Home - Convergência Digital

Sem pessoas, empresas não vão ter sucesso na transformação digital

Convergência Digital - Carreira
Ana Paula Lobo e Pedro Costa - 20/03/2017

Os principais ativos das empresas que buscam a transformação digital são as pessoas – e não há como ter sucesso na empreitada sem profissionais de qualidade. É o que aponta o diretor executivo de mobilidade, fluig & analytics da Totvs, Mario Almeida, ao colocar as pessoas como pontapé inicial das mudanças. 

“As pessoas são o centro de toda essa transformação, seja do ponto de vista de criadores de novas soluções e inovações, seja na visão de consumidores. A revolução passa por educação contínua. Você tinha um estudo e durante certo ponto da vida consumia esse aprendizado. Hoje em dia você tem estudo, mas não só consome depois, continua estudando ao longo da curva profissional ou pessoal o resto da vida”, disse o executivo ao participar do 2º Seminário Brasscom Políticas Públicas & Negócios, realizado nos dias 15 e 16 de março, em Brasília.

Esse profissional, porém, tem que estar preparado para a nova realidade. “É um profissional multifacetado. Não é mais o sujeito que só entende de tecnologia. Hoje você encontra muitos engenheiros de diversas categorias na área de inovação tecnológica. A tecnologia permeia todas as áreas. Então na medicina hoje se fala muito de tecnologia. Se for para o lado educacional, não existe hoje professor sem habilidades digitais. Todas as atividades estão sendo impactadas. Algumas já absorveram isso, outras estão se acostumando.”

Para o executivo da Totvs, ferramentas hoje disponíveis podem ajudar, ainda que não resolvam completamente, a demanda pelo pessoal qualificado que aponta como essencial. “Isso também existe em países de centro. Continua havendo déficit de profissionais de tecnologia nos Estados Unidos e países centrais. No nosso caso o problema talvez seja mais grave por conta da nossa escala, a gente precisa de muita gente. Talvez seja uma questão momentânea, porque hoje não se precisa mais necessariamente frequentar uma faculdade de tecnologia para saber programar. Dá para aprender assistindo videoaulas em casa.” Assistam a entrevista.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

13/08/2018
Inovação no Brasil não olha para a estratégia de produtos

10/08/2018
Blockchain vai pagar imposto no Brasil

08/08/2018
Brasil não pode ser um mero importador de Tecnologia em Internet das Coisas

07/08/2018
Médias empresas de TICs estão largadas à própria sorte e sem políticas públicas

07/08/2018
Apagão de mão de obra exige o uso de robôs na segurança cibernética

06/08/2018
Empreendedorismo brasileiro não pode ficar refém de 'sabores políticos'

06/08/2018
Fabricantes tornam Internet das Coisas um ambiente sem segurança

03/08/2018
Paraná coordenará rotas de TI com Inteligência Artificial no Brasil

03/08/2018
Telefônica briga pelo mercado de big data com Facebook e Google

02/08/2018
Brasil requer uma agenda única para migrar à indústria 4.0

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Como a expatriação fortalece empresa e funcionários?

Por MarcosSantos*

O processo, que consiste em enviar profissionais para trabalhar na unidade da mesma empresa em outro país, promove uma troca de conhecimento entre a equipe da unidade estrangeira e novo colaborador, uma experiência enriquecedora de ampliação de  expertises e de uma nova atmosfera de trabalho.

Destaques
Destaques

'Jogo de cintura' não é balela. É sobrevivência

Mas toda flexibilidade exige limite. Um profissional precisa ter uma meta, um plano de carreira bem claro. A inflexibilidade também tem um custo para o profissional que se recusa a ver os novos tempos.

Funcionários brasileiros burlam regras de segurança de TI por software e apps

Justificativas para a quebra da hierarquia são variáveis, entre elas desponta 'porque os software baixados são melhores do que o que a minha empresa oferecia". No Brasil, boa parte não entende o efeito da Inteligência Artificial.

Brasileiro revela pavor de perder o emprego

Estudo da Confederação Nacional da Indústria mostra que os profissionais brasileiros nunca ficaram tão preocupados com o emprego quanto agora. Sentimento cresce entre os homens, mas são as mulheres as mais assustadas com a possibilidade de demissões.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site