Home - Convergência Digital

Mercado brasileiro de M2M deve crescer 13,5% ao ano até 2021

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital* - 31/08/2016

O mercado brasileiro de comunicação máquina-a-máquina (M2M) voltará a registrar alta na receita média por linha, impulsionado por novas aplicações e serviços de valor agregado como plataformas de gestão. Depois de um período de desaceleração, com o aumento da concorrência e preços agressivos, o surgimento de novas aplicações M2M que demandam conectividade constante e serviços 3G/4G de alto valor estimulam o mercado. 

A projeção é da consultoria Frost & Sullivan, para quem aplicações tradicionais como máquinas de cartão point-of-sale (PoS) e gestão e rastreamento de frotas continuarão dominando o mercado brasileiro de M2M no médio-prazo. No entanto, as operadoras móveis estão buscando expandir seu portfólio de serviços M2M com aplicações mais voltadas ao varejo, como carros conectados, personal care e casas conectadas. 

Para a consultoria, esse tipo de solução verticalizada e convergente, integrando serviços fixos e móveis, devem representar cerca de 35% das receitas globais das operadoras de telecomunicações até 2018. Ofertas de M2M também serão estendidas a novas verticais, como indústria e agricultura, que têm o potencial de gerar maiores receitas por linha através de aplicações de automação avançadas. 

Segundo estudo sobre o tema feito pela Frost & Sullivan, o mercado brasileiro de M2M deve crescer de US$ 121 milhões, em 2015, para US$ 258,8 milhões em 2021, mantendo uma taxa média anual de crescimento de dois dígitos, em 13,5%. Os segmentos financeiro e automotivo devem representar 77,2% dos acessos M2M em 2021. 

O estudo lembra que a exigência de rastreadores nos veículos brasileiros foi suspensa, mas que um novo incentivo pode vir da substituição dos medidores de energia elétrica. O mercado brasileiro de M2M também foi beneficiado pela isenção parcial de taxas do Fistel, embora este tenha sido limitado a aplicações sem interação humana, o que restringiu sua abrangência e excluiu a principal aplicação do mercado, de terminais PoS. 

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

24/11/2017
Atenta à Internet das coisas, Anatel quer mudar certificação de equipamentos

06/12/2016
M2M perde 1,3 milhão de chips ativos no Brasil em 12 meses

03/11/2016
Para a Anatel, nono dígito em todo o Brasil incentiva mercado M2M

27/09/2016
Quatro empresas monopolizam mercado de chips M2M

19/09/2016
Sai autorização da Anatel para governo de Minas Gerais entrar na Vodafone

31/08/2016
Mercado brasileiro de M2M deve crescer 13,5% ao ano até 2021

22/08/2016
4G reina, mas 2G tem vida longa no negócio M2M

15/07/2016
M2M: base de chips desonerados cresce pouco mais de 5% de janeiro a maio

26/04/2016
Google, Ford, Volvo, Uber e Lyft se unem por carro sem motorista

26/11/2015
M2M: Teles pedem benefício fiscal também para as máquinas POS

Destaques
Destaques

Migração total do 2G exige smartphones mais baratos

Para o Sinditelebrasil, preço dos aparelhos é barreira para os 36 milhões de usuários que ainda têm acessos GSM. Acessos 4G superaram os 3G em outubro.

5G terá 1 bilhão de assinantes em 2023

Estudo da Ericsson projeta um tráfego global de dados móveis acima de 100 Exabytes por mês dentro de seis anos. O 4G, LTE, será a tecnologia móvel dominante até o final deste ano.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Teles Tradicionais X Especializadas: o dilema para a IoT

Por Fábio Trindade

M2M e a Internet das Coisas são elementos centrais no debate das novas tecnologias que formarão o futuro em torno da 5G e continuarão em crescimento vertiginoso.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site