TELECOM

TCU dá 120 dias ao MCTIC para estudo sobre redução dos fundos de telecom

Luís Osvaldo Grossmann ... 17/04/2017 ... Convergência Digital

O Tribunal de Contas da União quer que o Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações apresente em 120 dias um estudo sobre o descompasso entre a arrecadação e o uso dos fundos setoriais de telecomunicações, inclusive com avaliação de potencial redução dos valores cobrados, diante dos desvios de finalidade do Fistel, Fust e Funttel que superam os R$ 106 bilhões. 

A determinação faz parte do Acórdão 749/2017, aprovado na sessão de 12/4, que trata da tomada de contas solicitada pela Comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara dos Deputados. Nas contas do TCU, o Fistel arrecadou R$ 85,4 bilhões entre 1997 e 2016, enquanto Fust e Funttel levantaram cerca de R$ 27,7 bilhões entre 2001 e 2016. São R$ 113,1 bilhões, dos quais R$ 6,6 bilhões, ou 5,8%, foram efetivamente aplicados nas finalidades para os quais foram criados. 

“Desde o ano de 1997, tornou-se prática frequente do Poder Executivo a edição, ao final do exercício, de medidas provisórias, posteriormente convertidas em leis, permitindo a desvinculação do superávit financeiro dos fundos públicos e sua utilização para outras despesas que não aquelas originalmente previstas”, sustenta o Tribunal de Contas no Acórdão. 

Essa prática, reiterada e corriqueira, tem dois aliados de peso: a pouca transparência nos dados sobre os fundos setoriais e a ausência de políticas públicas para o setor. De um lado o Tesouro Nacional dificulta a efetiva análise dos valores envolvidos, enquanto de outro o Ministério das Comunicações, agora MCTIC, não cumpre seu papel sequer na defesa do orçamento – inclusive em desrespeito a preceitos da Lei Geral de Telecomunicações. 

“Um fato que dificulta a obtenção dessas informações é a precária publicidade e transparência dada pela STN [Secretaria do Tesouro Nacional] ao processo de desvinculação por medida provisória dos saldos financeiros dos fundos, não sendo de fácil obtenção os critérios utilizados, os montantes desvinculados do fundo e a efetiva destinação dos recursos, algo incompatível com a materialidade das desvinculações para outras finalidades.”

“A falta de uma política setorial de médio e longo prazo para o setor de telecomunicações com planos, metas e ações bem definidos, com indicação das fontes de financiamento para essas ações, favorece a não utilização dos fundos setoriais, pois na ausência de definição de ações a serem implementadas com os valores arrecadados pelos fundos, não é possível estimar a real necessidade dos valores para a universalização dos serviços de telecomunica ções, o que favorece o contingenciamento por outros órgãos.”

Vai daí que uma das decisões do TCU foi “determinar ao MCTIC que, em 120 dias, apresente estudo que justifique a manutenção dos atuais patamares de arrecadação do Fistel e do Fust, frente à baixa aplicação dos recursos em suas finalidades legais, bem como indique possíveis medidas a serem implementadas com vistas à redução do citado descompasso entre as receitas e as aplicações”.


Em 10 dias, operadoras bloqueiam 1 em cada 344 celulares

Sistema que desabilita aparelhos sem identificação internacional IMEI bloqueou até aqui 37 mil celulares no Distrito Federal e em Goiás, menos de 0,3% do total.

Claro e TIM saem na frente na disputa por R$ 340 milhões em ativos da Cemig Telecom

Empresa promete ter o edital de venda pronto até o final de maio. É uma rara oportunidade para a aquisição de ativos de rede no País.

Operadoras começam a bloquear celulares piratas

Nesta terça-feira, 8/5, os telefones móveis sem IMEI válido habilitados a partir de 22/3 recebem as mensagens de que deixarão de funcionar na quarta-feira, 9/5. Os celulares comprados no exterior, desde que certificados na Anatel, vão continuar funcionando, avisa a agência reguladora.

Anatel volta a negar corte no preço na TV paga por exclusão dos canais Simba

Para agência, saída dos canais da Record, SBT e RedeTV! das grades de empresas de televisão por assinatura não é motivo para intervenção nos valores.

EUA e Brasil lideram fuga de assinantes na TV paga

Estudo com 14 países aponta, no entanto, que em oito deles as empresas estão conseguindo aumentar as receitas apesar da redução na base. O Brasil é um deles.

Telebras nomeia Roberto Pinto Martins para a diretoria

Martins, que já foi da Anatel e dos ministérios de Ciência e Tecnologia e das Comunicações, assume a diretoria técnico operacional.


Veja a revista do 61º Painel Telebrasil 2017
Revista do 61º Painel Telebrasil 2017
A edição de 2017 do Painel Telebrasil enfatizou a necessidade de atualização do modelo de telecomunicações e a definição de uma agenda digital para o País.

Painel Telebrasil 2017 - Cobertura Especial ConvergênciaDigital


Clique aqui e acompanhe a cobertura completa do Painel Telebrasil 2017

  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G