GOVERNO » Compras Governamentais

TCU: faltam estratégia e coordenação na compra pública de TI

Luís Osvaldo Grossmann e Pedro Costa ... 20/03/2017 ... Convergência Digital

A fragmentação da produção e compra de tecnologia da informação entre os diversos órgãos do governo reduz a eficiência e aumenta os gastos públicos. A análise do Tribunal de Contas da União é de que o Estado precisa trabalhar com ganhos de escala, o que exige estratégia e coordenação. 

“A questão de escala é importante para que a gente promova ganhos de eficiência nas organizações governamentais. A gente tem acompanhado os modelos e as estratégias de TI ao longo dos últimos 10 anos e o que a gente nota é uma repetição de esforços. Muitas organizações fazem soluções ou desenvolvem estruturas que atendem apenas a própria necessidade e isso é muito caro”, disse o secretário de fiscalização de TI do Tribunal de Contas da União, Márcio Braz. 

Mas como lembrou durante o 2º Seminário Brasscom Políticas Públicas & Negócios, realizado nos dias 15 e 16 de março, em Brasília, isso exige uma estratégia comum. “A gente só vai ter ganhos de eficiência quando conseguirmos orquestrar as organizações públicas a trabalhar sob uma mesma estratégia. Não significa centralizar todo o serviço e produção de TI em um único organismo, que seria péssimo para inovação, mas propiciar que soluções às vezes simples não sejam feitas de maneira duplicada.”

“A estratégia de compra tem que estar ligada à estratégia de governança, à estratégia digital do governo como um todo. Se as compras públicas não estiverem alinhadas à estratégia, o órgão pode até fazer uma boa compra, necessária para sua realidade, mas sob o ponto de vista do governo como um todo não seria mais indicada, por atender apenas àquele ministério. Na medida que a gente consiga pensar no mais eficiente para o Estado, a gente consegue avançar no ganho de escala e ter economias que são necessárias.” Assistam a entrevista.


Call centers alegam que aumento no PIS/Cofins cortaria 5% do faturamento

Segmento adere a grita do setor de serviços contra os estudos anunciados pelo Ministério da Fazenda de correção do tributo para compensar perdas de receitas.

Casa Civil tenta padronizar análises de Impacto Regulatório nas agências

Estão em consulta pública até 1 de novembro propostas de diretrizes gerais além de um guia específico para orientar a elaboração das AIR pela Anatel e os demais órgãos reguladores. 

Serpro/ITI iniciam atualização dos certificados SSL dos sites do Governo

Instituto Nacional de Tecnologia da Informação informa que serão emitidos certificados digitais na cadeia v2 pela ACSerpro para encerrar as menasgens 'esta conexão não é confiável' nos sites do governo federal. Entidade, no entanto, não divulgou um cronograma de atualização.

Dataprev se candidata a ser fornecedora de serviços digitais para Governo

Estatal já tem funcionando o Cidadão BR, com autenticações de 2,5 milhões de pessoas e oferta de serviços como busca de empregos e aplicações do INSS. Neste momento, governo faz uma consulta pública para a compra de plataforma na nuvem para oferta digital ao cidadão.

MCTIC precisa de R$ 2 bi para fechar ano e fala em 'pressão saudável' por recursos

"Temos que trabalhar, lutar e pressionar, porque não é um recurso que surge do nada. É um recurso muito disputado", advertiu o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab.



  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G