NEGÓCIOS

Bancos encostam no Governo e investem R$ 18,6 bilhões em TI

Ana Paula Lobo ... 10/05/2017 ... Convergência Digital

Apesar do momento econômico e político do país em 2016, os bancos mantiveram o posto da vertical privada que mais investe em Tecnologia da Informação no Brasil com um aporte de R$ 18,6 bilhões e, ao mesmo tempo, encostaram no Governo ao aumentarem a participação dos gastos para 14% do PIB nacional. A maior parte dos aportes -45% - foi destinada para o desenvolvimento de software, 35% para hardware e 19% para telecom. O montante caiu em relação a 2015, quando os bancos investiram R$ 19 bilhões, mas o diretor setorial da Federação Brasileira de Bancos, Gustavo Fosse, sustenta que o resultado de 2016 ficou acima do esperado.

"Numa comparação mundial, os bancos brasileiros investiram acima da média, que é de 13%. A Tecnologia da Informação nos ajuda a encontrar eficiência operacional e esses R$ 700 milhões de diferença são também resultado da consolidação das áreas de TI por conta das fusões e aquisições", explica Fosse, que também atua na área de TI do Banco do Brasil. O levantamento da Febraban, divulgado nesta quarta-feira, 10/05, em São Paulo, constatou a explosão do uso da mobilidade como já era esperado.

O estudo mostra que as transações bancárias feitas por meio do mobile banking, que inclui celulares e tablets, praticamente dobraram no ano passado, com expansão de 96% em relação a 2015, totalizando 21,9 bilhões. Mas o mais importante: a movimentação financeira, que é a transação efetivamente concretizada, saltou de 0,5 milhão em 2015 para 1,2 bilhão em 2016. Com este desempenho, o canal superou o internet banking - que registrou 14,6 bilhões de transações, abaixo do contabilizado em 2015, 17,7 bilhões-, pela primeira vez, galgando a liderança entre as plataformas utilizadas pelos clientes para operações bancárias com ou sem movimentação financeira.

O mobile banking - e aqui é bom ressaltar que o dado da Febraban contabiliza as operações feitas diretamente dos aplicativos dos bancos - fechou o ano passado representando 34% do total das operações, um aumento de 14 pontos porcentuais em relação à pesquisa feita em 2015, seguido pelo internet banking (23%). Se levadas em conta somente as transações com movimentação financeira, o salto foi ainda maior, com o canal expandindo-se em 140%, passando de 500 milhões de transações, em 2015, para 1,2 bilhão no exercício passado. Nos últimos três anos, o volume quadruplicou.

"O canal digital é a escolha clara do correntista e não há canal digital sem investimento em hardware, software e telecom, o que nos deixa em evidência que os aportes para 2017 devem seguir a mesma linha e ficar em torno dos R$ 18,6 bilhões. É claro que pode ter um movimento para mais e para menos. Exemplificando: se uma instituição renovar seu data center, os aportes em hardware aparecem. Mas a grande maioria está apostando no software. E, claro, em Telecom, para garantir a disponibilidade", reforça Gustavo Fosse.

No ano passado, o setor bancário contabilizou 65 bilhões de transações, uma alta de 17% em relação a 2015, de 55,7 bilhões, e a segunda maior nos últimos seis anos, de acordo com dados da pesquisa Febraban. Juntos, os canais de internet e mobile, respondem por 57% do total de movimentações financeiras. Contribui ainda o crescimento das contas totalmente digitais, abertas por meio totalmente eletrônico, sem contato presencial entre clientes e instituições bancárias. Conforme a Febraban, o número chega a quase um milhão e a expectativa é de que as contas totalmente digitais somem 3,3 milhões até o final do ano – contas digitais são aquelas abertas por meio totalmente eletrônico, sem contato presencial entre clientes e instituições bancárias.

O uso da mobilidade e do Internet banking não implica no desgaste do ATM, que segue sendo o principal meio para sacar o dinheiro. Os ATMs mantiveram o desempenho de 2015 com o registro de 10 bilhões de transações financeiras. A crise econômica impactou mesmo o desempenho dos POS. Em função da queda do varejo em 2016, o número de transações com cartões de débito e crédito caiu e ficou em 6,6 bilhões. Em 2015, esse número ficou em 7,8 bilhões. "É uma posição que retrata o menor uso dos cartões de débito e crédito no comércio. Não um problema de tecnologia", completou Gustavo Fosse.

Realizada há 25 anos pela FEBRABAN, em 2017, a Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária foi desenvolvida em parceria com a Deloitte e contou com a participação de 17 bancos, que representam 91% dos ativos dessa indústria no País. O estudo foi feito com a aplicação de questionário online junto às instituições financeiras, entrevistas com especialistas, consolidação de dados públicos e também com pesquisas internacionais da Deloitte para ampliar e aprofundar a análise dos dados.

Para conferir a apresentação completa da pesquisa, clique aqui. O relatório completo será lançado por ocasião do Ciab FEBRABAN 2017, que acontecerá entre os dias 06 e 08 de junho, em São Paulo.


3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018 - Cobertura Especial Convergência Digital
Brasscom lança manifesto para construir um Brasil Digital e Conectado

Entidade quer a colaboração da sociedade e de entidades de TI ou não para entregar um documento aos presidenciáveis. "Tecnologia precisa ser prioridade nacional", diz o presidente-executivo da Brasscom, Sergio Paulo Gallindo.


Veja a cobertura da 3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018

Bitcoin deve ser declarado no IR, alerta tributarista

Segundo o Advogado, Carmine Gianfrancesco, do escritório Gianfrancesco & Mazzo Advogados - especializado em Direito Tributário Empresarial com prestação de serviços de contencioso tributário - a criptomoeda é um ativo aos olhos da Receita Federal.

CADE investiga se cartel de componentes de disco rígido agiu no Brasil

Cinco empresas e trinta e oito pessoas físicas teriam participado do conluio que, entre outras coisas, combinaram preços em respostas a pedidos de cotação de clientes.

Plantronics compra Polycom por R$ 6,5 bilhões

Aquisição terá consolidação de negócios no Brasil, em especial, na área de videconferência, uma vez que as duas companhias atuam no mercado nacional.

São Paulo sedia primeiro hub da IBM dedicado à blockchain na América Latina

Investimento na tecnologia, que deverá crescer 127% nos próximos três anos, é estimado em R$ 18 milhões até 2020. Unidade será ativada no 2º semestre.

TICs em Foco - TRANSFORMAÇÃO DIGITAL
Prever. Prevenir. Detectar e Responder

Essas são a exigência da remodelagem da gestão de riscos e da segurança organizacional nas corporações.



  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G