar pleitos para desonerar cinco cabos submarinos, mas quatro deles definharam, restando apenas o em direção à Europa.

A maior parte dos investimentos diz respeito a redes de acesso, óptico e móvel, que juntas representam quase metade dos valores envolvidos. Em seguida, redes de transporte, em cabo submarino ou fibra, inclusive OPGW, somam cerca de um quarto do total. E há ainda razoável parcela de acesso metálico – leia-se cabos coaxiais, particularmente em projetos da Net.

Não chega a surpreender que as empresas dos dois maiores grupos de telecom no país, América Móvil e Telefônica, liderem os pedidos. Segundo o Minicom, no entanto, há uma forte pulverização dos aportes entre as 27 empresas que submeteram os projetos – 27 CNPJs, que correspondem a aproximadamente 20 grupos econômicos.

O prazo para a submissão dos projetos expirou em 30 de junho, mas há emendas em três Medidas Provisórias (648, 649, 651) que tramitam no Congresso com o objetivo de esticar o prazo até meados do próximo ano. “O Ministério é favorável à prorrogação do prazo para a apresentação dos projetos, mas não da validade. Os investimentos devem ser concluídos até o fim de 2016”, diz Gontijo.

 


AmericaNet: Não faz sentido ter de construir rede por conta de direito de passagem

Inovação é a palavra-chave para a operadora competitiva competir no mercado de telecom, diz o vice-presidente da AmericaNet, José Luiz Pelosini. Ele lamenta que aspectos regulatórios inviabilizem a expansão dos negócios. "Compartilhamento ainda é um entrave".

Use Telecom: "Não conseguimos um real sequer do BNDES e da FINEP"

André Costa, CEO da operadora, com atuação na Bahia e no Sergipe, diz que o governo cobra muito e devolve pouco. Sobre o compartilhamento é taxativo: "O acordo entre a Anatel e Aneel pelos postes não é praticado em nenhum lugar do Brasil".

TIM abre laboratório para projeto de rede do Facebook na América Latina

Operadora será responsável pelo primeiro Telecom Infra Project Community Lab ("Laboratório Comunitário TIP") da região.

Faltam dinheiro e apoio para a construção de rede no Brasil

"Falta apoio dos órgãos públicos, falta financiamento acessível, falta vontade de fazer", diz Rui Gomes, CEO da UMtelecom, empresa que atua na Região Nordeste.

Juarez Quadros: "Estamos prontos para arbitrar disputas pelo compartilhamento"

O presidente da Anatel admite que para as operadoras competitivas há mais dificuldades para celebrar acordos com as concessionárias, mas diz que é preciso levar o embate para o órgão regulador.

Teles afirmam que bloqueio de celular em presídios é exigência inconstitucional

Em nota, o SindiTelebrasil adverte que o Supremo Tribunal Federal já decidiu sobre o tema em leis dos estados da Bahia, Mato Grosso do Sul, Paraná e Santa Catarina. Se o PL 3019/15 for aprovado no Senado, as operadoras terão de instalar, manter e gerenciar os sistemas.


Veja a revista do 60º Painel Telebrasil 2016
Revista do 60º Painel Telebrasil 2016
O Brasil enfrenta uma de suas mais graves crises, e as telecomunicações em banda larga são essenciais para a retomada do desenvolvimento sustentável, com inclusão social, na moderna sociedade da informação e do conhecimento. Este foi o mote dos debates durante o 60º Painel Telebrasil, realizado nos dias 22 e 23 de novembro, em Brasília.

  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G