Convergência Digital - Home

Consumidor define os investimentos em computação em nuvem

Convergência Digital
Convergência Digital* - 20/03/2017

A nuvem é uma parte fundamental da estratégia analítica de 70,1% das empresas, enquanto 21,6% delas consideram importante no processo de adoção de análises, revela a pesquisa “The State of Cloud Analytics 2016,” patrocinado pela Informatica, e realizado com 402 líderes de negócios e Tecnologia em todo o mundo. O levantamento apurou que hoje a análise na nuvem não é apenas essencial, mas também caminha para ser dominante no ambiente de negócios.

A pesquisa aponta que as análises realizadas em nuvem atingiram a igualdade em adoção com as realizadas on-premise. As implementações analíticas de hoje são divididas quase igualmente entre ambientes on-premise e nuvem (híbrida ou pública), com a maioria dos entrevistados esperando expandir suas implementações de nuvem no futuro.

O relatório também destaca a imensa importância do autosserviço governado para a análise em nuvem. Uma esmagadora maioria dos entrevistados (94,8%) acredita que esse tipo de autoatendimento é uma estratégia-chave para as implementações de análises em suas organizações. De fato, quanto mais comprometida a organização é para a análise em nuvem, mais valiosas são as capacidades de autoatendimento em áreas como o gerenciamento de dados e, especificamente, sua administração, à medida que os usuários buscam níveis crescentes de agilidade.

O levantamento aponta ainda que:

·As análises em nuvem já passaram do ponto de inflexão e agora são top of mind – A nuvem é uma parte chave ou muito importante  na estratégia analítica de 91,7% dos entrevistados.

·A adoção das análises em nuvem é impulsionada por necessidades vitais de Negócios –  Os três principais drivers de negócio para análise em nuvem foram identificados como aperfeiçoamento de processos de negócios (23,5%), experiência do consumidor (22,2%) e melhor colaboração entre equipes e fornecedores (19,1%).

·A adoção também é  impulsionada pelo custo – Os executivos que responderam a pesquisa identificaram a redução de custos (19,5%) como o principal fator técnico para mover a análise para a nuvem. Em termos de drivers financeiros, o custo de implementação / adoção foi identificado como o principal benefício monetário (47,6%).

·A segurança é um fator técnico e um obstáculo – A segurança de dados foi identificada como o segundo principal fator técnico para a adoção das análises em nuvem (15,1%). No entanto, segurança e compliance foram vistos como o principal obstáculo à implementação na nuvem (40%). No entanto, o medo das questões de segurança diminuiu (em 5%) entre os entrevistados com implementações de nuvem mais maduras.

·A integração e a migração são vitais – O segundo principal obstáculo à adoção foi identificado como integração e migração (34,6%), apontando para a importância crítica de ferramentas de integração de dados completos.

·As organizações estão extraindo insights por meio de um acesso mais amplo às soluções self-service – Empresas que possuem recursos robustos de análise em nuvem estão alimentando percepções mais rápidas e tendo maior agilidade por meio de autoatendimento governado para integração de dados (84%), mapeamento de dados (83%), modelagem de dados (82%) e governança de dados (77%).

Facebook Twitter Google+ LinkedIn Email Addthis

Destaques
Destaques

Logicalis: Desafio do OpenStack é a formação de profissionais

"Compramos a NubeliU pelo conhecimento deles em OpenStack. Eles fizeram o case do Mercado Livre na América Latina", afirmou o presidente da Logicalis, Rodrigo Parreira. Em até quatro anos, a empresa prevê uma receita de até US$ 50 milhões com a incorporação da empresa.

Open Stack conquista o coração e o bolso das corporações

A possibilidade de personalizar o código-fonte para desenvolver aplicativos é o motivo mais forte apontado para a adesão ao open source pelas empresas latino-americanas.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

O uso inteligente do Big Data a favor da indústria

Por Marlos Bosso*

Os impactos da revolução 4.0 são inevitáveis. Identrificar o que está por vir é o desafio dos executivos.

Produzimos mais dados do que a capacidade de armazená-los

Por Thiago Franco*

Será que a demanda digital romperá com os limites físicos dos datacenters em curto prazo? Nos últimos anos, muitos especialistas têm tentado responder a esta pergunta.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site