Home - Convergência Digital

Mercado brasileiro de M2M deve crescer 13,5% ao ano até 2021

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital* - 31/08/2016

O mercado brasileiro de comunicação máquina-a-máquina (M2M) voltará a registrar alta na receita média por linha, impulsionado por novas aplicações e serviços de valor agregado como plataformas de gestão. Depois de um período de desaceleração, com o aumento da concorrência e preços agressivos, o surgimento de novas aplicações M2M que demandam conectividade constante e serviços 3G/4G de alto valor estimulam o mercado. 

A projeção é da consultoria Frost & Sullivan, para quem aplicações tradicionais como máquinas de cartão point-of-sale (PoS) e gestão e rastreamento de frotas continuarão dominando o mercado brasileiro de M2M no médio-prazo. No entanto, as operadoras móveis estão buscando expandir seu portfólio de serviços M2M com aplicações mais voltadas ao varejo, como carros conectados, personal care e casas conectadas. 

Para a consultoria, esse tipo de solução verticalizada e convergente, integrando serviços fixos e móveis, devem representar cerca de 35% das receitas globais das operadoras de telecomunicações até 2018. Ofertas de M2M também serão estendidas a novas verticais, como indústria e agricultura, que têm o potencial de gerar maiores receitas por linha através de aplicações de automação avançadas. 

Segundo estudo sobre o tema feito pela Frost & Sullivan, o mercado brasileiro de M2M deve crescer de US$ 121 milhões, em 2015, para US$ 258,8 milhões em 2021, mantendo uma taxa média anual de crescimento de dois dígitos, em 13,5%. Os segmentos financeiro e automotivo devem representar 77,2% dos acessos M2M em 2021. 

O estudo lembra que a exigência de rastreadores nos veículos brasileiros foi suspensa, mas que um novo incentivo pode vir da substituição dos medidores de energia elétrica. O mercado brasileiro de M2M também foi beneficiado pela isenção parcial de taxas do Fistel, embora este tenha sido limitado a aplicações sem interação humana, o que restringiu sua abrangência e excluiu a principal aplicação do mercado, de terminais PoS. 

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

24/11/2017
Atenta à Internet das coisas, Anatel quer mudar certificação de equipamentos

06/12/2016
M2M perde 1,3 milhão de chips ativos no Brasil em 12 meses

03/11/2016
Para a Anatel, nono dígito em todo o Brasil incentiva mercado M2M

27/09/2016
Quatro empresas monopolizam mercado de chips M2M

19/09/2016
Sai autorização da Anatel para governo de Minas Gerais entrar na Vodafone

31/08/2016
Mercado brasileiro de M2M deve crescer 13,5% ao ano até 2021

22/08/2016
4G reina, mas 2G tem vida longa no negócio M2M

15/07/2016
M2M: base de chips desonerados cresce pouco mais de 5% de janeiro a maio

26/04/2016
Google, Ford, Volvo, Uber e Lyft se unem por carro sem motorista

26/11/2015
M2M: Teles pedem benefício fiscal também para as máquinas POS

Destaques
Destaques

4G: Belo Horizonte tem melhor cobertura, Porto Alegre maior velocidade

Estudo da OpenSignal indica que nas 14 maiores cidades brasileiras o sinal de LTE está disponível pelo menos 73% do tempo, acima dos 66% da média nacional.

América Latina restringe espectro e fica longe da meta da UIT

Até setembro, de acordo com a 5G Americas, foram concedidos, em média, na região, 363,8 MHz de espectro para a oferta de serviços móveis na América Latina.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Desvende 10 mitos sobre os cartões biométricos

Por Cassio Batoni*

Como toda nova tecnologia, os questionamentos sobre a sua segurança e e a sua confiabilidade ainda existem e são compreensíveis, mas ela veio para ficar. A impressão digital surge como a confirmação principal de que o usuário é quem diz ser.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site