Home - Convergência Digital

Sem pessoas, empresas não vão ter sucesso na transformação digital

Convergência Digital - Carreira
Ana Paula Lobo e Pedro Costa - 20/03/2017

Os principais ativos das empresas que buscam a transformação digital são as pessoas – e não há como ter sucesso na empreitada sem profissionais de qualidade. É o que aponta o diretor executivo de mobilidade, fluig & analytics da Totvs, Mario Almeida, ao colocar as pessoas como pontapé inicial das mudanças. 

“As pessoas são o centro de toda essa transformação, seja do ponto de vista de criadores de novas soluções e inovações, seja na visão de consumidores. A revolução passa por educação contínua. Você tinha um estudo e durante certo ponto da vida consumia esse aprendizado. Hoje em dia você tem estudo, mas não só consome depois, continua estudando ao longo da curva profissional ou pessoal o resto da vida”, disse o executivo ao participar do 2º Seminário Brasscom Políticas Públicas & Negócios, realizado nos dias 15 e 16 de março, em Brasília.

Esse profissional, porém, tem que estar preparado para a nova realidade. “É um profissional multifacetado. Não é mais o sujeito que só entende de tecnologia. Hoje você encontra muitos engenheiros de diversas categorias na área de inovação tecnológica. A tecnologia permeia todas as áreas. Então na medicina hoje se fala muito de tecnologia. Se for para o lado educacional, não existe hoje professor sem habilidades digitais. Todas as atividades estão sendo impactadas. Algumas já absorveram isso, outras estão se acostumando.”

Para o executivo da Totvs, ferramentas hoje disponíveis podem ajudar, ainda que não resolvam completamente, a demanda pelo pessoal qualificado que aponta como essencial. “Isso também existe em países de centro. Continua havendo déficit de profissionais de tecnologia nos Estados Unidos e países centrais. No nosso caso o problema talvez seja mais grave por conta da nossa escala, a gente precisa de muita gente. Talvez seja uma questão momentânea, porque hoje não se precisa mais necessariamente frequentar uma faculdade de tecnologia para saber programar. Dá para aprender assistindo videoaulas em casa.” Assistam a entrevista.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

16/11/2017
Blockchain vai "descommoditizar" o agronegócio

13/11/2017
TCU não tem a função de regular Telecom, mas Anatel não está imune à prestação de contas

13/11/2017
Governo discute se IoT é valor adicionado ou Telecomunicações

10/11/2017
Sociedade civil: Banda larga precisa ser prestada no regime público

10/11/2017
Reforma tributária: Telecom fica na categoria do imposto seletivo

09/11/2017
André Borges: Plano de banda larga não existe porque não há dinheiro

09/11/2017
Lei 157 encerra conflito ICMS X ISS nos serviços de TICs

08/11/2017
Verizon vai para a briga com Google e Facebook no Brasil

08/11/2017
Zero rating: precisa se analisar se há efeito anticompetitivo e se há quebra de neutralidade

08/11/2017
Transformação digital: desafio é o equilíbrio entre o legado e os novos hábitos

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Quatro lições para dar coragem e autonomia às pessoas

Por Amanda Matos Cavalcante*

As pessoas são os principais e mais importantes ativos de uma corporação.

Destaques
Destaques

Regras da reforma trabalhista vão ser incorporadas ao eSocial

Novo regime fiscal será obrigatório para grandes companhias a partir do início de 2018 e para todas as demais empresas do país a partir de julho próximo. Receita descarta adiamento.

Reforma trabalhista: Não haverá contrato novo ou velho

“Se não, muitos empresários poderiam dispensar os trabalhadores da ‘lei velha’ e contratar outros com contrato novo, pela ‘lei nova’. Para não haver esse perigo, a lei aplica-se a todos os contratos em vigor no Brasil”, explica o Juiz do Trabalho, Marlos Melek.

Reforma trabalhista entra em vigor em novembro no Brasil

O presidente Michel Temer sancionou a reforma Trabalhista, sem vetos, mas garante que enviará uma Medida Provisória para dar mais transparência a pontos como, por exemplo, se haverá ou não a exigência de um prazo de 18 meses para o traballhador terceirizado ser recontratado. Presidente do TST, Ives Gandra Filho, diz que lei traz 'segurança jurídica'.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site