OPINIÃO

Pokémon GO: impacto zero no consumo de banda larga

Por Alessandro Porro*
03/08/2016 ... Convergência Digital

Como todo bom profissional de TI, toda vez que um fenômeno como o Pokémon GO ocupa as manchetes de jornais e revistas por mais de uma semana, eu me faço algumas perguntas. A primeira delas - e acredito que grande parte do pessoal de TI esteja se questionando também - é "Qual o impacto disso no consumo de largura de banda em uma rede corporativa?". É uma pergunta importante a se fazer, mas a resposta, nesse caso, é: "Nenhum!".

Não é preciso fazer grandes pesquisas para entender que, neste caso, o consumo de banda está longe de ser um problema para as empresas. Basta analisar o comportamento dos usuários do aplicativo – na maioria dos casos, eles não acessam o game a partir de conexões wi-fi corporativas. Até porque seria pouco eficiente, já que a proposta do Pokémon GO é que os usuários andem pelas ruas atrás de monstrinhos. A menos que os colegas de trabalho estejam espalhando o incenso Pokémon pelo escritório, caçar em uma área fechada e pequeno traria pouco resultado.

O fato é que o Pokémon GO parece ter sido criado com o uso de dados e de banda em mente. Mesmo que o jogador estivesse usando o aplicativo em uma rede wi-fi corporativa para economizar o pacote de dados 3G ou 4G do celular, o consumo seria mínimo. Tanto é que, nos Estados Unidos, a operadora T-Mobile já ofereceu acesso livre de franquia de dados aos jogadores de Pokémon GO. Chuck Hamby, porta-voz da Verizon, também disse recentemente que o game estava respondendo por menos de 1% do tráfego total de dados da operadora.

Em resumo, se o Pokémon GO chegar ao Brasil, não há motivos para se preocupar com Pikachus consumindo largura de banda da sua rede corporativa. Por outro lado, se você planeja jogar com um plano de dados limitado no seu celular, é possível minimizar o uso sem precisar ficar pendurado na rede da empresa – caso as operadoras daqui não liberem o tráfego. Andrew Martonik, do AndroidCentral, publicou algumas dicas para diminuir o consumo de dados durante as caçadas.

Portanto, quem espera ansiosamente pela chegada do Pokémon GO ao Brasil, pode ficar tranquilo. Você poderá caçar as tartarugas Squirtles, tranquilamente, na hora do almoço. Mas fique atento e lembre-se que caçar Pokémons enquanto dirige pode ser bastante perigoso.

*Alessandro Porro é vice-presidente internacional de vendas da Ipswitch



Veja a Cobertura Especial do IX Seminário TelComp 2016

Governo precisa atuar como coordenador na remoção às barreiras inúteis em Telecom

Se não é possível ao governo fazer investimentos, que ele funcione como um coordenador e incentive o diálogo com os órgãos que, hoje, dificultam os investimentos em redes, diz o presidente-executivo da TelComp, João Moura. Novo ciclo do PGMC é a última oportunidade para fomentar a inclusão.


Veja a Cobertura Especial do IX Seminário TelComp 2016

  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G