OPINIÃO

Tecnologia "Vestível": A revolução da Internet das coisas na Saúde

Por Eduardo Prado
05/11/2014 ... Convergência Digital

The latest disruptive technology to command attention, ignite imagination and serve as a harbinger of both hope and danger is wearable technology. It offers unique attributes and myriad applications in a wide range of industries, and offers a platform for continued innovation, Wearable Technology - has the next enterprise game changer arrived?, Frost & Sullivan, 28.oct.2014

Você está preparado para “vestir” uma tecnologia que vai cuidar da sua “estimada” Saúde? Pois é ... em um futuro próximo, o ser humano estará incorporando dispositivos “vestíveis” (ou wearables),os quais vão cuidar da Saúde dos “mortais” humanos (ver Who Stands to Benefit When Health Care Wearables Are Everywhere?, The Motley Food, 09.jul.2014). Agora uma pergunta que não quer calar ... você sabe o que é a tecnologia “vestível” (ou wearable technology)? Conheça mais sobre a tecnologia “vestível” aqui nesse vídeo: Spotlight on the Wearable Future, PwC, 16.oct.2014.

Em maio de 2013, a “Rainha da Internet” – a analista Mary Meeker – sinalizou que a tecnologia “vestível” seria a “nova onda da tecnologia” nos próximos anos (ver 2013: The Year Of Wearable Computing And Data-Driven Healthy Lifestyles, GigaOM, 06.may.2013). Em uma das primeiras matérias da tecnologia “vestível” no Brasil, publicada em setembro de 2013, avaliamos a abrangência da tecnologia “vestível” (ver Dispositivos "vestíveis": uma nova onda tecnológica, Convergência Digital, 03.set.2013). Os dispositivos “vestíveis” são, atualmente, um grande destaque da “tão falada” atualmente Internet das Coisas (ou IoT = Internet of Things). Ver mais aqui: Infographic: The Rise of Wearable Technology, mHealth Watch, 13.sep.2013 e aqui: The Future of Wearable, PwC, Consumer Intelligence Series, October 2014.

Você gostaria de ter uma tecnologia “vestível” que lhe ajudasse a monitorar continuamente a sua atividade cardiovascular e lhe avisasse, com antecedência, de um problema cardíaco? Pois é ... os cientistas das universidades Northwestern e de Illinois já estão trabalhando em uma tecnologia para isso (ver Heart problems? Dry skin? New wearable device will tell you when something's wrong, TechTimes, 25.sep.2014 e 'Skin-like' device monitors cardiovascular and skin health, Eurekalert, 25.sep.2014).

Existe atualmente uma grande expectativa que a tecnologia “vestível” vai mudar e transformar o segmento de Saúde nos próximos anos (ver Wearable tech will change health care, Democrat & Chronicle, 15.aug.2014; 5 Ways Wearable Technology Will Impact Healthcare, Linkedin, 08.jan.2014; When Wearable Health Trackers Meet Your Doctor, TechCrunch, 06.aug.2014. Ver aqui uma matéria muito interessante de como os investidores estão gastando dinheiro deles com a tecnologia “vestível”: Investments In A Wearables Future, TechCrunch, 20.sep.2014.

A tecnologia “vestível” é uma indústria que continua a crescer e a adaptar-se às necessidades sempre “mutantes” do nosso mundo atual. Essa tecnologia também fornece uma plataforma para os pacientes e profissionais de Saúde compartilhar dados e colaborar com estratégias de Saúde.

Sem dúvida, as tecnologias “vestíveis” são voltadas para o engajamento do paciente e para ajudar os pacientes e consumidores a se manter saudáveis e em forma! A tecnologia “vestível” terá o seu próprio mercado nos próximos 12 meses e vai se tornar “uma tecnologia chave” para o consumidor.

Uma das razões para isso é a entrada da maioria dos principais fornecedores de tecnologia no espaço de tecnologia “vestível”, incluindo Google, Microsoft, Intel, Apple e Samsung, que estão transformando a opinião das pessoas sobre os benefícios da tecnologia “vestível” (ver Will wearable technology transform healthcare?, Deloitte, 02.jul.2014.

Com a evolução da tecnologia “vestível” espera-se que ela esteja cada vez mais presente no setor de Saúde! Uma empresa tradicional que está apostando muito na tecnologia “vestível” com um “viés” na área de Saúde é a Intel (ver Intel Evangelist Steve Brown on the Future of Wearable Technology, YouTube Video, 19.mar.2014; Brian Krzanich (Intel CEO) shared Intel’s vision for the future (Video), Intel, September 2014; The big interview: Wearables aren't 'just something for computer people', says Intel new devices boss, Pocket-lint, 15.sep.2014; e Intel Developer Forum Live Keynote, Dailywireless, 09.sep.2014).

