INOVAÇÃO

Tributar internet é justo, mas atual modelo tributário atrapalha

Convergência Digital ... 12/09/2016 ... Convergência Digital

Se o sistema tributário brasileiro já apresenta uma carga pesada sobre o setor de telecomunicações, complica ainda mais a recorrente disputa entre estados e municípios pela tributação desta ou daquela atividade. E agora com a novidade da internet, ainda a ser efetivamente taxada. 

O coordenador da Administração Tributária da Secretaria da Fazenda de São Paulo, Luciano Garcia Miguel, defendeu durante o 30º Seminário Internacional da ABDTIC, realizado em São Paulo, nos dias 31 de agosto e 1º de setembro, que a internet deve mesmo ser tributada, mas existem complicações para isso no modelo atual. Em especial pela disputa entre ISS e ICMS. 

Ao justificar a visão de tributo estadual, Miguel lembra que “a internet tem a marca distintiva de servir de veículo para que sejam prestados outros tipos de serviço”, na linha do que sustenta o recolhimento de ICMS pelas operadoras de telecomunicações. 

“Temos outros serviços que se utilizam da internet como meio, Whatsapp, Netflix e Deezer, que concorrem com serviços tradicionais, que não são tributados. Muitos deles, por serem gratuitos, porque tem outro modelo negocial, cuja receita não provém do pagamento pelo usuário, mas pela veiculação de publicidade, que também é serviço de comunicação”, afirmou.

“Como tratar serviços que são muito parecidos, que tenho dificuldade de conceituar como serviço de telecomunicação, como Netflix, Deezer, Whatsapp. Como tratar tributariamente esses serviços? Dentro do nosso sistema acho difícil. Se não é tributado da mesma forma como o outro, deveria ser. Como fazer isso? Por uma alteração constitucional, ao colocar que o ICMS incidirá ‘também’, ou então, o que seria muito melhor, acabar com ICMS, ISS e IPI e criamos o IVA, com 40 anos de atraso.”


TICs em Foco - TRANSFORMAÇÃO DIGITAL
Prever. Prevenir. Detectar e Responder

Essas são a exigência da remodelagem da gestão de riscos e da segurança organizacional nas corporações.

Rede GoB2B quer ser a plataforma de negócios global do Brasil

Empresa responsável pela criação da iniciativa reuniu um banco de dados com mais de 700 mil normas que permite uma companhia brasileira negociar, via rede, com qualquer outra global, sem intermediários apenas pela descrição do produto procurado, conta o dono da patente, Pierre Grossmann.

PwC: Brasil entra na segunda onda dos carros autônomos

Estudo da consultoria,publicado pelo site Autos Giros, mostra que o automóvel está deixando de ser uma propriedade para se tornar ‘apenas’ um veículo para a mobilidade. Mudança estrutural imposta pela tecnologia determina estratégias ousadas.

BNDES dobra financiamento e chega a R$ 30 milhões para projetos de Internet das Coisas

Investimentos somam R$ 88 milhões e vão viabilizar 15 projetos-piloto, tocados por 11 instituições, nas áreas de saúde, rural e cidades inteligentes.

Europa tem quase R$ 8 bilhões em recursos públicos para microeletrônica

Incentivos garantidos  por França, Alemanha, Itália e Reino Unido focam em chips eficientes, sensores, óptica avançada e materiais compostos.

Economia da cultura deve ser prioridade para o Brasil

O Brasil é muito bom em produzir cultura e não pode menosprezar o valor global de investir em cultura, advertiu o advogado Claudio Lins de Vasconcellos, do Lins Vasconcelos Advogados.



  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G