Convergência Digital - Home

O BI não morreu, mas fornecedor que não mudar, desaparece

Convergência Digital
Convergência Digital* - 11/04/2017

A receita global no mercado de software de Business Intelligence (BI) e Analytics está prevista para alcançar US$ 18,3 bilhões em 2017, um aumento de 7,3% comparado a 2016. Até o final de 2020, esse número deve chegar aos US$ 22,8 bilhões, revela o Gartner. Segundo ainda a consultoria, BI e Analytics modernos continuam se expandindo com mais rapidez do que o mercado em geral, o que deixa mais equilibrada a queda dos gastos com BI tradicional.

A plataforma moderna de BI e Analytics surgiu nos últimos anos para atender às recentes demandas das empresas por mais acessibilidade, agilidade e informações analíticas mais detalhadas, mudando o mercado de relatórios de registros liderados por TI para um mercado de Analytics ágil liderada por negócios, incluindo autoatendimento.

O crescimento do mercado de BI e Analytics modernos deve desacelerar, no entanto, indo de 63,6% em 2015 para 19% até 2020. O Gartner acredita que isso seja reflexo do aumento da popularidade dos Dados e Analytics. O setor está aumentando em termos de expansão de adoção, mas a receita será impactada pela pressão nos preços.

"As decisões de compra continuam sendo fortemente influenciadas pelos executivos e usuários que desejam mais agilidade e uma opção para implementação em pequenas empresas e departamentos para comprovar o sucesso. Os modelos de compra amigáveis para as companhias tornaram-se ainda mais essenciais para implantações bem-sucedidas", explica Rita Sallam, Vice-Presidente de Pesquisas do Gartner.

De acordo com pesquisa da consultoria, a rápida evolução do mercado de BI e Analytics modernos está sendo influenciada por sete dinâmicas:

1. O modelo de BI moderno em escala irá dominar as novas compras. Enquanto inicialmente os usuários corporativos se voltavam para novas soluções modernas porque elas poderiam ser usadas sem ajuda de TI, a crescente necessidade de governança servirá como catalisador para o envolvimento renovado de TI. As ferramentas de BI moderno que possibilitam maior acessibilidade, agilidade e informações detalhadas na empresa irão dominar as novas compras.

2. Novos fornecedores inovadores e estabelecidos vão direcionar a próxima onda de disrupção do mercado. O surgimento de recursos de detecção de dados inteligentes, o aprendizado das máquinas e a automação de todo o fluxo de trabalho de Analytics orientarão uma nova remessa de compras norteadas por seu valor potencial de reduzir o tempo para obtenção de informações a partir de ferramentas de Analytics avançadas e colocá-las à disposição de um grupo mais amplo de pessoas na empresa. Embora essa onda “inteligente” esteja sendo orientada por novas e inovadoras startups, os fornecedores tradicionais de BI que demoraram para se ajustar à atual onda  “moderna” estão norteando essa mudança em alguns casos.

3. Os usuários corporativos querem analisar combinações cada vez mais diversas, maiores e mais complexas de fontes e modelos de dados da forma mais rápida possível. Essa necessidade de conjuntos de informações diferenciadas orientará os investimentos em preparação dos dados. A capacidade de rapidamente preparar, limpar, aprimorar e localizar conjuntos de dados confiáveis de forma mais automatizada torna-se um importante viabilizador do uso expandido de Analytics.

4. A abrangência e a integração serão fundamentais para o maior valor e uso expandido. Usuários internos e clientes utilizarão mais ferramentas automatizadas ou incorporarão Analytics nos aplicativos que usam dentro de seu contexto – ou, ainda, farão a combinação de ambos. A capacidade de incorporar e estender o conteúdo será um facilitador fundamental para uma adoção mais disseminada e de valor do Analytics.

5. Suporte para eventos em tempo real e transmissão de dados terão uso expandido - As empresas transmitirão cada vez mais dados gerados por dispositivos, sensores e pessoas para agilizar a tomada de decisões. Os fabricantes precisam investir em recursos similares para oferecer aos compradores uma plataforma única que combina eventos em tempo real e a transmissão dos dados com outros tipos de fontes de informação.

6. O interesse em implementações em nuvem continuará aumentando, uma vez que a adoção de plataformas de BI e Analytics em Cloud tem o potencial de reduzir os custos de propriedade e diminuir o tempo de implantação. Entretanto, o nível de importância da maioria dos dados corporativos armazenados dentro das empresas continua sendo a principal barreira à adoção. Essa resistência está encolhendo e o Gartner estima que, até 2020, a maioria das compras de novas licenças tenderá a ser por implementações em Nuvem.

7. Os marketplaces criarão novas oportunidades para que as empresas comprem e vendam recursos de análises e reduzam o tempo para obter informações. A disponibilidade de um mercado ativo em que compradores e vendedores possam convergir para a troca de aplicações de análise, fontes de dados agregadas, visualizações personalizadas e algoritmos tende a gerar maior interesse no segmento de BI e Analytics e a promover seu crescimento futuro.

"As companhias se beneficiarão com o surgimento de fornecedores novos e inovadores no mercado e com o investimento substancial em inovação por parte de grandes fabricantes e de startups financiadas por fundos de capital. Entretanto, elas precisam ter cuidado para limitar os custos técnicos que podem ocorrer quando várias soluções independentes que demonstram valor rapidamente aos negócios entram nos ambientes de produção sem que seja dada a devida atenção à criação, à implementação e ao suporte”, completa Rita.

Facebook Twitter Google+ LinkedIn Email Addthis


Bradesco, Dataprev e Equinix são destaque em datacenter no Brasil
Organizações foram as vitoriosas da edição 2017 do DCD Awards da América Latina. Conheça os destaques da região no segmento de datacenters.
3ª Semana da Inovação 2017
Huawei se prepara para ser fornecedor de nuvem pública do governo

Empresa planeja se tornar um dos principais fornecedores de computação em nuvem do governo brasileiro, a partir do fortalecimento de uma estrutura local.


Destaques
Destaques

STJ condena compartilhamento de dados de clientes entre os bancos

Foi mantida a condenação do HSBC. Tribunal considerou abusiva cláusula que não permite ao correntista optar se quer ou não abrir mão de seus dados.

Confaz tributa software em nuvem e streaming como Netflix

Decisão foi tomada em reunião do Conselho Nacional de Política Fazendária. Regra entra em vigor a partir de março de 2018.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

A IA traz emoção e empatia às "máquinas"

Por Eduardo Prado*

Imagine se as tecnologias – assistentes virtuais (tipo Alexa da Amazon), veículos autônomos, aparelhos de televisão, frigoríficos conectados, telefones celulares – estivessem cientes das suas emoções? E se elas percebessem o seu comportamento não-verbal em tempo real?

Empresas de TI ou organizações dependentes dela?

Por Paulo de Godoy*

Considerada parte do ‘guarda-chuva’ da Inteligência Artificial, a Machine Learning vem crescendo e ganhando força à medida que o volume de dados explode.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site