A fabricante de chips está apostando na tecnologia “vestível” e “big data” para pesquisar sobre a enfermidade de Câncer e o Mal de Parkinson (ver Can Wearable Technology Put a Dent in Parkinson's Disease?, Mashable, 13.aug.2014; Intel Points Wearables, Big Data At Cancer Research, Information Week, 10.sep.2014; e Wearables will transform the healthcare industry, The Inquirer, 15.aug.2014). A Intel também tem o seu relógio inteligente – conhecido como Basis - que mede nosso batimento cardíaco além da medida da temperatura do corpo humano (ver Referências do Google sobre a Tecnologia Basis). Também está utilizando a tecnologia Basis nos seus trabalhos com a Fundação Michael J. Fox sobre o Mal de Parkinson.

Um fato curioso sobre o envolvimento da Intel com a Fundação Michael J. Fox na luta contra o Mal de Parkinson: o ex-CEO da Intel - e muito famoso - Andrew Groove (o autor de Only the Paranoid Survive) foi diagnosticado com Parkinson em 2000 e juntou-se à Fundação um ano depois. Desde então, ele tornou-se conselheiro da instituição e doou 40 MUS$ para as pesquisas sobre a doença na Fundação (ver Intel wants to track Parkinson's patients using wearables, The Verge, 13.aug.2014 e Referências do Google sobre o Mal de Parkinson + Andy Groove). Ver aqui outras referências sobre Andrew Groove + Intel Inside.

Uma grande revolução no segmento de Saúde e da Telemedicina será provocada pelo famoso dispositivo “vestível” conhecido como Google Glass do gigante da Internet “Sempre Ele” Google (ver How Google Glass Will Transform Healthcare [Slideshare], Huffington Post, 17.oct.2014; e Google Glass Offers Unique Opportunity for Telemedicine, Integrated Healthcare Delivery, 01.jul.2014).

E para estimular mais a nossa mente do setor da tecnologia “vestível” temos aqui mais alguns exemplos dessa tecnologia no segmento de Saúde:

[1] um dispositivo para relaxamento: Brain-Sensor Wearable Headbands De-Stress You in Minutes, Mashable, 22.oct.2014;

[2] uma tecnologia “vestível” da famosa Philips para monitorar a Doença Pulmonar Crônica Obstrutiva (DOPC): Philips launches wearable for chronic illness, to make the internet of things medical-grade, GigaOM, 13.oct.2014;

e [3] o primeiro medidor do mundo de pressão sanguínea com tecnologia “vestível”: The World's 1st Wearable Blood Pressure Monitor. Any time, Any where!, IndieGogo e Main Video: 1st Blood Pressure in the World, 31.oct.2014.

No futuro – não muito longe daqui – a tecnologia “vestível” vai transformar também o seguro das grandes operadoras de saúde (tipo Sul América Saúde e Amil): Wearable Tech Is Plugging Into Health Insurance, Forbes Magazine, 19.jun.2014 … quem viver verá!

Welcome to the new “reality” of healthcare with wearable technology!

Eduardo Prado é consultor de mercado em novos negócios, inovação e tendências em Mobilidade e Convergência.
E-mail: eprado.sc@gmail.com
Twitter: https://twitter.com/eprado_melo

Outras matérias do autor aqui:
Teleco
http://www.teleco.com.br/colaborador/eduardoprado.asp
Convergência Digital
http://convergenciadigital.uol.com.br/eduardoprado/


Carreira
No Brasil, mais de 60% usam smartphone próprio para fins profissionais no horário de trabalho

Pesquisa global mostra que 92% dos brasileiros tiveram acesso ao smartphone, um número 30% acima dos usuários de notebooks (70%). Levantamento também destaca que as mulheres são mais engajadas do que os homens no uso do WhatsApp.


Veja a Cobertura Especial do IX Seminário TelComp 2016

Governo precisa atuar como coordenador na remoção às barreiras inúteis em Telecom

Se não é possível ao governo fazer investimentos, que ele funcione como um coordenador e incentive o diálogo com os órgãos que, hoje, dificultam os investimentos em redes, diz o presidente-executivo da TelComp, João Moura. Novo ciclo do PGMC é a última oportunidade para fomentar a inclusão.


Veja a Cobertura Especial do IX Seminário TelComp 2016

  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G