GOVERNO » Política Industrial

Governo indica diretrizes e diz que terá plano de ações para IoT em seis meses

Luís Osvaldo Grossmann ... 27/02/2017 ... Convergência Digital

O governo anunciou nesta segunda, 27/2, em Barcelona, durante o Mobile World Congress, o que entende como as diretrizes para um plano nacional para a internet das coisas. Essa estratégia em si deve ser apresentada em setembro, fruto das discussões de um GT sobre o tema que une setores público e privado, além do trabalho de uma consultoria contratada pelo BNDES. 

Com base nessas diretrizes, a ideia é que o plano de IoT necessariamente aborde o impacto na sociedade, ambiente regulatório (tanto via Anatel como instrumentos de desoneração fiscal), infraestrutura e conectividade, inovação e ecossistemas, talentos (capacitação), investimento e financiamento, e internacionalização. 

No Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, a leitura é de que a internet das coisas ainda não tem lideranças globais claras e que o Brasil pode fazer parte desse grupo. “A tecnologia, o hardware, isso já existe. Já existem casas automatizadas. Mas a aplicação e o tratamento das informações geradas para otimizar o funcionamento do sistema pode ser por onde o Brasil vai se tornar muito competitivo nas aplicações”, diz o diretor de C&T da pasta, José Gontijo. 

Pelo cronograma previsto, até setembro haverá uma versão final do documento completo do plano de IoT, com a indicação de ações concretas, as verticais escolhidas, e ações de curto, médio e longo prazo. Antes disso, entre abril e junho a consultoria escolhida pelo BNDES e o GT de IoT, que reúne governo e empresas, vai trabalhar investigação e seleção das verticais. Segundo o MCTIC, ao longo do caminho os pontos serão objeto de consultas públicas permanentes. 

Também durante o evento em Barcelona foram assinados dois acordos. Um para a participação do Brasil em debates globais sobre 5G promovidos por EUA, China, Europa, Japão e Coreia do Sul e outro entre a brasileira Telebrasil e a europeia 5G Infraestructure Association, ou 5G-PPP, que reúne operadoras e centros de pesquisas. 


Diretor da Dataprev que propôs demitir mil funcionários pede exoneração

Desafeto político do presidente da estatal, Leandro Magalhães, Júlio César de Araújo Nogueira foi imposto para a diretoria da empresa pelo ex-ministro do Planejamento, Dyogo Henrique de Oliveira, que, agora, segue para a presidência do BNDES.

Câmara aprova urgência para votar a reoneração da folha de pagamento

Empresas de TI e de Call center podem ter de voltar a contribuir com alíquota de 20% , após 90 dias da publicação da nova legislação.

Decreto cria estrutura multissetorial para cuidar da transformação digital

A tradicional SEPIN, secretaria de Políticas de Informática, deixa de existir e se transforma na SEPOD, secretaria de políticas digitais, com Thiago Camargo Lopes à frente. Como política de Estado,  cobrança de resultados acontecerá em diversas pastas.

Estratégia Digital reúne antigas demandas e programas repaginados

Escolas conectadas, incentivos a isenções de ICMS, uso do Fust, apoio a startups, estímulo a exportações e até um novo Proinfo fazem parte das ações estratégicas que estimulem a economia digital no Brasil.

Jarbas Valente assume Telebras. Maximiliano Martinhão volta ao MCTIC

Seis meses e meio depois de assumir a presidência da Telebras, Martinhão, que estava antes à frente da SEPIN, retorna ao Ministério. Ele vai cuidar da Secretaria de Inovação.



  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G