Convergência Digital - Home

No Brasil, 85% das empresas não utilizam outsourcing de data center

Convergência Digital
Por Fernanda Ângelo - 10/05/2017

O mercado de outsourcing de data center é um filão a ser explorado pelas empresas de serviços de TI, segundo aponta uma recente pesquisa da IDC, divulgada com exclusividade pela T-Systems, nesta quarta-feira, 10/05. O levantamento ouviu 200 grandes empresas no Brasil e aponta que 85% das organizações no Brasil ainda não terceirizam este tipo de serviço, que parece estar na mira da empresa alemã.

"Temos o desafio de chegar a esses 85% que ainda não usam cloud com soluções já existentes e novos produtos", afirma Guilherme Barreiro, líder de operações de infraestrutura de TI da T-Systems Brasil. De acordo com a IDC, 77% das empresas mantêm data center próprio, operado por pessoal próprio, enquanto outros 8% mantém data center próprio, mas terceirizam a sua operação.

"Temos aqui um grande espaço para difundir a nossa plataforma cloud. Contamos com know-how para entender as demandas do clientes e ajudá-los a migrar para o universo digital através da cloud", afirma Ideval Munhoz, presidente da T-Systems Brasil. "Os benefícios e a segurança oferecidos pela cloud são cada vez maiores. Ao mesmo tempo, os custos são muito mais vantajosos. Cloud é um caminho sem volta e há muita empresa que ainda não adotou esse modelo."

A pesquisa aponta também que 7% das empresas utilizam máquinas próprias em provedor externo, 4% delas possuem contratos com provedores externos na modalidade de cloud computing e 4% rodam aplicações em máquinas contratadas com provedor externo na modalidade hosting.Sobre demandas por outsourcing de data center, a computação em nuvem desponta entre as principais ofertas avaliadas pelas empresas para contratação ou amplicação de contratos atuais.

Quase metade das empresas (45%) consideram a adoção desse tipo de serviço. Colocation (37%), hosting de aplicação (36%), hosting de infraestrutura (36%) e full outsourcing (18%) aparecem na sequência. A segurança física e de dados é o aspecto que mais impulsiona a contratação de provedores externos de serviços de data center, sendo citado como tal por 25% das empresas ouvidas pela IDC. em segundo lugar aparece a possibilidade de redução de custos, tanto de investimentos, quanto operacionais.
 
Segurança

De olho nesse cenário, a T-Systems tem feito uma série de investidas. Entre elas está a criação do programa Zero Outage, criado para reduzir a praticamente zero a possibilidade de erros e de indisponibilidade de suas operações. Barreiro explica que, através do programa, a companhia assegura operações perfeitas aos clientes, garantindo que eles contem com a mesma qualidade em qualquer lugar do mundo. "Garantimos 99,99% de disponibilidade em nossas operações de TI", afirma.

Para garantir essa entrega, a T-Systems recrutou, treinou e certificou mais de 22 mil de seus colaboradores em todo o mundo no princípio Zero Outage. Barreiro explica que, a cada ano, cerca de 315 mil requisições de mudanças pedidas pelos clientes da T-Systems são analisadas sob o ponto de vista de possibilidades de erro. "Cada passo envolvido nestas mudanças é realizado sob um processo padronizado, capaz de excluir 280 riscos pré-especificados", revela. 

Além disso, os especialistas utilizam um tipo de simulador de voo, capaz de simular 500 manobras técnicas. Graças a estas medidas, a T-Systems conseguiu reduzir, desde o lançamento do programa, em 2015, o número de falhas sérias em 95%.

Estes resultados transformaram o Zero Outage em padrão de mercado. Em novembro de 2016, um grupo de grandes companhias de TI criou a Zero Outage Industry Standard Association, com o objetivo de utilizar o padrão para garantir a qualidade e a confiabilidade de suas estruturas de TI. Com isso, o grupo, formado inicialmente por Brocade, Cisco, Dell EMC, HDS, HPE, Juniper, NetApp, SAP, SUSE e T-Systems, pretende maximizar a disponibilidade e a satisfação dos clientes melhorando a estabilidade e a segurança destas estruturas pela definição de melhores práticas baseadas no framework Zero Outage.

A T-Systems ainda detalhou nesta quarta-feira seu serviço batizado de Cloudifier, criado para avaliar os ambientes legados de seus clientes e prepará-los para a migração para a nuvem em uma infraestrutura inteiramente personalizada. Por fim, a companhia apresentou o Magenta Security, serviço através do qual oferece aos clientes em nuvem um escudo digital contra ameaças vindas da internet.
 

Facebook Twitter Google+ LinkedIn Email Addthis


Bradesco, Dataprev e Equinix são destaque em datacenter no Brasil
Organizações foram as vitoriosas da edição 2017 do DCD Awards da América Latina. Conheça os destaques da região no segmento de datacenters.
3ª Semana da Inovação 2017
Investimentos mundiais em nuvens públicas vão chegar a US$ 266 bilhões em 2021

No Brasil, o mercado de computação cresce cerca de 50% e já representa R$ 2,25 bilhões.


Destaques
Destaques

Dataprev e Serpro vão prestar serviço pela nuvem pública

Objetivo é atender de forma unificada demandas distintas dos órgãos públicos. Empresas vão integrar orquestradores e planejam contratar serviços da Amazon, Google e Azure.

Mercado de computação em nuvem foi de R$ 2,25 bilhões no Brasil

Estudo da ABES mostra que o segmento registrou uma expansão de 47,4% em 2016, tendo como base os dois principais serviços - Software como Serviço (SaaS) e PaaS (plataforma como Serviço). O segmento de análise de dados faturou US$ 809 milhões



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Empresas de TI ou organizações dependentes dela?

Por Paulo de Godoy*

Considerada parte do ‘guarda-chuva’ da Inteligência Artificial, a Machine Learning vem crescendo e ganhando força à medida que o volume de dados explode.

Criando uma arquitetura analítica para o futuro

Por Stephen Rigo*

O custo de não ter a arquitetura analítica adequada é alto, já que esse fator pode gerar problemas de incompatibilidade, governança, segurança, falta de acordos de nível de serviço, escalabilidade e problemas de extensibilidade.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site