INTERNET

STF quer audiência pública sobre bloqueio do WhatsApp

Luís Osvaldo Grossmann ... 27/09/2016 ... Convergência Digital

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, quer fazer um debate público sobre as decisões judiciais que determinaram o bloqueio do Whatsapp no Brasil. Relator da ADPF 403, que serviu de veículo para a liminar em vigor que impede a suspensão do serviço, Fachin argumenta com o “interesse público relevante” sobre o assunto. 

A manifestação foi publicada nesta terça, 27/9, no Diário da Justiça, em despacho pelo qual o relator dá três dias para as partes e demais interessados na Ação de Descumprimento de Preceito Constitucional 403 se manifestem sobre a utilidade de uma audiência pública no Supremo sobre o bloqueio do app.

A ação foi movida pelo Partido Popular Socialista na esteira da segunda decisão judicial que bloqueou o Whatsapp, do TJ de Sergipe, no início de maio deste ano. A ADPF estava tramitando quando veio outra decisão, do Rio de Janeiro. Era recesso legislativo, em julho, e o então presidente do STF Ricardo Lewandowski atendeu o pedido de liminar disparado pelo PPS, suspendendo a nova ordem de bloqueio. O ministro concordou com o argumento do PPS sobre o direito constitucional à comunicação.

“Diante do interesse público relevante e do vencido nos autos, sem prejuízo das questões já suscitadas e a serem arrostadas oportunamente, faculto que se manifestem desde logo no feito a(s) parte(s), os amici curiae e demais interessados, inclusive a PGR, no prazo comum de três (03) dias, sobre a utilidade e a necessidade de realização, neste STF, de eventual audiência pública”, diz o despacho do ministro Fachin publicado nesta terça. 

As partes são o PPS e o juiz Marcel Maia Montalvão, da comarca de Lagarto, terceira maior cidade de Sergipe, cuja ordem para bloqueio do app motivou a ADPF. Os ‘amigos da causa’ até aqui admitidos pelo relator são a Assespro Nacional e o Instituto Beta para Internet e Democracia, Ibidem. 


Decolar.com é multada em R$ 7,5 milhões

Multa foi aplicada pelo pelo Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC). Empreas é acusada de ter praticado diferenciação de preço de acomodações e negativa de oferta de vagas, quando existentes.

PMEs: mais de 50% usam Internet via cabo, com velocidades entre 1Mpbs a 10 Mpbs

Levantamento TICs Empresas 2017 mostra ainda que apenas 19% das PMEs vendem produtos via Internet no Brasil.

Proteste pede que Google e Facebook expliquem uso de dados no Brasil

Com a autorização do TSE para “impulsionamento” de conteúdo eleitoral, entidade cobra as condutas das redes para uso dos dados.

NIC.br ativa OpenCDN em Salvador

Cidade tem número expressivo de redes interligadas ao IX.br.  Em maio, tráfego nos IX bateu a marca de 5 terabits por segundo.

Comércio eletrônico no Brasil deixa de faturar R$ 407,2 mi com greve de caminhoneiros

Levantamento da Ebit diz que pouco mais de 860 mil pedidos deixaram de ser feitos pelos consumidores durante os 11 dias de paralisação dos caminhoneiros.

Revista Abranet 24 . maio-junho-julho 2018
Veja a Revista Abranet nº 23 A Convenção Abranet 2018 reuniu, na Bahia, cerca de cem empresas de internet. As discussões foram além do dia a dia e abordaram aspectos como planejamento, inovação e estratégia.
Clique aqui para ver outras edições

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet - Abranet

Empresas da Internet pedem mais segurança jurídica

“O Marco Civil da Internet trouxe base sólida para criar parâmetros para se ter lei mínima para a Internet seguir avançando, mas, infelizmente, vemos varias iniciativas tentando modifica-lo", afirmou o presidente da Abranet, Eduardo Parajo.

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet

  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G