GOVERNO

Softex assume a coordenação do Start-Up Brasil

Convergência Digital ... 01/09/2014 ... Convergência Digital

A partir desta segunda-feira, 01/09, a gestão das operações do Start-Up Brasil - Programa Nacional de Aceleração de Startups – passa para as mãos da Softex. Lançado em novembro de 2012 pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), o programa tem por objetivo apoiar as empresas recém-criadas no segmento de tecnologia.

O Start-Up Brasil está em sua segunda edição. A cada ano, são habilitadas aceleradoras, qualificadas e selecionadas por meio de um edital específico. Em seguida, são realizadas duas rodadas semestrais para a seleção das 100 startups, nacionais e internacionais, que serão apoiadas pelo programa por ano. Os resultados da seleção de startups da Turma 3 serão divulgados a partir de 1° de setembro e a próxima seleção de startups terá início no dia 14 de setembro.

Ao assumir a gestão da execução do Start-Up Brasil, a Softex agrega programas complementares em diversas áreas, entre as quais inovação e qualidade. “No âmbito da internacionalização, podemos destacar também o apoio dado às empresas brasileiras através de nosso HUB em Nova Iorque e de nosso escritório comercial em Singapura”, diz Ney Leal, vice-presidente executivo da Softex.

O Start-Up Brasil integra o TI Maior - Programa Estratégico de Software e Serviços de TI, que como base o desenvolvimento econômico e social; o posicionamento internacional; a inovação e o empreendedorismo; a produção científica e tecnológica e a competitividade. “Estamos felizes com essa nova fase do Start-Up Brasil, com o apoio da Softex. Vamos somar esforços ao trabalho que vem sendo realizado pelo programa, trazendo a experiência de seus inúmeros projetos de apoio ao setor de TICs no Brasil e exterior”, diz Felipe Matos, COO do Programa.

Realizado em parceria com 12 aceleradoras privadas localizadas nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Campinas, Belo Horizonte, Vitória, Porto Alegre, Salvador e Recife, o Start-Up Brasil busca apoiar empresas nacionais e internacionais que tenham até quatro anos de existência e desenvolvam produtos/serviços inovadores utilizando software, hardware ou serviços de TI.

As startups apoiadas participam de programas de aceleração. Nesta fase, com duração de 12 meses, as startups selecionadas têm acesso a bolsas para pesquisa, desenvolvimento e inovação no valor de até R$ 200 mil; a um aporte de investimento da aceleradora para inserção no mercado, que varia entre R$ 20 e 150 mil; e participam de uma série de eventos, atividades de capacitação e de aproximação com investidores e companhias nacionais e internacionais; além de programas de acesso a mercado e compras públicas. Durante todo este processo as empresas são acompanhadas pelas aceleradoras e pelos gestores do programa Start-Up Brasil.


Cobertura Especial do 2º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2017

Telebras desbanca teles e assume rede da Dataprev por R$ 292 milhões

Estatal assume rede que interliga 1,7 mil agências do INSS e data centers no lugar da Embratel, Telefônica, Oi e British Telecom.



Clique aqui e acompanhe a cobertura completa do evento

Governo terá plataforma única para cruzamento de dados no Poder Executivo

Planejamento chegou a proibir os órgãos federais de contratarem soluções de Big Data e Analytics para evitar dispersões.

Greve continua e não há data para lançamento do satélite da Telebras

Previsto para o dia 21 de março, o lançamento, agora, só deverá acontecer pelo menos 10 dias depois do fim da greve geral na Guiana Francesa. Governo diz que atraso não causa prejuízo aos projetos nem financeiro.

Gilberto Kassab sofre duas investigações oficiais por conta da Lava Jato

O jornal Estado de São Paulo divulgou a lista do ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal. Foi determinada a abertura de inquérito contra contra nove ministros do governo Temer, 29 senadores e 42 deputados federais, entre eles os presidentes das duas Casas - Senado e Câmara.

"Há chances, sim, de reverter a reoneração da folha para TI", afirma Kassab

"Os números apresentados me convenceram plenamente. Eu estou à frente dessa negociação no governo", afirmou o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab.


Acompanhe a Cobertura Especial do WCIT 2016

Fim da gestão do Governo dos EUA abre nova era para a Internet

Desde 1º de outubro, as funções técnicas da internet – nomes, números e protocolos – não envolvem mais um contrato da ICANN com o governo americano. “O Brasil influenciou nessa transição”, diz o secretário-executivo do CGI.br, Hartmut Glaser. 


Acompanhe a Cobertura Especial do WCIT 2016

  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G