TELECOM

Anatel, Oi, TIM e Telefônica avaliam ritmo da revisão do modelo de Telecom

Ana Paula Lobo e Pedro Costa ... 16/09/2016 ... Convergência Digital

O governo terá de sinalizar a sua posição caso o PL 3453 não avance no ritmo esperado no Congresso Nacional, refletiram executivos do setor de Telecomunicações, durante debate no 16º Rio Wireless, realizado no Rio de Janeiro, nos dias 13 e 14 de setembro, no Rio de Janeiro. O diretor de Assuntos Regulatórios da Oi, Carlos Eduardo Monteiro, deixa claro que para a operadora, a mudança do modelo poderia ter acontecido por meio de Decreto, especialmente, na questão da mudança da telefonia fixa de concessão para autorização, mas entende que se o PL traz uma segurança jurídica maior, a Oi se alinha ao posicionamento das demais empresas do setor.

"Para nós há legalidade para que a mudança já tivesse acontecido", enfatizou Monteiro. Para Marcos Bafutto, diretor de Regulamentação da Telefônica Vivo, há uma situação posta que é: o modelo da telefonia fixa está inadequado e ineficiente e precisa ser mudado. "Se via PL ou decreto vamos depender da profundidade das mudanças pretendidas pelo governo. Temos ciência que o remédio jurídico depende de debates no ecossistema do setor. Mas há uma questão prática e latente: obrigações ultrapassadas que não ajudam os investimentos", ponderou.

O VP da TIM Brasil, Mario Girasole, admite que o setor não é uma prioridade para o governo. E justifica: não o é porque funciona. "Nós estamos falando da história de um modelo que funcionou. Infelizmente, a nossa reputação não é a melhor e estamos trabalhando setorialmente para mudar isso. Mas comemoramos a ausência de más notícias no setor durante os Jogos Olímpicos", afirmou. "Em Londres, o serviço foi lamentável. Aqui, eu, como usuário, enviei um vídeo de 10 Mega na final do futebol masculino no Maracanã. Com todas as dificuldades de infraestrutura, o setor está de parabéns", acrescentou.

O conselheiro da Anatel, Igor de Freitas, diz que embora a legalidade permitisse que a Anatel fizesse as mudanças, foi o PL que trouxe a discussão para a sociedade. "Aqui é um caso de política com P maiúsculo. Há uma certeza de que é necessário retirar os obstáculos trazidos à realidade de investimentos. As obrigações à telefonia fixa, a meu ver, são página virada, claro que dentro de um conjunto de procedimentos a ser respeitado. E coube a Anatel liderar essa discussão e os próximos desafios ligados a Internet e a radiofrequência também terão de passar pela agência", reforça. Assistam ao debate sobre o assunto no 16º Rio Wireless.


Internet Móvel 3G 4G
Brasil já contabiliza mais de 1 smartphone ativo por habitante

Maioria dos brasileiros - 70% - prefere o celular inteligente para acessar à Internet. Em maio, o País terá 306 milhões de dispositivos portáteis em uso, somando smartphones, notebooks e tablets.

Nextel vai pagar R$ 68 milhões pela migração para SMP

Conta diz respeito à adaptação das outorgas na faixa de 800 MHz, ainda em 2015. Valor inicialmente previsto era de R$ 411 milhões.

Teles: bloqueio após o fim da franquia não afronta o Marco Civil da Internet

Em nota oficial, o SindiTelebrasil diz que a "A PROTESTE insiste em querer fazer prevalecer a sua interpretação equivocada sobre a legislação aplicável à Internet".

Oi desembolsa R$ 51 milhões para pagar cerca de 500 credores

Operadora pagou as credores que fizeram a escolha da opção de pagamento em fevereiro. "Este é mais um passo no cumprimento da recuperação judicial", afirma o presidente da companhia, Eurico Teles.

Fox obtém vitória na Justiça do Uruguai e tenta replicar no Brasil decisão contra pirataria

Segundo um relatório da NetNames, de 222 milhões de usuários da internet na América do Sul, 110 milhões acessam conteúdos piratas.

Anatel impõe ligação gratuita à Oi em orelhões em 12 estados

Anatel já adota a medida há seis anos, quando verificou que aproximadamente metade dos orelhões do país não funcionava.

Preterida pelas teles, faixa de 450 MHz está na mira do setor elétrico

Elétricas e Anatel discutem destinação desta e outras faixas em caráter primário para as empresas de utilities. “Precisamos de 10 MHz. E pelo menos seis fornecedores no Brasil têm equipamentos em 450 MHz e outras faixas”, diz Ronaldo Santarem, da UTC AL.


Veja a revista do 61º Painel Telebrasil 2017
Revista do 61º Painel Telebrasil 2017
A edição de 2017 do Painel Telebrasil enfatizou a necessidade de atualização do modelo de telecomunicações e a definição de uma agenda digital para o País.

Painel Telebrasil 2017 - Cobertura Especial ConvergênciaDigital


Clique aqui e acompanhe a cobertura completa do Painel Telebrasil 2017

  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G