TELECOM

Telefonia fixa perde 1,72 milhão de linhas em 12 meses

Da redação ... 13/03/2017 ... Convergência Digital

Nos últimos 12 meses, as empresas autorizadas e concessionárias da telefonia fixa apresentaram queda de 1,72 milhão de linhas (-3,96%) de acordo com dados divulgados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), nesta segunda-feira, 13/03. As autorizadas na telefonia fixa apresentaram queda de 1,04 milhão (-5,77%) em janeiro de 2017 quando comparadas com janeiro de 2016, neste mesmo período as concessionárias apresentaram um declínio de 678,26 mil linhas fixas (-2,68%).

No entanto, na comparação janeiro de 2017 com dezembro de 2016, a queda percentual das concessionárias e autorizadas foi semelhante -0,33%, as primeiras apresentaram redução de 1,04 milhão de linhas fixas e as segundas de menos 56,72 mil linhas. A concessionária Oi apresentou queda de 767,63 mil linhas fixas (-5,16) nos últimos doze meses.

As outras apresentaram aumento, Vivo (Telefônica) mais 69,12 mil linhas (+ 0,72%), Algar Telecom (CTBC Telecom) mais 13,01 mil (+ 1,80%), Sercomtel (Prefeitura de Londrina /Copel) aumento de 7,14 mil linhas (+ 4,24%). Destaca-se a Claro (Telecom Américas) que apresentou aumento de + 6,17% com a entrada de 100 mil novas linhas.

Entre as autorizadas, a Algar apresentou crescimento de 28,54 mil novas linhas (+12,74%) de janeiro de 2017 a janeiro de 2016, seguida pela Sercomtel com 11.369 mil (+15,3%). Outros grupos apresentaram redução, TIM (Telecom Itália) menos 79,80 mil linhas fixas (-13,25%), Vivo menos 608, 91 mil (-11,4%) e  a Claro apresentou queda de 422,81 mil linhas fixas (-3,68%).

Na comparação janeiro de 2017 a dezembro de 2016, a concessionária Oi apresentou queda de 50,40 mil linhas fixas (-0,36%) e a Vivo menos de 33,67 mil (-0,35%). Destaque para o crescimento da concessionária Algar, mais 1,77 mil linhas fixas (0,24%). No entanto, como autorizada a Algar apresentou redução de 3,80 mil linhas (-1,53%) e enquanto a Claro apresentou redução de 68,00 mil linhas (-0,61%) no modelo de autorização.

Nos últimos doze meses os estados que apresentaram as maiores quedas percentuais foram Amapá com menos 6,52 mil linhas fixas (-13,57%), Rio Grande do Norte com redução de 26,58 mil linhas (-8,68%) e Maranhão menos 29,78 mil linhas (-8,55%). Os únicos estados que apresentaram aumento no número de linhas foram Santa Catarina, com aumento de 8,87 mil linhas (+0,53%), Mato Grosso do Sul com 2,14 mil (+0,44%), Goiás com 2,74 mil (+0,22%) e Mato Grosso com 1,01 mil (+0,20%).

Entre dezembro de 2016 e janeiro de 2017, o estado que apresentou o maior crescimento da base de assinantes foi Santa Catarina com 14,34 mil linhas fixas (+0,86%). Os estados do Acre, Goiás e Roraima apresentaram crescimentos abaixo de 100 linhas. As maiores reduções percentuais foram no Rio Grande do Norte com menos 5,77 mil linhas (- 2,02%), Amapá menos 41.961 linhas (- 1,02%) e Ceará com redução de 4,70 mil linhas fixas (-0,63%).

*Com informações da Anatel


Grupo de credores rejeita novo plano de recuperação judicial da Oi

Os Comitês Diretivos do Comitê Internacional de Bondholders e do Grupo Ad Hoc de Bondholders da Oi 'se opõem de forma veemente aos termos propostos pela Oi, que deixa de tratar os credores de forma justa e equitativa'.

Polícia Civil desarticula esquema de "gato" de TV por assinatura em São Paulo

Quadrilha fornecia clandestinamente pacotes de TV paga para mais de cinco mil pessoas no Estado de São Paulo. Fraude atingia as operadoras Claro TV, Net e Sky.

STF exclui o ICMS da base de cálculo do PIS e da Cofins

Governo ameaça, agora, aumentar tributos para compensar a perda estimada em R$ 20 bilhões ao ano.

Proteste: Novo marco de telecom muda regra do jogo e ignora ganhos das teles

“O TCU destaca riscos associados ao processo de revisão do modelo, dano ao erário por inexatidão no cálculo e favorecimento a partes interessadas. Esse projeto foi feito sem transparência”, diz advogada da associação de defesa dos consumidores, Flávia Lefèvre.

Telefônica/Vivo: Das grandes concessionárias, três quebraram e uma terá déficit

“A Embratel quebrou em 2004. A Brasil Telecom e a Oi entraram em recuperação judicial. E a Telefônica, que tinha um estado mais fácil, será deficitária a partir do ano que vem”, diz o presidente da Telefônica/Vivo, Eduardo Navarro.

Febratel diz que nova Lei de Telecom 'não é um presente para as teles'

Entidade elenca pontos de discussões e ressalta que não há a transferência de patrimônio público para o privado e que todo valor a ser discutido passará pela Anatel e pelos órgãos de controle.


Veja a revista do 60º Painel Telebrasil 2016
Revista do 60º Painel Telebrasil 2016
O Brasil enfrenta uma de suas mais graves crises, e as telecomunicações em banda larga são essenciais para a retomada do desenvolvimento sustentável, com inclusão social, na moderna sociedade da informação e do conhecimento. Este foi o mote dos debates durante o 60º Painel Telebrasil, realizado nos dias 22 e 23 de novembro, em Brasília.

  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G