Convergência Digital - Home

Consumidor define os investimentos em computação em nuvem

Convergência Digital
Convergência Digital* - 20/03/2017

A nuvem é uma parte fundamental da estratégia analítica de 70,1% das empresas, enquanto 21,6% delas consideram importante no processo de adoção de análises, revela a pesquisa “The State of Cloud Analytics 2016,” patrocinado pela Informatica, e realizado com 402 líderes de negócios e Tecnologia em todo o mundo. O levantamento apurou que hoje a análise na nuvem não é apenas essencial, mas também caminha para ser dominante no ambiente de negócios.

A pesquisa aponta que as análises realizadas em nuvem atingiram a igualdade em adoção com as realizadas on-premise. As implementações analíticas de hoje são divididas quase igualmente entre ambientes on-premise e nuvem (híbrida ou pública), com a maioria dos entrevistados esperando expandir suas implementações de nuvem no futuro.

O relatório também destaca a imensa importância do autosserviço governado para a análise em nuvem. Uma esmagadora maioria dos entrevistados (94,8%) acredita que esse tipo de autoatendimento é uma estratégia-chave para as implementações de análises em suas organizações. De fato, quanto mais comprometida a organização é para a análise em nuvem, mais valiosas são as capacidades de autoatendimento em áreas como o gerenciamento de dados e, especificamente, sua administração, à medida que os usuários buscam níveis crescentes de agilidade.

O levantamento aponta ainda que:

·As análises em nuvem já passaram do ponto de inflexão e agora são top of mind – A nuvem é uma parte chave ou muito importante  na estratégia analítica de 91,7% dos entrevistados.

·A adoção das análises em nuvem é impulsionada por necessidades vitais de Negócios –  Os três principais drivers de negócio para análise em nuvem foram identificados como aperfeiçoamento de processos de negócios (23,5%), experiência do consumidor (22,2%) e melhor colaboração entre equipes e fornecedores (19,1%).

·A adoção também é  impulsionada pelo custo – Os executivos que responderam a pesquisa identificaram a redução de custos (19,5%) como o principal fator técnico para mover a análise para a nuvem. Em termos de drivers financeiros, o custo de implementação / adoção foi identificado como o principal benefício monetário (47,6%).

·A segurança é um fator técnico e um obstáculo – A segurança de dados foi identificada como o segundo principal fator técnico para a adoção das análises em nuvem (15,1%). No entanto, segurança e compliance foram vistos como o principal obstáculo à implementação na nuvem (40%). No entanto, o medo das questões de segurança diminuiu (em 5%) entre os entrevistados com implementações de nuvem mais maduras.

·A integração e a migração são vitais – O segundo principal obstáculo à adoção foi identificado como integração e migração (34,6%), apontando para a importância crítica de ferramentas de integração de dados completos.

·As organizações estão extraindo insights por meio de um acesso mais amplo às soluções self-service – Empresas que possuem recursos robustos de análise em nuvem estão alimentando percepções mais rápidas e tendo maior agilidade por meio de autoatendimento governado para integração de dados (84%), mapeamento de dados (83%), modelagem de dados (82%) e governança de dados (77%).

Facebook Twitter Google+ LinkedIn Email Addthis


Bradesco, Dataprev e Equinix são destaque em datacenter no Brasil
Organizações foram as vitoriosas da edição 2017 do DCD Awards da América Latina. Conheça os destaques da região no segmento de datacenters.
3ª Semana da Inovação 2017
Governo digital será uma pressão do contribuinte

Cidadão vai querer ter as facilidades do dia a dia no relacionamento com o poder público, afirma o executivo da Huawei Brasil, Rildo Santos.


Destaques
Destaques

Dataprev e Serpro vão prestar serviço pela nuvem pública

Objetivo é atender de forma unificada demandas distintas dos órgãos públicos. Empresas vão integrar orquestradores e planejam contratar serviços da Amazon, Google e Azure.

Mercado de computação em nuvem foi de R$ 2,25 bilhões no Brasil

Estudo da ABES mostra que o segmento registrou uma expansão de 47,4% em 2016, tendo como base os dois principais serviços - Software como Serviço (SaaS) e PaaS (plataforma como Serviço). O segmento de análise de dados faturou US$ 809 milhões



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Empresas de TI ou organizações dependentes dela?

Por Paulo de Godoy*

Considerada parte do ‘guarda-chuva’ da Inteligência Artificial, a Machine Learning vem crescendo e ganhando força à medida que o volume de dados explode.

Criando uma arquitetura analítica para o futuro

Por Stephen Rigo*

O custo de não ter a arquitetura analítica adequada é alto, já que esse fator pode gerar problemas de incompatibilidade, governança, segurança, falta de acordos de nível de serviço, escalabilidade e problemas de extensibilidade.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site