INTERNET

Velocidade média da Internet no Brasil é de 3,6 Mbps

Luís Osvaldo Grossmann ... 23/09/2015 ... Convergência Digital

Novo relatório trimestral da Akamai, empresa especializada em serviços de nuvem e redes de entrega de conteúdo (CDNs), indica que a velocidade média da internet no Brasil cresceu no segundo trimestre de 2015 e passou de 3,4 Mbps para 3,6 Mbps. Melhor ainda, o aumento chega a 25% na comparação com um ano antes.

Esse desempenho, porém, não impediu a queda no ranking elaborado pela Akamai e que reúne entre 110 e 144 países (a depender da comparação anual ou trimestral). No acompanhamento trimestre a trimestre (144 países), o Brasil passou de 89ª para 90º.

Em relação à média de picos de conexão, o Brasil registrou 27 Mbps, aumento trimestral de 12% e de 32% em relação ao último ano. Nesse caso, diferentemente da velocidade média, o país subiu da 82ª para 80ª posição no ranking global de picos de conexão.

O levantamento indica ainda que no Brasil, uma página da web é carregada em 6416 milissegundos com o uso de banda larga fixa. O desempenho é um pouquinho pior nas conexões móveis, com tempo médio de abertura de um site em 7324 ms.

No panorama geral, no segundo trimestre de 2015 a média global de velocidade de conexão manteve-se superior à considerada banda larga pela Akamai (4 Mbps), com 5,1 Mbps, e apresentou crescimento de 3,5% em relação aos três meses anteriores. A Coréia do Sul continua líder, com média de 23,1 Mbps.

Três asiáticos dominam o topo do ranking – além da Coreia, Hong Kong, com 17 Mbps; e Japão, com 16,4 Mbps. Os sete países seguintes, completando os 10 melhores colocados, são todos europeus: Suécia (16,1 Mbps), Holanda (15,2), Noruega (14,3), Latvia (14,2), Finlândia (14) e a República Tcheca (13,9).

Na América Latina, a velocidade média variou de 5,9 Mbps, no Uruguai, a 1,5 Mbps, no Paraguai. No ranking global, os países estão na 59ª; e 137ª colocação, respectivamente. Portanto, em 89º, o Brasil vê Uruguai, Chile, México, Argentina e Peru à frente. Costa Rica, Bolívia, Venezuela e Paraguai abaixo.

Quanto à adoção do IPv6, a Bélgica manteve sua liderança, com 38% de suas conexões à Akamai feitas por meio do protocolo. Os dois únicos países não europeus entre os Top 10 de adoção foram os EUA e Peru, sendo 19%; e 17%, respectivamente. 

O Brasil aparece em 20o, com 4,2% do tráfego em IPv6. No país, as empesas Net (com 6,7% do tráfego em IPv6) e GVT (3,4%) aparecem na listagem dos 20 maiores provedores de conexão por tráfego pelo novo protocolo. Teles americanas como Comcast (37%) e AT&T (35%) e a móvel Verizon (com 71% do tráfego em IPv6), lideram.


Empresa americana, dona do Bolsomito 2k18, comunica à Justiça o fim da venda do game

O game tinha o então candidato à presidência, Jair Bolsonaro. O personagem ganhava pontos ao espancar e matar mulheres, negros, parlamentares e integrantes de movimentos sociais e da comunidade LGBT.

Dados Pessoais: Google recebe punição máxima de 50 milhões de euros na França

A Regulação de Proteção Geral de Dados (GDPR), em vigor desde maio do ano passado na União Europeia, vira pesadelo para as companhias de Internet.

Anatel impõe ofertas obrigatórias de conexão em apenas seis PTTs

Pontos de troca de tráfego escolhidos são os de São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Fortaleza, Curitiba e Brasília. A decisão afeta Oi, Telefônica, Claro, TIM e Algar.

Perícia digital: Disputa judicial exige mais prazo de armazenamento de dados

"Conflitos judiciais levam mais tempo que o exigido das empresas para armazenamento das informações. Com dados, não há anonimato na Internet", observa João Alberto Matos, do Pio Tamassia Advocacia. Fake News e perfis falsos nas redes sociais mobilizam a maior parte das perícias digitais.

MPF investiga Facebook por prestar informação falsa e descumprir ordem judicial

Para o Ministério Público, “a atitude mostra desrespeito aos Poderes da República Federativa do Brasil". Facebook tem 30 dias para dar esclarecimentos.

Revista Abranet 26 . nov-dez 2018 / jan 2019
Veja a Revista Abranet nº 26 Estudo da Abranet revela a existência de um universo díspar entre os prestadores, o que impõe desafios à regulamentação mínima necessária para manter o mercado estruturado e o limite aceitável para a sobrevivência das empresas.
Clique aqui para ver outras edições

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet - Abranet

Empresas da Internet pedem mais segurança jurídica

“O Marco Civil da Internet trouxe base sólida para criar parâmetros para se ter lei mínima para a Internet seguir avançando, mas, infelizmente, vemos varias iniciativas tentando modifica-lo", afirmou o presidente da Abranet, Eduardo Parajo.

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet

  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G