TELECOM

Embratel leva Internet das Coisas para a gestão do Grupo Serttel

Ana Paula Lobo e Pedro Costa ... 21/03/2017 ... Convergência Digital

Já há uso efetivo dos pilares da transformação digital - mobilidade, cloud, informação e Internet das Coisas. Um dos cases é do grupo Serttel, que aluga bicicletas em todo o país, que adota Internet das Coisas para a liberação da bicicleta para o rastreamento, de forma integrada e hosteada na nuvem, com a geração de dados para um trabalho em tempo real, revela o diretor de soluções digitais da Embratel, Mário Rachid.

O executivo, no entanto, admite que os projetos de cidade inteligente estão mais distantes por conta das questões macroeconômicas e políticas do país. Em entrevista à CDTV, do portal Convergência Digital, durante o 2º Seminário Brasscom Políticas Públicas & Negócios, Rachid diz que o uso efetivo dos dados ainda engatinha, mas já é possível avaliar que eles estão se tornando o principal ativo das empresas, inclusive no próprio grupo América Móvil.

“Hoje a empresa que consegue tirar proveito dos dados tem um diferencial competitivo em relação aos demais. O dado, me arrisco a dizer, é hoje o maior bem que uma empresa pode ter. A gente vê algumas empresas começando a usar esses dados. No nosso caso usamos dados para melhorar a experiência dos clientes, consigo identificar por exemplo se na região o celular não está pegando bem. Mas isso ainda é embrionário, precisamos aprender mais", pontua.

O ecossistema que permite as novas tecnologias avançarem, porém, já passou para um novo estágio, especialmente na disseminação do uso da computação em nuvem, que começou pelo setor privado mas começa a chegar também ao Poder Público, acrescenta Rachid. “A nuvem pegou. É uma realidade e vai crescer o uso. O governo demorou um pouco, se não a entender, a soltar as contratações. Hoje temos duas ou três licitações governamentais importantes em andamento no aspecto de cloud. Eles entendem, conhecem o assunto, mas talvez tivessem que ter feito isso um pouco mais atrás.”

Segundo ainda o diretor de soluções digitais da Embratel, o fato de o governo correr atrás disso agora é outro sinal de sucesso da nova onda tecnológica. “O privado partiu na frente e o governo está vindo atrás, tentando tirar o tempo perdido. E o fato de estar se movimentando mais rápido agora mostra que a cloud já é uma realidade não só para o mercado corporativo, mas para o mercado global. Hoje tem empresas e entidades governamentais que vão nascer usando cloud. Mas ainda temos algum descompasso entre o privado e o governamental.” Assistam a entrevista.


Vivo lança planos de voz ilimitados para PMEs

Iniciativa chega ao mercado B2B e também envolve a oferta de planos de dados. Preços variam de R$ 99,99 a R$ 237.99.

Oi troca cobre por FTTH em Duque de Caxias, Rio de Janeiro

Detentora da maior planta de par metálico no Brasil, a operadora planeja expandir o piloto para outras cidades onde a infraestruutra é mais crítica de qualidade.

Prestadoras de serviços de telecom investiram R$ 28 bilhões no Brasil

Receita bruta, no entanto, caiu 5% e ficou em R$ 226 bilhões. Aportes maiores foram em expansão de infraestrutura.

Disputa da TV paga com SBT, Rede TV! e SBT gera mais de 1000 reclamações à Anatel em três dias

Agência informa ainda que, em março, todos os serviços apresentaram redução nas reclamações dos usuários. NET e TIM foram as únicas que registraram aumento nas reclamações.

TCU dá 120 dias ao MCTIC para estudo sobre redução dos fundos de telecom

Para o Tribunal, descompasso entre arrecadação e uso de Fistel, Fust e Funttel está ligada à ausência de política pública para o setor. De cerca de R$ 113 bilhões arrecadados desde 1997, R$ 106 bi foram usados para cobrir outras despesas, notadamente dívida pública e Previdência.

Usuários dos serviços de telefonia, internet e TV paga pagaram R$ 64 bilhões em impostos em 2016

Total arrecadado diretamente do cidadão e transferido aos cofres públicos representa metade da receita líquida. O FUST arrecadou R$ 1,4 bilhão. O ICMS arrecadou R$ 34 bilhões.


Veja a revista do 60º Painel Telebrasil 2016
Revista do 60º Painel Telebrasil 2016
O Brasil enfrenta uma de suas mais graves crises, e as telecomunicações em banda larga são essenciais para a retomada do desenvolvimento sustentável, com inclusão social, na moderna sociedade da informação e do conhecimento. Este foi o mote dos debates durante o 60º Painel Telebrasil, realizado nos dias 22 e 23 de novembro, em Brasília.

  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G