SEGURANÇA

Governo abandona auditoria de software como medida contra espionagem

Luiz Queiroz ... 09/08/2016 ... Convergência Digital

As medidas de combate à espionagem, previstas no decreto 8.135, durante o Governo Dilma Rousseff, não deram certo, segundo avaliação do Governo Temer. A decisão de exigir uma cláusula nos editais de licitação, de realização de auditorias no código-fonte de software, com o objetivo de garantir maior segurança das informações, praticamente não foi cumprida pelos gestores públicos. 

Em nenhum edital foi imposta essa cláusula, apesar da necessidade de se garantir que os dados não fossem violados por empresas estrangeiras prestadoras de serviços ao governo brasileiro.Criado no auge do estremecimento das relações entre os governos norte-americano e brasileiro, após as denúncias de espionagem feitas pelo ex-analista da NSA, Edward Snowden, o decreto 8.135 está sendo revisto, segundo revelou com exclusividade ao portal Convergência Digital o novo secretário de Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento Desenvolvimento e Gestão, Marcelo Pagotti.

En entrevista à CDTV do portal, Pagotti fala das novas medidas que estão sendo tomadas para garantir que as informações do governo não sejam espionadas por outros países no futuro. Assistam:


Soluções de Segurança para a Sociedade
Não delegue a segurança cibernética apenas para a TI

Para mitigar os riscos com ataques hackers, toda a corporação precisa se unir, adverte Jun Goto, vice-presidente Sênior da NEC Corporation.

Golpe do 14º salário no WhatsApp atinge 770 mil brasileiros

Os golpistas pedem para o usuário conferir se tem direito a um dinheiro extra.

Brasil sofre 55% dos ataques de ransomware na América Latina

Segundo números divulgados pela Kaspersky Lab, esse tipo de ameaça registrou aumento de 30% entre 2016 e 2017.

TSE fecha acordo de cooperação em TI com a Sociedade Brasileira de Computação

Acordo é abrangente e pode abordar tanto a segurança da urna eletrônica como questões internas de informática do Tribunal. 

Guerra cibernética passa a ter mesmo status de armas atômicas nos EUA

Comando Cibernético foi elevado em decisão anunciada por Donald Trump e com o propósito de "enfatizar o desenvolvimento de armas cibernéticas para impedir ataques, punir intrusos e enfrentar adversários".



  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G