GESTÃO

Cooperativa retira TVs analógicas que seriam jogadas no lixo

Convergência Digital* ... 19/04/2016 ... Convergência Digital

O desligamento do sinal analógico de televisão no Brasil já iniciou e se estenderá até novembro de 2018. Com a mudança para o sinal digital, parte das famílias optaram por trocar o antigo televisor de tubo por um aparelho mais moderno e compatível com a nova programação.

A cooperativa paulista Coopermiti trabalha para evitar o descarte irregular destes eletrônicos, que são perigosos para o meio ambiente  por conter elementos químicos que podem vazar e contaminar o solo, lençóis freáticos ou até mesmo pessoas. Para isso alerta sobre os perigos do descarte irregular e recebe estes aparelhos em diversos pontos de coleta espalhados pela cidade de São Paulo.

Os televisores de tubo possuem partes tóxicas e, por isso, precisam de destinação especial. Nestes casos, a Coopermiti cobra um valor simbólico de R$ 5 por unidade para realizar o trabalho de gestão desse resíduo. No site da empresa, além dos endereços de todos os postos, é possível encontrar conteúdo educacional sobre a importância do descarte ambientalmente adequado dos resíduos de equipamentos elétricos e eletrônicos.

“A sociedade está tomando consciência aos poucos do perigo que o descarte incorreto dos eletroeletrônicos causa para o meio ambiente e para o ser humano, mas esta tomada de consciência está ocorrendo em um ritmo muito lento, considerando a urgência que temos para cuidar do nosso planeta. É urgente que mudemos nossos hábitos, tanto de consumo quanto da forma que descartamos os nossos resíduos”, diz Alex Pereira, presidente da Coopermiti.

Estes equipamentos podem liberar materiais como o Chumbo, entre outros que, caso dispostos em aterros não licenciados e controlados, podem contaminar o solo e atingir o lençol freático, causando grande impacto ao meio ambiente e ao ser humano. Para mais informações acesse o site - http://www.coopermiti.com.br/


eSocial: Nova versão 2.5 do leiaute entra em operação em dezembro

Segundo o Comitê Gestor do novo regime, a nova versão incorpora as notas técnicas de 01 a 09, além de outras melhorias. Ela passa a valer no ambiente de testes a partir de 17 de dezembro e no ambiente de produção a partir de 21 de janeiro de 2019.

eSocial: Fase 2 exige atenção pelo conjunto de eventos

A implementação do eSocial foi dividida em fases e as empresas precisam ficar atentas. Entenda os prazos estabelecidos.

eSocial: Código de Acesso, sem certificação digital, possui validade de três anos

Após esse período, o Código gerado expira e o empregador será convidado a criar um novo. Será necessário informar novamente os números de recibos de entrega da DIRPF ou do Título de Eleitor. Quem usar certificado digital não vai precisar passar por esse processo.

eSocial: Iniciada a 2ª fase para empresas com faturamento até R$ 78 milhões

Essa etapa envolve o envio de dados dos trabalhadores e seus vínculos empregatícios até 9 de janeiro de 2019.

Governo não flexibiliza e mais de 700 mil empresas podem ser excluídas do Simples

A não regularização dos débitos poderá acarretar a exclusão do regime a partir de janeiro de 2019, mas não há facilidades - como houve o REFIS para as grandes empresas - para a quitação da dívida.




  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G