TELECOM

Disputa da TV paga com SBT, Rede TV! e SBT gera mais de 1000 reclamações à Anatel em três dias

Convergência Digital* ... 18/04/2017 ... Convergência Digital

A disputa entre as operadoras da TV paga e as emissoras SBT, Rede TV! e SBT - ainda não equacionada e que mantém São Paulo e Brasília, cidades 100% digitalizadas na TV, sem os sinais das emissoras abertas, gerou mais de 1000 reclamações entre os dias 29 e 31 de março, revelam os dados divulgados pela Anatel nesta terça-feira, 18/04.

De acordo com a agência, no mês de março foram registradas 323,4 mil reclamações na Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), queda de 16,1% na comparação com março de 2016.  Todos os principais serviços de telecomunicações apresentaram redução: a telefonia móvel, com 153,1 mil reclamações (-8,0%), a telefonia fixa, com 74,2 mil (-27,5%), a banda larga fixa, com 49,0 mil (-20,0%), e a TV por Assinatura, com 45,4 mil (-16,2%).

O destaque do terceiro mês do ano foram as reclamações em função da decisão das emissoras SBT, Record e Rede TV! decidiram descontinuar a transmissão de seus sinais digitais para as prestadoras de TV por Assinatura. Esse fato gerou, entre os dias 29 e 31 de março de 2017, o registro de aproximadamente mil reclamações junto à Anatel.

Empresas

Com exceção da TIM, que com 48,7 mil de reclamações em março de 2017 apresentou aumento de 13,8% nos últimos 12 meses, todas as outras prestadoras na telefonia móvel registraram queda: Nextel, com 10,1 mil (-22,2%), Oi, com 20,9 mil (-17,2%), Claro, com 34,3 mil (-14,8%), e Vivo, com 38,7 mil (-13,6%).

Na telefonia fixa, todos os grupos acompanhados pela Agência apresentaram redução em março de 2017 quando comparado com março de 2016: Oi, com 40,7 mil reclamações (-35,9%), Vivo, com 22,4 mil (-16,8%) e NET/Claro, com 9,4 mil (-12,1%).

Na TV por Assinatura, a Vivo com 3,1 mil de reclamações apresentou aumento de 10,2% nos últimos 12 meses enquanto todas as outras registraram redução: Sky, com 17,3 mil de reclamações (-22,6%), Net/Claro, com 19,7 mil (-12,0%), e Oi, com 4,8 mil (-18,8%). Na banda larga fixa, unicamente a Net apresentou elevação nas reclamações nos últimos 12 meses, com 7,4 mil (+5,0%). Oi registrou 22,3 mil reclamações (-35,5%) e Vivo 14,6 mil (-5,7%). 

No primeiro trimestre deste ano, em comparação com o mesmo período do ano passado, o Brasil registrou uma redução de 15,2% nas reclamações dos serviços de telecomunicações. De janeiro a março de 2017 foram registradas 933,1 mil queixas contra 1.100,3 mil do primeiro trimestre de 2016. 

Todos os estados brasileiros e o Distrito Federal apresentaram redução nas reclamações nos primeiros três meses deste ano em comparação com o mesmo período do ano passado. As quedas percentuais foram lideradas pelo Amapá (-34,1%), Amazonas (-32,3%) e Rio Grande do Sul (-32,0%). São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, estados que apresentam os maiores volumes de reclamações, registraram menos 9.6%, menos 24,8% e menos 11,2%, respectivamente. 

*Com dados da Anatel


Internet Móvel 3G 4G
Aumento de 44% nos ataques aos smartphones no Brasil

DFNDER Lab, da PSafe, diz que de julho a setembro, os ataques malware chegaram a 5,58 milhões. Links maliciosos passaram dos 100 milhões no ambiente móvel.

Recuperação judicial: Oi mantém proposta de parcelar dívida com Anatel em até 20 anos

Operadora também prevê negociação para a conversão de multas em investimentos (TACs). A agência reguladora é, hoje, a maior credora da tele com dívida, orçada pela Oi, em R$ 10 bilhões. E pela Anatel em R$ 13 bilhões. Nova versão do plano de recuperação judicial foi apresentada à Justiça. Assembleia de credores está marcada para o dia 23 de outubro.

Só um em cada três clientes recomendaria a sua operadora na América Latina

Em ranking das melhores empresas em seis países da região, realizado pela Everis, Brasil aparece na décima colocação. Resolução rápida dos problemas segue sendo a maior reivindicação dos usuários de serviços.

STF devolve projeto da nova Lei de Telecom para o Senado

Confirmando a expectativa positiva dos presidentes das operadoras, o ministro Alexandre de Moraes, determinou ao Senado a análise dos recursos referentes ao projeto 79/16 e o submeta ao plenário da casa para votação.

CEO da Ericsson adota cautela com condenação da Lei de Informática na OMC

CEO global da fabricante, Börje Ekholm, ressaltou que o mundo caminha para o software e que a empresa irá produzir onde 'for mais produtivo e lucrativo'. Brasil está entre os 10 mercados principais da multinacional. Sobre o 5G, o CEO foi taxativo: operadoras não podem mais perder tempo.

Telecom sofre forte queda, mas ainda lidera receita do setor de serviços

Pesquisa Anual dos Serviços do IBGE, referente a 2015, mostra que Telecomunicações gerou uma receita de R$ 162 bilhões, mas caiu de 18,9% no ranking para 11,3%. Tecnologia da Informação também perdeu posição para outros segmentos.

Claro Brasil: Modelo é o culpado pelo fracasso da interiorização da banda larga

Presidente da Claro Brasil, José Félix, sustentou que do jeito que está o modelo de telecom não tem mais jeito.


Veja a revista do 60º Painel Telebrasil 2016
Revista do 60º Painel Telebrasil 2016
O Brasil enfrenta uma de suas mais graves crises, e as telecomunicações em banda larga são essenciais para a retomada do desenvolvimento sustentável, com inclusão social, na moderna sociedade da informação e do conhecimento. Este foi o mote dos debates durante o 60º Painel Telebrasil, realizado nos dias 22 e 23 de novembro, em Brasília.

  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G