TELECOM

Para PGR, Acel e Abrafix não podem propor ação direta de inconstitucionalidade

Luís Osvaldo Grossmann ... 06/02/2017 ... Convergência Digital

O Ministério Público Federal revisou seu posicionamento junto ao Supremo Tribunal Federal e passou a sustentar que a Associação Nacional das Operadoras Celulares (Acel) e a Associação Brasileira de Concessionárias de Serviço Telefônico Fixo Comutado (Abrafix) não podem ser consideradas representativas de classe por reunirem apenas frações do mercado de telecom. Por isso, diz o Procurador Geral da República, não são competentes para propor questionamentos de constitucionalidade ao STF. 

Para Rodrigo Janot, “não podem a Acel e a Abrafix ser consideradas entidades representativas de classe, pois reúnem apenas frações de categoria econômica. Não abrangem, cada uma individualmente considerada, toda a categoria de prestadoras de serviços de telecomunicações – das quais os serviços celular e de telefonia fixa são espécie.”

Como ele mesmo admite, a Procuradoria-Geral da República revisou o próprio posicionamento “e passou a considerar não haver legitimidade da Acel para propor ação direta. Mesmo entendimento deve ser adotado em relação à Associação Brasileira de Concessionárias de Serviço Telefônico Fixo Comutado (Abrafix)”. 

O novo entendimento foi exposto em parecer do PGR em ação direta de inconstitucionalidade movida por ambas as entidades contra uma lei do estado do Mato Grosso do Sul que exige que as operadoras divulguem, na fatura mensal,  “gráfico que demonstre o registro médio diário de entrega da velocidade de recebimento e de envio de dados pela da rede mundial de computadores”.

 A ação foi movida em agosto do ano passado, juntamente com outras duas ADIs, onde Acel e Abrafix questionam outras leis estaduais, de Pernambuco e da Paraíba, que também impõe obrigações às operadoras – de envio de conta pelo correio e de divulgação da qualidade do sinal junto com a venda de chips. Ao menos no caso do Mato Grosso do Sul, a posição do PGR é de extinção das ações, ainda que concorde com a ausência de competência dos estados sobre o tema.


Recuperação judicial: Oi mantém proposta de parcelar dívida com Anatel em até 20 anos

Operadora também prevê negociação para a conversão de multas em investimentos (TACs). A agência reguladora é, hoje, a maior credora da tele com dívida, orçada pela Oi, em R$ 10 bilhões. E pela Anatel em R$ 13 bilhões. Nova versão do plano de recuperação judicial foi apresentada à Justiça. Assembleia de credores está marcada para o dia 23 de outubro.

STF devolve projeto da nova Lei de Telecom para o Senado

Confirmando a expectativa positiva dos presidentes das operadoras, o ministro Alexandre de Moraes, determinou ao Senado a análise dos recursos referentes ao projeto 79/16 e o submeta ao plenário da casa para votação.

Anatel volta a adiar decisões sobre destino da Oi

Análise de três processos sobre a situação econômica da operadora foi retirada da pauta do Conselho Diretor da agência. 

Desacertos entre acionistas e credores da Oi acendem sinal vermelho na Anatel

“A polaridade entre acionistas e parte dos credores extrapola o esperado e gera prejuízo ao desenvolvimento das negociações", adverte o conselheiro Leonardo de Morais.

CEO da Ericsson adota cautela com condenação da Lei de Informática na OMC

CEO global da fabricante, Börje Ekholm, ressaltou que o mundo caminha para o software e que a empresa irá produzir onde 'for mais produtivo e lucrativo'. Brasil está entre os 10 mercados principais da multinacional. Sobre o 5G, o CEO foi taxativo: operadoras não podem mais perder tempo.

Telecom sofre forte queda, mas ainda lidera receita do setor de serviços

Pesquisa Anual dos Serviços do IBGE, referente a 2015, mostra que Telecomunicações gerou uma receita de R$ 162 bilhões, mas caiu de 18,9% no ranking para 11,3%. Tecnologia da Informação também perdeu posição para outros segmentos.


Veja a revista do 60º Painel Telebrasil 2016
Revista do 60º Painel Telebrasil 2016
O Brasil enfrenta uma de suas mais graves crises, e as telecomunicações em banda larga são essenciais para a retomada do desenvolvimento sustentável, com inclusão social, na moderna sociedade da informação e do conhecimento. Este foi o mote dos debates durante o 60º Painel Telebrasil, realizado nos dias 22 e 23 de novembro, em Brasília.

  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G