TELECOM

Rede da Oi não tem o direito de falhar

Ana Paula Lobo e Pedro Costa ... 03/05/2017 ... Convergência Digital

Se a transformação digital é o jargão do momento nas operadoras de telecomunicações, a Oi sustenta que aplica esse conceito há pelo menos três anos, com uso cada vez mais intenso de ferramentas de Big Data e aplicativos que, garante a empresa, melhoram a eficiência operacional. 

“A gente está falando de quatro coisas fundamentais: transformação digital, eficiência operacional, convergência de produtos e capacidade de tráfego de dados. A transformação digital é a base, é o meio para proporcionar ao cliente uma melhor experiência de uso e à Oi uma melhor eficiência operacional, e com isso a gente cria um ciclo virtuoso”, diz o diretor de operações da tele, José Claudio Moreira Gonçalves, em entrevista à CDTV, do portal Convergência Digital.

Segundo ele, o resultado é uma rede resiliente da empresa nacional que não pode parar. “Rede da Oi é 100% confiável. Operamos em mais de 5,4 mil municípios, 240 mil equipamentos, 345 mil km de fibras ópticas. Somos a única empresa que está no Brasil inteiro e não temos o direito de falhar.”

Aplicativos

Em coletiva de imprensa no Rio de Janeiro nesta quarta-feira, 03/05, a Oi anunciou mais dois aplicativos para aperfeiçoar o relacionamento com o cliente. O primeiro deles é o Técnico Digital, um aplicativo que pode ser baixado das lojas de aplicativos ou dentro do Minha Oi, plataforma digital da empresa que já conta com 8 milhões de usuários.

Com o Técnico Digital, o usuário poderá resolver uma série de problemas em seus serviços de telefonia fixa e banda larga fixa sem ter que recorrer ao call center, ganhando tempo e agilidade. A expectativa é de que um milhão de usuários estejam utilizando o novo app até o final do ano. Hoje são 150 mil clientes e 3 mil download/dia.

De acordo com José Claudio Moreira Gonçalves, o Naval, diretor de Operações da Oi, o Técnico Virtual é capaz de resolver 40% das demandas do cliente, o que contribui para melhor a sua experiência de uso do serviço. “As demais demandas são aquelas que exige a presença de um técnico na casa do cliente ou na rua, por um problema de rede interna, rompimento de fibra, defeito em uma caixa externa, etc.”, disse ele.

O segundo aplicativo é voltado para os técnicos da companhia e foi batizado de Ativação Digital e é voltado para o mercado corporativo. No piloto na Bahia, o tempo de ativação de circuitos caiu de duas horas para cinco minutos. "Esse é um app para o técnico e para acelerar a oferta corporativa", detalha o diretor de Operações. Assistam a entrevista com José Claudio Moreira Gonçalves, o Naval.


AmericaNet: Não faz sentido ter de construir rede por conta de direito de passagem

Inovação é a palavra-chave para a operadora competitiva competir no mercado de telecom, diz o vice-presidente da AmericaNet, José Luiz Pelosini. Ele lamenta que aspectos regulatórios inviabilizem a expansão dos negócios. "Compartilhamento ainda é um entrave".

Use Telecom: "Não conseguimos um real sequer do BNDES e da FINEP"

André Costa, CEO da operadora, com atuação na Bahia e no Sergipe, diz que o governo cobra muito e devolve pouco. Sobre o compartilhamento é taxativo: "O acordo entre a Anatel e Aneel pelos postes não é praticado em nenhum lugar do Brasil".

TIM abre laboratório para projeto de rede do Facebook na América Latina

Operadora será responsável pelo primeiro Telecom Infra Project Community Lab ("Laboratório Comunitário TIP") da região.

Faltam dinheiro e apoio para a construção de rede no Brasil

"Falta apoio dos órgãos públicos, falta financiamento acessível, falta vontade de fazer", diz Rui Gomes, CEO da UMtelecom, empresa que atua na Região Nordeste.

Juarez Quadros: "Estamos prontos para arbitrar disputas pelo compartilhamento"

O presidente da Anatel admite que para as operadoras competitivas há mais dificuldades para celebrar acordos com as concessionárias, mas diz que é preciso levar o embate para o órgão regulador.

Teles afirmam que bloqueio de celular em presídios é exigência inconstitucional

Em nota, o SindiTelebrasil adverte que o Supremo Tribunal Federal já decidiu sobre o tema em leis dos estados da Bahia, Mato Grosso do Sul, Paraná e Santa Catarina. Se o PL 3019/15 for aprovado no Senado, as operadoras terão de instalar, manter e gerenciar os sistemas.


Veja a revista do 60º Painel Telebrasil 2016
Revista do 60º Painel Telebrasil 2016
O Brasil enfrenta uma de suas mais graves crises, e as telecomunicações em banda larga são essenciais para a retomada do desenvolvimento sustentável, com inclusão social, na moderna sociedade da informação e do conhecimento. Este foi o mote dos debates durante o 60º Painel Telebrasil, realizado nos dias 22 e 23 de novembro, em Brasília.

  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G