GOVERNO

Empresas se unem para convencer ao governo a reincluir TI na desoneração da folha

Ana Paula Lobo e Rodrigo dos Santos ... 07/04/2017 ... Convergência Digital

Numa reação inédita no setor de software e serviços de TI, TOTVS, Stefanini, BRQ e Resource se posicionaram nesta sexta-feira, 07/04, e cobram do governo a decisão de excluir as empresas de software e serviços da desoneração da folha de pagamento, sob o argumento que é necessário cobrir um rombo de R$ 52 bilhões no orçamento. Nas próximas duas semanas, com o endosso da Brasscom, haverá uma mobilização no Congresso Nacional e no governo, em especial, na Fazenda, para reverter a decisão, anunciada no dia 29 de março. A reivindicação é objetiva: as empresas querem o retorno do desconto de 4,5% sobre o faturamento da empresa e tentam recolocar a obrigatoriedade para todos. Essa última medida, caiu em dezembro de 2015, ainda no governo Dilma.

"A desoneração da folha de pagamento não é uma renúncia fiscal. Não é um benefício dado ao setor de software e serviços", sustentou o presidente-executivo da Brasscom, Sergio Paulo Gallindo. A entidade apresentou um estudo onde constata que - caso a exclusão se mantenha - pelo menos 83 mil postos de trabalhos serão exterminados em TI nos próximos três anos. "A arrecadação do setor de software e serviços para o governo ficou em R$ 4,1 bilhões de 2011 a 2016. E caso a desoneração se sustente, outros R$ 2,7 bilhões vão entrar nos cofres, numa conta muito conservadora de um crescimento de 5,5% ao ano. TI foi um segmento que provou, com números, a vantagem da desoneração", completou Gallindo.

Hoje, serviços e software de TI empregam aproximadamente 600 mil pessoas no país e se o critério adotado pelo governo foi o de geração de emprego não há razão de o segmento ter sido excluído, sustentou o presidente da TOTVS, Laércio Cosentino. "Além disso, essa tributação vai penalizar a produção local que vai perder a isonomia com as multinacionais", adverte ainda. O presidente da Stefanini, Marco Stefanini, observa que a transformação digital vai mexer com todas as cadeias produtivas e a TI está no centro dessa mudança. "O Brasil quer ter que papel global. É hora de definir o que se quer para o futuro do país".

Em entrevista à CDTV, do portal Convergência Digital, Marco Stefanini, da Stefanini, Laércio Cosentino, da TOTVS, Benjamim Quadros, da BRQ, e Paulo Marcelo, da Resource, falam da mobilização para garantir a desoneração da folha. Assistam.


Cobertura Especial do 2º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2017

Telebras desbanca teles e assume rede da Dataprev por R$ 292 milhões

Estatal assume rede que interliga 1,7 mil agências do INSS e data centers no lugar da Embratel, Telefônica, Oi e British Telecom.



Clique aqui e acompanhe a cobertura completa do evento

Confederação de teles e TI quer R$ 1 bilhão para Sistema S das TICs

“Nossa prioridade para 2018 é garantir os recursos para esse sistema fazer frente às necessidades de formação e capacitação para a transformação digital”, diz o presidente do Sinditelebrasil, Eduardo Levy. 

Governo retoma piloto de IoT com chips para coleta de dados

Governo criou um comitê interministerial para integrar as políticas de RFID às do Plano Nacional de Internet das Coisas. Iniciativa, parada há três anos por falta de consenso, batizada de SINIAV, começa a sair do papel com pilotos em Pernambuco e no município de Santo André, em São Paulo.

Governo discute se IoT é valor adicionado ou Telecomunicações

"Há prós e contras e precisamos analisar bem para definirmos a melhor governança", diz o diretor do MCTIC, José Gontijo. Sobre Internet das Coisas, Gontijo é taxativo: O Brasil não pode adiar mais uma definição sobre Lei de proteção de Dados Pessoais.

Reforma tributária: Telecom fica na categoria do imposto seletivo

Em entrevista à Newsletter da Telebrasil, reproduzida pelo Connvergência Digital, o deputado Luiz Carlos Hauly, do PSDB/PR, explica que a sua proposta elimina 10 tributos.


Acompanhe a Cobertura Especial do WCIT 2016

Fim da gestão do Governo dos EUA abre nova era para a Internet

Desde 1º de outubro, as funções técnicas da internet – nomes, números e protocolos – não envolvem mais um contrato da ICANN com o governo americano. “O Brasil influenciou nessa transição”, diz o secretário-executivo do CGI.br, Hartmut Glaser. 


Acompanhe a Cobertura Especial do WCIT 2016

  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G