INTERNET

Fim do contrato com EUA impôs uma revisão de modelo à ICANN

Roberta Prescott ... 07/10/2016 ... Convergência Digital

Desde 1º de outubro, os Estados Unidos não estão mais à frente da supervisão das funções da Autoridade para Atribuição de Números da Internet (IANA, na sigla em inglês para Internet Assigned Numbers Authority), uma vez que encerrou o contrato da Administração Nacional das Telecomunicações e a Informação (NTIA), que pertence ao Departamento de Comércio dos Estados Unidos.

Em entrevista em vídeo para o CDTV, Rodrigo de la Parra, vice-presidente para América Latina da ICANN, explicou que a transição ocorreu sem problemas. A ICANN, conforme Parra explicou em painel sobre governança da internet no Congresso Internacional de Tecnologia da Informação (WCIT 2016), que ocorreu em Brasília nesta semana, está contente com a mudança que era bastante esperada.

A ICANN surgiu em 1998 como uma iniciativa dos EUA para privatizar funções críticas do funcionamento da Internet a uma organização multissetorial. “Nunca houve de fato alguma ingerência dos EUA no dia a dia das operações daICANN. Mas, com muita razão, muitos governos diziam que, apesar de a ICANN  ser multistakeholder, ela tinha um problema [contrato com os EUA]”, disse. Com o término do contrato a prestação de contas da ICANN também foi reorganizada e a entidade passou a reportar para todos os organismos envolvidos, a nível global. Confira detalhes na entrevista.


Banda larga fixa: ISPs adicionam o dobro de novos acessos do que as teles

Foram 122 mil novos acessos de banda larga por parte dos provedores Internet. Já as teles, somadas, adicionaram 60 mil acessos no mês de junho.

Austrália proíbe servidor público de ‘curtir’ ou comentar contra o governo nas redes sociais

País criou um guia de conduta nas redes sociais com regras rigorosas. Uma delas exige que os funcionários públicos removam comentários desagradáveis, mesmo que de terceiros, ainda que naveguem fora de horário de trabalho. 

Banco Central adia regulamentação dos marketplaces

Autoridade Monetária atendeu pleito do setor varejista da Internet e deu mais tempo para a adequação às novas regras. De acordo com a FECOMÉRCIO/SP, pelo menos, 25 mil empresas seriam afetadas com a medida.

STJ diz que Facebook não é obrigado a fazer controle prévio das postagens

Para a ministra do Tribunal, Nancy Andrighi, exigir dos provedores de conteúdo o monitoramento das informações que veiculam “traria enorme retrocesso ao mundo virtual, a ponto de inviabilizar serviços que hoje estão amplamente difundidos no cotidiano de milhares de pessoas”.

ICANN dá vitória à Amazon na briga de domínio com os governos do Brasil e do Peru

Três anos depois de perder a primeira batalha, a provedora conseguiu uma revisão do processo na ICANN e recuperou o dominio .Amazon.

Revista Abranet 21 . junho/agosto 2017
Veja a Revista Abranet nº 21 Convenção Abranet 2017 reuniu provedores de Internet na Bahia para debater não apenas o mercado, mas também a atual situação do Brasil.
Veja também: Oportunidades no Wi-Fi; A revolução do blockchain; WannaCry para a Internet e muito mais.
Clique aqui para ver outras edições

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet - Abranet

Empresas da Internet pedem mais segurança jurídica

“O Marco Civil da Internet trouxe base sólida para criar parâmetros para se ter lei mínima para a Internet seguir avançando, mas, infelizmente, vemos varias iniciativas tentando modifica-lo", afirmou o presidente da Abranet, Eduardo Parajo.

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet

  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G