NEGÓCIOS

Itaú Unibanco e Bradesco trabalham juntos em projeto de blockchain

Por Roberta Prescott ... 13/04/2017 ... Convergência Digital

O blockchain está unindo instituições financeiras concorrentes para estudar como a nova tecnologia pode ser usada. O maior exemplo disto foi a criação da R3, uma empresa de tecnologia financeira dedicada a trabalhar com os bancos para entender como eles podem tirar proveito do blockchain. Atualmente, a R3 reúne um consórcio com cerca de 80 bancos ao redor do mundo, incluindo os brasileiros Itaú Unibanco e Bradesco, que estão trabalhando juntos em alguns projetos. 

O Itaú Unibanco começou a testar a tecnologia em 2015 com Ethereum, se juntou ao R3 e hoje lidera, junto com outros bancos, um grupo de trabalho da Febraban sobre blockchain, revelou o executivo da instituição financeira, Igor Freitas. Segundo ainda ele, o banco trabalha - em modelo de prova de conceito - com a tecnologia para compartilhamento de informação cadastrais das pessoas, para que os dados passem ser das pessoas físicas e não das instituições. "Nossas provas de conceito sempre partem do negócio. A tecnologia tem de partir de ideia de negócio e fazer sentido para o banco e cliente."

Há cerca de um ano, em palestra no Ciab , Maurício Alban Salas, superintendente de arquitetura do Itaú Unibanco, havia revelado a criação de um centro de excelência com frentes estratégica, tecnológica e funcional com objetivo de mapear oportunidades e cenários e identificar parcerias de negócio e alianças estratégicas. Entre as possibilidades de adoção, Alban Salas citou o uso de blockchain como tecnologia para resolver problemas internos, como transações entre sistemas privados, e uso na negociação de debentures, com objetivo de reduzir a intermediação dos bancos no processo de emissão e negociação.

O Bradesco também começou testes em 2015 e, atualmente, conta com um grupo interdepartamental para estudar riscos e oportunidades. A prova de conceito da instituição, conforme relatou o executivo da instituição, George Marcel, foi na área de prevenção à fraude. Sem entrar em detalhes, o executivo do banco disse que há outras provas de conceito no pipeline. "Objetivo é termos um piloto em 2017 ou 2018."

O projeto de compartilhamento de dados é fruto de um desenvolvimento colaborativo, algo novo entre os bancos.  Nele, Itaú, Bradesco e B3 (resultado da fusão da BM&FBovespa com a Cetip para formar a B3 — Brasil, Bolsa e Balcão) estão juntos desenvolvendo a solução e avaliando qual plataforma é melhor para os casos de usos.

"Queremos entender melhor as diferenças de plataformas. Para implantar algo temos de concordar qual plataforma vamos usar e estamos discutindo isto. Está interessante trabalhar em conjunto com outros que são concorrentes", completou Marcel, do Bradesco. Os executivos participaram do evento Emerging Links, realizado em São Paulo.



Acompanhe a Cobertura Especial do WCIT 2016

Brasília espera R$ 1,6 bilhão de investimentos privados no Parque Tecnológico

“Nossa expectativa é que a partir de fevereiro do ano que vem os interessados em investir já possam adquirir cotas do fundo e as empresas interessadas em se instalar no parque possam assinar seus contratos”, diz o presidente da Terracap, Júlio César Reis. 

Acompanhe a Cobertura Especial do WCIT 2016
Soluções de Segurança para a Sociedade
Não delegue a segurança cibernética apenas para a TI

Para mitigar os riscos com ataques hackers, toda a corporação precisa se unir, adverte Jun Goto, vice-presidente Sênior da NEC Corporation.

TICs em Foco - TRANSFORMAÇÃO DIGITAL
Prever. Prevenir. Detectar e Responder

Essas são a exigência da remodelagem da gestão de riscos e da segurança organizacional nas corporações.

Brasileira Dinamize desembarca no exterior com a revitalização do email

Empresa investiu R$ 1 milhão para desenvolver um software próprio e chega aos Estados Unidos e Canadá por meio de parceiros locais. Neste momento, negocia um contrato global com o Google.

HP sinaliza fim de reestruturação e HPE nega estar à venda

A antiga HP se transformou em três empresas: a HP Inc., a Hewlett Packard Enterprise e a DXC Technology, todas independentes umas das outras, um movimento que a distancia da rival Dell. TI hibrida é o alvo da nova HPE.

Serviços de TI: Quality mira IPO e compra Premier por R$ 31 milhões

União das duas empresas nacionais amplia a oferta, em especial no sul do país, para gestão de data center, service desk, machine learning e serviços digitais.

Em Brasília, empresa cria novo modelo para vender cartuchos de impressora

No lugar da já tradicional recarga, proposta é oferecer cartuchos recondicionados, que são totalmente desmontados e têm componentes substituídos, mas com preço 40% mais baixo que novos. 



  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G