GOVERNO » Compras Governamentais

PT e aliados aprovaram a privatização branca da TI bancária

Luiz Queiroz ... 18/02/2016 ... Convergência Digital

Um fato inédito ocorreu na noite de terça-feira (16) no plenário da Câmara. Enquanto os partidos que compõem a base do governo defendiam a aprovação do projeto de Conversão à medida Provisória 695/2015, do relator e deputado Ságuas Moraes (PT-MT), as bancadas do PSDB e do DEM - históricos defensores do "Estado Mínimo", eram contra a aprovação da MP. A proposta aprovada permite, entre outros assuntos, que Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil ingressem no mercado de TI privado, constituindo subsidiárias ou participando do controle societário de empresas.

A aprovação da MP foi por 438 votos, sendo 280 favoráveis e 157 votos contrários, e uma abstenção. Como o presidente da Câmara também se abstémm de votar  o total de votantes presentes foi de 439 parlamentares. Dos 59 deputados do PT que estão na ativa na Câmara, 55 votaram pela aprovação. Quatro não participaram dela. Esse foi o mesmo comportamento das demais bancadas que seguem o governo ou não. O PSOL e a Rede, por exemplo, votaram favoravelmente, embora não estejam alinhados na base governista.

Clique na imagem para ampliar
[Clique na imagem para ampliar]

DEM tentou rejeitar

O que chamou a atenção no projeto de Conversão do relator Ságuas Moraes (PT-MT), foi que em nenhum momento ele cita a questão dos bancos oficiais participarem do mercado privado de TI, porém desmantelando suas áreas fins. Não houve nenhuma consideração da parte dele sobre o assunto, assim como ninguém da base governista se manifestou contra a proposta. Todos seguiram a orientação do governo.

Quem jogou contra o Artigo 1º da MP, procurando eliminar a expressão "inclusive no ramo de Tecnologia da Informação" foi o DEM. O deputado Pauderney Avelino (DEM-AM) - conhecedor da área - chegou a apresentar um destaque para votação em separado, no qual ele pediu para ser suprimida a expressão da MP. Mas o destaque foi rejeitado na votação, em que os parlamentares que eram favoráveis à permanência dessa expressão no texto da MP teriam de votar "sim".

Ficou mais claro ainda que o governo impôs essa expressão no texto, quando a deputada Érika Kokay, ligada aos sindicalistas de TI, acabou  designada para defender a íntegra do texto e encaminhar a votação da base governista contra a aprovação do destaque do DEM.

Clique na imagem para ampliar
[Clique na imagem para ampliar]

Agora a base sindical terá uma tarefa difícil pela frente: tentar impedir a aprovação deste artigo primeiro no Senado. Mas qual senador seguirá a orientação dos sindicalistas, desprezando a do Palácio do Planalto. Somente na semana que vem será possível identificá-lo.


Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

Telebras faz Assembleia Geral para aprovar capitalização de R$ 1,512 bilhão

Assembleia geral para tratar do aumento de capital foi agendada para 31 de outubro. Proposta da estatal - que integra lista de privatizações do governo Bolsonoro - dá prioridade à União, como principal acionista da empresa.

Congresso restaura poder de punição à Autoridade de Dados

O Congresso Nacional derrubou vetos feitos pelo presidente Jair Bolsonaro à MP 869/18, que se transformou na Lei 13.853/18. A Autoridade Nacional de Proteção de Dados ganhou independência para aplicar multas às empresas e aos órgãos públicos. Mas foi mantido o veto para as exigências feitas aos encarregados das empresas pelo tratamento de dados.

Carteira de Trabalho digital adota CPF para identificar trabalhador

Versão digital da CTPS será previamente emitida a todos os inscritos no Cadastro de Pessoa Física, mas será preciso habilitar o novo documento via aplicativo ou pelo portal de serviços do governo federal. Documento também será usado no novo eSocial que está em elaboração.

ABES: Majorar serviços em 25% inviabiliza a economia digital

A afirmação é do presidente da Associação Brasileira de Empresas de Software, Rodolfo Fücher. Sobre a Lei de Informática, o executivo sustenta que o processo do governo é muito demorado e trava a inovação.

Resolução abre estudos para privatização de Serpro e Dataprev

Quase um mês depois da decisão anunciada, Conselho do Programa de Parceria de Investimentos determina a análise, que deve ficar com o BNDES, “de alternativas de desestatização ou parceria com a iniciativa privada”.



  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G