TELECOM

Justiça inclui casos da Telefônica em julgamento sobre dividendos da Telebrás

Luís Osvaldo Grossmann ... 19/04/2017 ... Convergência Digital

O Superior Tribunal de Justiça incluiu novos processos no rol de casos repetitivos que deverão receber um entendimento unificado do Judiciário sobre valores eventualmente devidos pelas atuais concessionárias de telecomunicações em virtude de dívidas supostamente herdadas na privatização das teles estaduais. 

No caso, o relator Paulo de Tarso Sanseverino incluiu novos recursos especiais relacionados à Telefônica, os quais passam a ingressar a lista de ações a serem afetadas pela mesma decisão. Até aqui, pelo menos 673 ações judiciais aguardam a definição de tese pelo STJ. Para isso, o STJ vai se valer de um mecanismo legal relativo a “recursos repetitivos”, que permite dar a mesma análise de mérito no caso de múltiplos recursos que tenham sido apresentados com base na mesma controvérsia

A questão em debate é se as concessionárias privadas devem ações e dividendos aos clientes das empresas estatais que faziam parte do sistema Telebrás. Isso porque antes da privatização a compra de uma linha telefônica fazia dos clientes sócios das empresas do sistema Telebras – as operadoras estaduais como Telebrasília, Telerj, Telesp, etc. Na época, ao fazer o pagamento o cliente, além do uso da linha, tinha direito à subscrição de ações correspondentes ao total investido.

Em muitos casos, porém, essa subscrição de ações simplesmente não aconteceu. Daí que os clientes prejudicados levaram inúmeras ações à Justiça, seja contra as extintas teles estaduais estatais, mas também contra suas sucessoras, as concessionárias vencedoras do processo de privatização.


Oi sustenta que acordo com credores não é mediação judicial

Operadora diz que acordo que prevê o pagamento de credores até R$ 50 mil foi autorizado pela 7ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro e é a única decisão que a companhia tem conhecimento.

Teles e fabricantes trocam farpas por bloqueio de celulares

A 20 dias do prazo proposto pela Anatel, guerra de notas sinaliza que o assunto ainda não foi pacificado entre os principais atores. Dados das operadoras dão conta que, mensalmente, 1 milhão de novos celulares irregulares entram no mercado.

Grupo sueco vai comprar Nextel por US$ 200 milhões

Se correr como o planejado, após duas etapas de aportes na operadora, grupo AINMT, que atua na Suécia, Noruega e Dinamarca com a marca Ice, ficará com 60% da empresa brasileira. NII Holdings ficará com os outros 40%.

Correios vendem 14 mil chips e avançam para o Rio de Janeiro

Depois do início das operações em São Paulo, em março, e em Brasília, em abril, estatal lança o Correios Celular na capital carioca. Meta da empresa é vender 500 mil chips até dezembro e se tornar a maior MVNO do país.

Procon-SP notifica teles por desrespeito ao bloqueio de telemarketing

Telefônica, Tim, Claro, Oi, Sky e Nextel estão entre as 35 empresas que terão que prestar esclarecimentos sobre o descumprimento da lei estadual 13.226/08, que criou um ‘não perturbe’ para call centers.

Oi não poderá usar sobras de P&D em compromissos na compra da BrT

Maioria dos conselheiros da Anatel entendeu que não há como a empresa carregar para anos seguintes os valores superiores aos aportes prometidos.


Veja a revista do 60º Painel Telebrasil 2016
Revista do 60º Painel Telebrasil 2016
O Brasil enfrenta uma de suas mais graves crises, e as telecomunicações em banda larga são essenciais para a retomada do desenvolvimento sustentável, com inclusão social, na moderna sociedade da informação e do conhecimento. Este foi o mote dos debates durante o 60º Painel Telebrasil, realizado nos dias 22 e 23 de novembro, em Brasília.

  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G