Home - Convergência Digital

Sem pessoas, empresas não vão ter sucesso na transformação digital

Convergência Digital - Carreira
Ana Paula Lobo e Pedro Costa - 20/03/2017

Os principais ativos das empresas que buscam a transformação digital são as pessoas – e não há como ter sucesso na empreitada sem profissionais de qualidade. É o que aponta o diretor executivo de mobilidade, fluig & analytics da Totvs, Mario Almeida, ao colocar as pessoas como pontapé inicial das mudanças. 

“As pessoas são o centro de toda essa transformação, seja do ponto de vista de criadores de novas soluções e inovações, seja na visão de consumidores. A revolução passa por educação contínua. Você tinha um estudo e durante certo ponto da vida consumia esse aprendizado. Hoje em dia você tem estudo, mas não só consome depois, continua estudando ao longo da curva profissional ou pessoal o resto da vida”, disse o executivo ao participar do 2º Seminário Brasscom Políticas Públicas & Negócios, realizado nos dias 15 e 16 de março, em Brasília.

Esse profissional, porém, tem que estar preparado para a nova realidade. “É um profissional multifacetado. Não é mais o sujeito que só entende de tecnologia. Hoje você encontra muitos engenheiros de diversas categorias na área de inovação tecnológica. A tecnologia permeia todas as áreas. Então na medicina hoje se fala muito de tecnologia. Se for para o lado educacional, não existe hoje professor sem habilidades digitais. Todas as atividades estão sendo impactadas. Algumas já absorveram isso, outras estão se acostumando.”

Para o executivo da Totvs, ferramentas hoje disponíveis podem ajudar, ainda que não resolvam completamente, a demanda pelo pessoal qualificado que aponta como essencial. “Isso também existe em países de centro. Continua havendo déficit de profissionais de tecnologia nos Estados Unidos e países centrais. No nosso caso o problema talvez seja mais grave por conta da nossa escala, a gente precisa de muita gente. Talvez seja uma questão momentânea, porque hoje não se precisa mais necessariamente frequentar uma faculdade de tecnologia para saber programar. Dá para aprender assistindo videoaulas em casa.” Assistam a entrevista.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

19/10/2018
Roubo de dados e DDoS se amplificam e vão dar muita dor de cabeça às empresas

19/10/2018
Embratel vai fazer teste de integração de satélite com 5G na faixa de 3,5 GHz

19/10/2018
Sem integração, é impossível desenvolver IoT no Brasil

19/10/2018
Novo edital para Cidades Digitais exige compartilhamento das fibras

19/10/2018
Só com conectividade, teles não vão ganhar dinheiro com IoT

19/10/2018
Huawei: Brasil ainda está incipiente em cidades inteligentes

17/10/2018
Embratel: governança de dados desafia as operadoras

16/10/2018
TIM: virtualização de 21 datacenters está feita e prepara rede 5G

14/10/2018
Top2You: A aceleradora de gente que tem como negócio incentivar a conversa

14/10/2018
Energy2go planeja ter 400 pontos de energia móvel no Rio de Janeiro

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Como a expatriação fortalece empresa e funcionários?

Por MarcosSantos*

O processo, que consiste em enviar profissionais para trabalhar na unidade da mesma empresa em outro país, promove uma troca de conhecimento entre a equipe da unidade estrangeira e novo colaborador, uma experiência enriquecedora de ampliação de  expertises e de uma nova atmosfera de trabalho.

Destaques
Destaques

Empregos em TI dobram em 10 anos e passam de 500 mil no Brasil

O Panorama do Setor de TICs 2018, elaborado pela Assespro Nacional, em parceria com a Assespro Paraná e a Universidade Federal do Paraná avaliou o período de 2006 a 2016. São Paulo lidera com 43% dos empregos, bem à frente dos demais Estados.

Decisão do STF a favor da terceirização não respalda a pejotização

Advogados procurados pelo portal Convergência Digital sustentam que a dispensa de empregados para a contratação como terceirizados pode caracterizar a subordinação e punição à corporação

'Jogo de cintura' não é balela. É sobrevivência

Mas toda flexibilidade exige limite. Um profissional precisa ter uma meta, um plano de carreira bem claro. A inflexibilidade também tem um custo para o profissional que se recusa a ver os novos tempos.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site