SEGURANÇA

Publicidade maliciosa é 'nefasta' e provoca prejuízo bilionário na Internet

Convergência Digital ... 31/01/2017 ... Convergência Digital

O uso de falsas propagandas para golpes na internet mais do que duplicou em 2016, afirma um relatório divulgado pela firma americana de cybersegurança RiskIQ, que aponta uma alta de 132% no que chama de ‘malvertising’, ou ‘publicidade maliciosa’. 

“Malvertising como ameaça digital é particularmente efetiva por ser difícil de detectar e remover, porque são entregues por redes de publicidade como Google e Facebook e não residem em páginas web. É usado para propagar malware, ransomware e golpes (publicidade dissimulada), e também redireciona vítimas para páginas de phishing e de exploit kits”, diz o relatório.

Entre os diversos tipos de uso (quadro abaixo), também distintas formas publicidade maliciosa foram identificadas, passando do que eram 3,2 milhões em 2015 para 7,6 milhões no ano passado, conforme a varredura diária da empresa americana de segurança online. E a conclusão é que esse tipo de golpe afeta diretamente o principal pilar financeiro da internet.  De acordo com dados do eMarket, os gastos com publicidade na Internet devem alcançar US$ 674 bilhões até 2020.

“Malvertising é nefasta porque é um ataque direto ao sangue da internet como a conhecemos. Marketing digital é o que financia os websites ‘gratuitos’ que todos conhecemos e usamos online. O sucesso da internet e das pessoas que dependem dela é inseparável do sucesso e da segurança da publicidade online”, sustenta o levantamento. 

Para a RiskIQ, a publicidade maliciosa já afeta o crescimento do mercado publicitário na internet, por incentivar o uso de ferramentas que bloqueiam propagandas, os adblocks. “Como mais e mais usuários estão conscientes dos riscos do malvertising, eles usam adblocks, que reduzem receitas com publicidade digital. Só nos EUA o uso dessas ferramentas cresceu 34,4% no ano passado e deve avançar outros 24% em 2017”, conclui o relatório.

Incidentes

Injeções maliciosas +25.8% 

177.451 (2016)

140.966 (2015)

Detecções binárias de antivírus +22% 

1.793.629 (2016)

1.459.595 (2015)

Golpes (Publicidade dissimulada) +845.9%

4.619.794 (2016)

488.416 (2015)

Redirecionamento para páginas de phising +1,978.9%

828.402 (2016)

39.848 (2015)

Scareware / Trava de browsers +58.1%

362.500 (2016)

229.256 (2015)

Sistemas de distribuição de tráfego +1.9%

602.340 (2016)

590.592 (2015)

Detecções de terceiros -14%

1,550,082 (2016)

1,808,364 (2015)

Software falso +69.9%

669.857 (2016)

394.117 (2015)

TOTAL MALVERTISEMENTS* +132.6%

7.623.099 (2016)

3.277.759 (2015)

* Alguns incidentes caem em mais de uma categoria


Soluções de Segurança para a Sociedade
Não delegue a segurança cibernética apenas para a TI

Para mitigar os riscos com ataques hackers, toda a corporação precisa se unir, adverte Jun Goto, vice-presidente Sênior da NEC Corporation.

Golpe do 14º salário no WhatsApp atinge 770 mil brasileiros

Os golpistas pedem para o usuário conferir se tem direito a um dinheiro extra.

TSE fecha acordo de cooperação em TI com a Sociedade Brasileira de Computação

Acordo é abrangente e pode abordar tanto a segurança da urna eletrônica como questões internas de informática do Tribunal. 

Guerra cibernética passa a ter mesmo status de armas atômicas nos EUA

Comando Cibernético foi elevado em decisão anunciada por Donald Trump e com o propósito de "enfatizar o desenvolvimento de armas cibernéticas para impedir ataques, punir intrusos e enfrentar adversários".

STF autoriza extradição de hacker que teria fraudado US$ 4,85 milhões nos EUA

Tribunal deferiu pedido do governo dos Estados Unidos para extraditar Michael Knighten, que seria integrante de um grupo de criminosos cibernéticos autodenominado Techie Group.



  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G