INTERNET

Medidas favorecem a adoção e IPv6 dispara no Brasil

Luís Osvaldo Grossmann ... 07/12/2015 ... Convergência Digital

O empurrão funcionou. Os indicadores sobre o tráfego internet mostram que a preparação para o novo protocolo de endereçamento na rede deu um saldo no Brasil em 2015, conforme acertado entre Anatel, NIC.br e operadoras de telecomunicações. O percentual de usuários IPv6 que era de 0,1% quando o ano começou chega a dezembro em 6,42%.

Se o percentual parece pequeno (a média no planeta é 24,7%), é a leitura do lado dos usuários. Mais importante é que a preparação das redes disparou ainda mais e já chegou a 52,4% dos sistemas autônomos. Entre os conteúdos, medida a partir da quantidade de sites na web que suportam o novo endereço, a preparação é de 58,5%.

“O usuário não tem que se preocupar muito. Temos é que saber atender quando vier com IPv6. Novos usuários, novos serviços, nova população, como não tem mais IPv4, vão chegar falando IPv6. Um dia talvez a nova língua seja única. Mas a preocupação não é que todos falem só IPv6, mas que esses novos entrantes sejam atendidos, de forma bilíngue, até para que não encontrem ‘meia’ internet”, explica o presidente do NIC.br, Demi Getschko.

E isso os indicadores sugerem que está avançando. No geral, pela forma como medida pela Cisco (que tem um projeto específico, 6lab), a preparação do Brasil é de 27,6% (uma média daqueles percentuais). A Bélgica lidera (53%), seguida pela Suíça (47%), Alemanha (43%), Luxemburgo e Estados Unidos (39%).

“O crescimento grande em 2015 coincide com medidas na certificação de equipamentos”, destacou Rodrigo Zerbone, da Anatel, ao também discutir o tema em audiência realizada nesta segunda, 7/12, no Conselho de Comunicação Social do Congresso Nacional. “Mantida a curva, em breve teremos aumento substancial no índice de preparação, principalmente dos usuários finais no Brasil.”

Ainda em 2014, Anatel, NIC.br e teles discutiram como ‘incentivar’ a preparação, o que resultou em um calendário de certificação de equipamentos a partir do qual apenas os habilitados ao IPv6 receberão o ok do regulador. Paralelamente as principais redes se comprometeram com datas. E até o governo criou um cronograma para os conteúdos de e-gov.

Mas se o cenário mudou bastante, há ainda encrencas pela frente. Para começar, há um universo de aparelhos legados ainda disponível no varejo. “Temos no mercado equipamentos que só operam em IPv4. E é exatamente isso que a Anatel quer atacar ao formatar normas especificas de certificação”, diz o conselheiro. Difícil é impedir a venda de aparelhos que só operem em IPv6.

“O desafio mais próximo são os equipamentos terminais da telefonia móvel, o que tem que ser visto com muita cautela porque forçar implementações pode excluir parte da população do sistema, ao tirar equipamentos mais acessíveis, mais baratos, que só operam em ipv4. Se a Anatel não se atentar para essas questões, só teria equipamentos muito caros no mercado”, completou Zerbone.


Empresa americana, dona do Bolsomito 2k18, comunica à Justiça o fim da venda do game

O game tinha o então candidato à presidência, Jair Bolsonaro. O personagem ganhava pontos ao espancar e matar mulheres, negros, parlamentares e integrantes de movimentos sociais e da comunidade LGBT.

Dados Pessoais: Google recebe punição máxima de 50 milhões de euros na França

A Regulação de Proteção Geral de Dados (GDPR), em vigor desde maio do ano passado na União Europeia, vira pesadelo para as companhias de Internet.

Anatel impõe ofertas obrigatórias de conexão em apenas seis PTTs

Pontos de troca de tráfego escolhidos são os de São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Fortaleza, Curitiba e Brasília. A decisão afeta Oi, Telefônica, Claro, TIM e Algar.

Perícia digital: Disputa judicial exige mais prazo de armazenamento de dados

"Conflitos judiciais levam mais tempo que o exigido das empresas para armazenamento das informações. Com dados, não há anonimato na Internet", observa João Alberto Matos, do Pio Tamassia Advocacia. Fake News e perfis falsos nas redes sociais mobilizam a maior parte das perícias digitais.

MPF investiga Facebook por prestar informação falsa e descumprir ordem judicial

Para o Ministério Público, “a atitude mostra desrespeito aos Poderes da República Federativa do Brasil". Facebook tem 30 dias para dar esclarecimentos.

Revista Abranet 26 . nov-dez 2018 / jan 2019
Veja a Revista Abranet nº 26 Estudo da Abranet revela a existência de um universo díspar entre os prestadores, o que impõe desafios à regulamentação mínima necessária para manter o mercado estruturado e o limite aceitável para a sobrevivência das empresas.
Clique aqui para ver outras edições

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet - Abranet

Empresas da Internet pedem mais segurança jurídica

“O Marco Civil da Internet trouxe base sólida para criar parâmetros para se ter lei mínima para a Internet seguir avançando, mas, infelizmente, vemos varias iniciativas tentando modifica-lo", afirmou o presidente da Abranet, Eduardo Parajo.

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet

  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G