TELECOM

Nextel Brasil comemora ARPU alto, mas matriz admite 'caixa desconfortável'

Convergência Digital* ... 09/03/2017 ... Convergência Digital

A Nextel Brasil anunciou nesta quinta-feira, 09/03, os resultados financeiros registrados no 4º trimestre do ano passado. A operadora fechou 2016 com um incremento de 24% nas receitas relacionadas à tecnologia 3G/ 4G comparado ao ano anterior.

O balanço reporta ainda que as iniciativas para otimização de processos promovidas pela nova gestão da Nextel resultaram em uma redução de 24% nas despesas operacionais e de 27% nos custos de aquisição por cliente, também comparado ao ano de 2015. Adicionados ao aumento na receita de 3G/4G e ao crescimento da base, os resultados culminaram no registro do EBITDA ajustado positivo pelo quarto trimestre consecutivo.

Em comparação com 2015, o EBITDA ajustado saltou de um resultado negativo de R$ 294,9 milhões para um saldo positivo de R$ 204,1 milhões. A receita total de 3G/ 4G cresceu 7% no 4º trimestre em comparação ao mesmo período do ano anterior. O desempenho anual foi 24% superior ao registrado em 2015.

O balanço mostra ainda que, enquanto as empresas do setor registraram retração em sua base de clientes, a Nextel obteve crescimento de 3% dentre os usuários de 3G/4G entre dezembro de 2015 e dezembro de 2016 -, passando de 2,745 milhões de clientes para 2,815 milhões.

Na comparação entre o 4º trimestre de 2015 e o 4º trimestre de 2016, as adições brutas por meio de portabilidade passaram de 27% para 33% do total das novas aquisições de 3G voz.Em relação às despesas operacionais, houve redução de 17% no 4º trimestre de 2016 em comparação ao mesmo período do ano anterior.

No acumulado de 2016, as despesas caíram 24% em relação a 2015. Em relação ao último trimestre de 2015, o custo de aquisição por cliente (do inglês CPGA*) registrou queda de 7%. No acumulado do ano, a queda foi de 27%.O ARPU3G/4G registrado no período foi de R$ 69,40, bastante comemorado pela tele por ser o mais alto do mercado.

A controladora da Nextel Brasil, a NII Holdings, que manteve a operação brasileira como o único ativo, também divulgou seus resultados. Em 2016, a empresa perdeu 18,8% em receita operacional, que ficou em US$ 985 milhões (cerca de R$ 3 bilhões). A operação brasileira é o único ativo da holding. Os custos operacionais passaram US$ 689,1 milhões em 2015, para US$ 2,5 bilhões em 2016, devido a baixas contábeis realizadas ao longo do ano, no valor de mais de US$ 1,38 bilhão. A companhia teve prejuízo líquido de US$ 1,55 bilhão, ante lucro de US$ 1,45 bilhão um ano antes.

No balanço, o CEO NII Holdings, Steve Shindler, admite que a posição de caixa da companhia é desconfortável. A empresa terminou o ano com US$ 257,4 milhões em caixa, menos que os US$ 340 milhões de 2015. “Realizamos uma série de iniciativas para diminuir a queima de caixa. Mas os desafios enfrentados no Brasil e o serviço da dívida estão pressionando nossa liquidez”, completou. A NII Holdings informou ainda que alongou a dívida com os credores ao longo de 2016.


Internet Móvel 3G 4G
5G vai massificar o uso das small cells no Brasil

Mais do que prometer altas velocidades, o 5G exige das operadoras móveis uma reestruturação dos ambientes de infraestrutura, acesso, core da rede e de aplicações de negócios.

Recursos de numeração serão geridos por entidade fora da Anatel

Seguindo os moldes da portabilidade e das negociações de atacado, a operação será transferida para empresa contratada pelas teles, provavelmente a ABR Telecom.

TV paga: Operadoras, agora, esperam Globo e Band

O contrato firmado pela Record, SBT e RedeTV! com Net, Claro TV, Sky e Vivo estabeleceu um custo de R$ 0,60 por assinante. A Oi ficou de fora do acerto.

São Paulo, com menos 350 mil linhas, é a maior baixa da telefonia fixa

Em 12 meses, as concessionárias perderam mais de 1 milhão de linhas, de acordo com dados da Anatel. TIM e Algar Telecom registraram o melhor desempenho. Claro Brasil, com Embratel e NET, perdeu quase 500 mil linhas.

Acórdão abre caducidade da Sercomtel e congela bens da concessionária

Para a operadora, que tem quase 300 mil clientes, decisão era esperada e “na prática, nada muda”. 

Embratel investe em banda KA com novo satélite Star One D2

Operadora planeja lançar o novo equipamento, que será o décimo segundo dela, no final de 2019. Escolha dos fornecedores será anunciada em outubro. Além da banda KA, satélite terá banda C e KU. Os valores aportados não foram revelados.

TV paga: Sky, da AT&T, se acerta com RedeTV!, Record e SBT

Empresas chegaram a um acordo financeiro e o sinal será retomado para os 5,5 milhões de assinantes. Falta, agora, o acerto com o Grupo América Móvil, dono da NET, Claro e Embratel.


Veja a revista do 60º Painel Telebrasil 2016
Revista do 60º Painel Telebrasil 2016
O Brasil enfrenta uma de suas mais graves crises, e as telecomunicações em banda larga são essenciais para a retomada do desenvolvimento sustentável, com inclusão social, na moderna sociedade da informação e do conhecimento. Este foi o mote dos debates durante o 60º Painel Telebrasil, realizado nos dias 22 e 23 de novembro, em Brasília.

  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G