SEGURANÇA

Publicidade maliciosa é 'nefasta' e provoca prejuízo bilionário na Internet

Convergência Digital ... 31/01/2017 ... Convergência Digital

O uso de falsas propagandas para golpes na internet mais do que duplicou em 2016, afirma um relatório divulgado pela firma americana de cybersegurança RiskIQ, que aponta uma alta de 132% no que chama de ‘malvertising’, ou ‘publicidade maliciosa’. 

“Malvertising como ameaça digital é particularmente efetiva por ser difícil de detectar e remover, porque são entregues por redes de publicidade como Google e Facebook e não residem em páginas web. É usado para propagar malware, ransomware e golpes (publicidade dissimulada), e também redireciona vítimas para páginas de phishing e de exploit kits”, diz o relatório.

Entre os diversos tipos de uso (quadro abaixo), também distintas formas publicidade maliciosa foram identificadas, passando do que eram 3,2 milhões em 2015 para 7,6 milhões no ano passado, conforme a varredura diária da empresa americana de segurança online. E a conclusão é que esse tipo de golpe afeta diretamente o principal pilar financeiro da internet.  De acordo com dados do eMarket, os gastos com publicidade na Internet devem alcançar US$ 674 bilhões até 2020.

“Malvertising é nefasta porque é um ataque direto ao sangue da internet como a conhecemos. Marketing digital é o que financia os websites ‘gratuitos’ que todos conhecemos e usamos online. O sucesso da internet e das pessoas que dependem dela é inseparável do sucesso e da segurança da publicidade online”, sustenta o levantamento. 

Para a RiskIQ, a publicidade maliciosa já afeta o crescimento do mercado publicitário na internet, por incentivar o uso de ferramentas que bloqueiam propagandas, os adblocks. “Como mais e mais usuários estão conscientes dos riscos do malvertising, eles usam adblocks, que reduzem receitas com publicidade digital. Só nos EUA o uso dessas ferramentas cresceu 34,4% no ano passado e deve avançar outros 24% em 2017”, conclui o relatório.

Incidentes

Injeções maliciosas +25.8% 

177.451 (2016)

140.966 (2015)

Detecções binárias de antivírus +22% 

1.793.629 (2016)

1.459.595 (2015)

Golpes (Publicidade dissimulada) +845.9%

4.619.794 (2016)

488.416 (2015)

Redirecionamento para páginas de phising +1,978.9%

828.402 (2016)

39.848 (2015)

Scareware / Trava de browsers +58.1%

362.500 (2016)

229.256 (2015)

Sistemas de distribuição de tráfego +1.9%

602.340 (2016)

590.592 (2015)

Detecções de terceiros -14%

1,550,082 (2016)

1,808,364 (2015)

Software falso +69.9%

669.857 (2016)

394.117 (2015)

TOTAL MALVERTISEMENTS* +132.6%

7.623.099 (2016)

3.277.759 (2015)

* Alguns incidentes caem em mais de uma categoria


Soluções de Segurança para a Sociedade
Não delegue a segurança cibernética apenas para a TI

Para mitigar os riscos com ataques hackers, toda a corporação precisa se unir, adverte Jun Goto, vice-presidente Sênior da NEC Corporation.

Dados do Cartão Nacional de Saúde são vazados de propósito na Internet

Ministério da Saúde descartou ataque hacker e sustentou que houve, sim, o uso indevido de informações obtidas com um login válido.

Hackers criam páginas no Facebook para disseminar promoções falsas no Brasil

Cibercriminosos usam falsas ofertas de grandes marcas do varejo, entre elas, Casas Bahia e Ponto Frio, para atrair o usuário da rede social. Empresa de segurança identificou mais de 100 perfis falsos.

EUA proíbem eletrônicos em voos com origem em 8 países muçulmanos

Dispositivos maiores que smartphones devem ser despachados junto com as bagagens em voos com destino aos Estados Unidos. Segundo o Departamento de Segurança da Pátria, medida faz parte do combate ao terrorismo.

Para ex-chefe da CIA, novas denúncias azedam relação com setor de TI



  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G