SEGURANÇA

Cisco identifica 318 switches vulneráveis à espionagem da CIA

Luís Osvaldo Grossmann ... 20/03/2017 ... Convergência Digital

Pelo menos 318 switches produzidos pela Cisco são vulneráveis a invasões, reconhece a própria fabricante ao analisar documentos divulgados pelo Wikileaks que mostram a capacidade da CIA de usar ataques maliciosos para assumir o controle dos equipamentos. 

“Um exploit pode permitir a um atacante executar códigos arbitrários e obter total controle do equipamento ou provocar o recarregamento do dispositivo afetado”, informou a própria empresa em um comunicado divulgado na sexta, 17/3, no qual também são listados todos os modelos vulneráveis. 

A empresa está trabalhando em atualizações de software que possam tratar do problema, mas como ela mesma admite no aviso, por enquanto não há como contornar as vulnerabilidades identificadas. A lista com todos os modelos identificados pode ser conferida nesta link

Segundo a empresa, as falhas foram identificadas a partir dos documentos divulgados pelo Wikileaks em 7/3, na denúncia apelidada de ‘Cofre 7’. Segundo eles, a CIA contratou um exército de hackers que desenvolveram mais de mil programas, vírus, trojans, etc capazes de espionar dispositivos eletrônicos que rodam Android, iOS e Windows, e até mesmo transformar televisores da Samsung em ‘grampos’ ambientais.


Soluções de Segurança para a Sociedade
Não delegue a segurança cibernética apenas para a TI

Para mitigar os riscos com ataques hackers, toda a corporação precisa se unir, adverte Jun Goto, vice-presidente Sênior da NEC Corporation.

Golpe do 14º salário no WhatsApp atinge 770 mil brasileiros

Os golpistas pedem para o usuário conferir se tem direito a um dinheiro extra.

Brasil sofre 55% dos ataques de ransomware na América Latina

Segundo números divulgados pela Kaspersky Lab, esse tipo de ameaça registrou aumento de 30% entre 2016 e 2017.

TSE fecha acordo de cooperação em TI com a Sociedade Brasileira de Computação

Acordo é abrangente e pode abordar tanto a segurança da urna eletrônica como questões internas de informática do Tribunal. 

Guerra cibernética passa a ter mesmo status de armas atômicas nos EUA

Comando Cibernético foi elevado em decisão anunciada por Donald Trump e com o propósito de "enfatizar o desenvolvimento de armas cibernéticas para impedir ataques, punir intrusos e enfrentar adversários".



  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G