INTERNET

Dois terços dos lares conectados no Brasil usam redes WiFi

Luís Osvaldo Grossmann ... 15/09/2015 ... Convergência Digital

Enquanto confirma a popularidade dos dispositivos móveis para acesso à internet no Brasil, a nova edição da pesquisa TIC Domicílios dá uma dica de porque celulares, notebooks e tablets estão cada vez mais associados à navegação na rede: 66%, ou dois em cada três lares com internet no país, dispõe de redes WiFi.

É quase o mesmo percentual dos lares que contam com banda larga fixa (67%) para acessar a rede, bem acima dos 25% que indicaram se conectar por meio da rede móvel 3G. Por banda larga fixa a pesquisa do Cetic.br entende os acessos DSL, os cabos de cobre, principal forma de conexão, com 27% do total, seguido pelo cabo (26%), rádio (9%) e satélite (5%). Ainda há 2% de acesso discado.

Colhidos entre outubro de 2014 e março deste 2015 em 19 mil residências, os dados mostram uma curiosidade facilitada pelo uso de redes domésticas sem fio: 14% dos domicílios com acesso compartilham a conexão com vizinhos. O número é significativo, apesar da ressalva do coordenador da pesquisa, Winston Oyadomari, de que essa “é uma questão polêmica do ponto de vista regulatório”.

São dados que apontam para a barreira econômica da inclusão digital. Segundo a pesquisa, em 18% dos lares paga-se até R$ 30 pela principal conexão – com uma notável concentração (38%) dos domicílios com renda de até um salário mínimo nesse patamar. Em 11%, 12% e 10% dos lares paga-se, respectivamente, até R$ 50, R$ 60 e R$ 70 pelo principal acesso. Só 2% pagam mais de R$ 150.

Não surpreende, portanto, que o ‘custo elevado’ ainda se mantenha como o principal motivo apontado pelos domicílios que não têm acesso à internet, com 49%, acima da ‘falta de computador’ (47%), ‘falta de interesse’ (45%), ‘falta de necessidade’ (40%), ‘falta de habilidade’ (30%) e ‘falta de disponibilidade do serviço’ (18%).

A TIC Domicílios 2014 mostra, ainda, que 35% das conexões são de até 2 Mbps (sendo 5% de até 256 kbps), 9% de 2 a 4 Mbps, 8% de 4 a 8 Mbps, e 23% acima de 8 Mbps. As atividades mais citadas na rede foram enviar mensagens (83%), usar redes sociais (76%), compartilhar conteúdos (67%), usar e-mail (64%), procurar informações (63%) e assistir filmes ou vídeos (58%).


Europa busca consenso para taxar gigantes da Internet

Uma nova proposta costurada por Alemanha e França reduz o escopo da cobrança para mirar apenas nas receitas com publicidade.

5G exige rediscussão imediata da neutralidade de rede

"Serão novas e tão diferentes aplicações, e algumas até podem fazer a diferença entre a vida e a morte. A questão da neutralidade precisa ser encarada agora no mundo e aqui no Brasil", sustenta o diretor da 5G Americas e de Relações com o Governo da Ericsson Brasil, Tiago Machado.

Serviço de streaming de esporte chega ao Brasil e usa YouTube e Facebook

A DAZN inicia oferta comercial em março do ano que vem e terá exclusividade da Copa Sul-Americana de 2019. Modelo de negócio é por curto prazo e por partida transmitida. Empresa, especializada em esportes, tem atuação na Europa, EUA e Ásia

Associação de OTT quer Autoridade de Dados tratada na transição do governo Bolsonaro

Associação Brasileira de OTT diz que a criação da autoridade poderá ficar prejudicada após a intensa mudança de quadros no Executivo e Legislativo o que poderá prejudicar a aplicação efetiva da Lei de Dados Pessoais em 2020.

Só 27% dos que usam smartphones se sentem no controle dos dados pessoais

Pesquisa em 10 países, inclusive no Brasil, aponta que os sucessivos casos de vazamentos e novas leis de proteção da privacidade despertaram a preocupação com dados pessoais e 76% tentam protegê-los.

Revista Abranet 26 . nov-dez 2018 / jan 2019
Veja a Revista Abranet nº 26 Estudo da Abranet revela a existência de um universo díspar entre os prestadores, o que impõe desafios à regulamentação mínima necessária para manter o mercado estruturado e o limite aceitável para a sobrevivência das empresas.
Clique aqui para ver outras edições

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet - Abranet

Empresas da Internet pedem mais segurança jurídica

“O Marco Civil da Internet trouxe base sólida para criar parâmetros para se ter lei mínima para a Internet seguir avançando, mas, infelizmente, vemos varias iniciativas tentando modifica-lo", afirmou o presidente da Abranet, Eduardo Parajo.

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet

  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G