TELECOM

Claro vira 'atacante' para ultrapassar Vivo e TIM

Ana Paula Lobo e Luiz Queiroz ... 25/04/2017 ... Convergência Digital

A Claro fez nesta terça-feira, 25/04, uma apresentação do que será estendido a todo o país com a liberação da faixa de 700 MHz, hoje com a televisão aberta, para uso nos smartphones. Ao combinar frequências em 700MHz, 1,8 GHz e 2,5 GHz, a operadora promete velocidades de download de 200 Mbps ou mais. Além disso, é a primeira das grandes móveis do país a lançar planos com tarifa flat, ou seja, sem nenhuma cobrança mais por chamadas de voz nacionais. 

É um movimento em direção aos clientes de maior poder aquisitivo – e especialmente ao mercado pós-pago (os planos flat começam e R$ 119) e segundo o novo presidente da operadora móvel, Paulo Cesar Teixeira, é o primeiro passo em busca de uma disputa para valer para bater a TIM e a Vivo. 

“Vamos assumir uma posição de sermos mais incisivos em cada mercado, com ênfase muito forte na rede, aspectos de qualidade que estão sendo revistos, mas claramente seremos operadora com a melhor proposta de valor do mercado. Lançamos um plano que transforma algo que era um dogma no mercado, acabando com efeito clube, indo para o ilimitado. E vamos trazer outros passos na sequência nesse rumo da liderança”, afirmou o executivo. 

Como explica o diretor de marketing da empresa, parte dessa aposta está na oferta de conteúdo nos smartphones. “Estamos falando de vídeo, música, games, o que as pessoas quiserem na tela do celular. O 4G vai ficar mais rápido ainda com a frequência de 700 MHz. Estamos conseguindo velocidades de 200 Mbps e com smartphones mais novos pode ir mais longe”, disse. 

Teixeira, que ficou quase uma década à frente da Vivo, afirma porém que a empresa não vai deixar de lado o segmento pré-pago. Um novo plano também lançado agora de R$ 9,99 por semana, prevê 1 GB de navegação e 100 minutos para falar com qualquer operadora. 

“Estamos dando foco em todos os segmentos, no pré-pago inclusive, que também está contemplado. Vamos atacar todos os segmentos e temos um diferencial de conteúdo, com toda a força do grupo, com a questão do vídeo. Vamos apostar nessa diferenciação”, completou o presidente da operadora móvel. 

Como lembrou ainda o diretor de marketing, apesar da tecnologia que permite ultra velocidades, a banda larga móvel não está “universalizada”. “Não tem penetração de 100% de smartphone no mercado, e tem muito smartphone que está no mercado e não navega na internet. Então a voz está longe de morrer. As pessoas querem falar, estar próximas, matar a saudade. O que não querem é ter conta que estoura, ter limite, ter que adivinhar qual a operadora do outro lado, e isso está acabando agora.” Assistam a entrevista exclusiva da CDTV, do portal Convergência Digital, com o presidente da Claro, Paulo Cesar Teixeira, e com o VP de Marketing, Márcio Carvalho.

*Colaborou Luis Osvaldo Grossmann


Internet Móvel 3G 4G
TSE lança atendimento virtual por mensagens diretas no Twitter

Canal vai oferecer informações como verificar a situação eleitoral, fazer o download no formato pdf ou imprimir o documento de quitação eleitoral e consultar o local de votação.

AmericaNet: Não faz sentido ter de construir rede por conta de direito de passagem

Inovação é a palavra-chave para a operadora competitiva competir no mercado de telecom, diz o vice-presidente da AmericaNet, José Luiz Pelosini. Ele lamenta que aspectos regulatórios inviabilizem a expansão dos negócios. "Compartilhamento ainda é um entrave".

Use Telecom: "Não conseguimos um real sequer do BNDES e da FINEP"

André Costa, CEO da operadora, com atuação na Bahia e no Sergipe, diz que o governo cobra muito e devolve pouco. Sobre o compartilhamento é taxativo: "O acordo entre a Anatel e Aneel pelos postes não é praticado em nenhum lugar do Brasil".

TIM abre laboratório para projeto de rede do Facebook na América Latina

Operadora será responsável pelo primeiro Telecom Infra Project Community Lab ("Laboratório Comunitário TIP") da região.

Faltam dinheiro e apoio para a construção de rede no Brasil

"Falta apoio dos órgãos públicos, falta financiamento acessível, falta vontade de fazer", diz Rui Gomes, CEO da UMtelecom, empresa que atua na Região Nordeste.

Juarez Quadros: "Estamos prontos para arbitrar disputas pelo compartilhamento"

O presidente da Anatel admite que para as operadoras competitivas há mais dificuldades para celebrar acordos com as concessionárias, mas diz que é preciso levar o embate para o órgão regulador.

Teles afirmam que bloqueio de celular em presídios é exigência inconstitucional

Em nota, o SindiTelebrasil adverte que o Supremo Tribunal Federal já decidiu sobre o tema em leis dos estados da Bahia, Mato Grosso do Sul, Paraná e Santa Catarina. Se o PL 3019/15 for aprovado no Senado, as operadoras terão de instalar, manter e gerenciar os sistemas.


Veja a revista do 60º Painel Telebrasil 2016
Revista do 60º Painel Telebrasil 2016
O Brasil enfrenta uma de suas mais graves crises, e as telecomunicações em banda larga são essenciais para a retomada do desenvolvimento sustentável, com inclusão social, na moderna sociedade da informação e do conhecimento. Este foi o mote dos debates durante o 60º Painel Telebrasil, realizado nos dias 22 e 23 de novembro, em Brasília.

  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G