INTERNET

Substitutivo na CCJ estabelece ‘direito ao esquecimento’

Luís Osvaldo Grossmann ... 12/05/2017 ... Convergência Digital

Está na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara um projeto que estabelece a desindexação e também a remoção de conteúdo na internet com base no ‘direito ao esquecimento’, incluindo novos artigos ao Marco Civil (Lei 12.965/15). Trata-se de um substitutivo ao PL 1.331/15, que amplia a proposta incialmente aprovada pela Comissão de Ciência e Tecnologia. 

O relator na CCJ, Marcos Rogério (DEM-RO), justifica a proposta para “permitir que o cidadão interessado em remover o seu nome de resultados de busca na internet, seja em ferramentas específicas para esse fim, seja em portais de conteúdo, possa requerer em juízo tal remoção. Cabendo ao Judiciário avaliar se o pedido não interfere na atividade jornalística, não impede o acesso a informações de valor histórico ou interesse público, nem obstrui a divulgação de dados públicos”.

O relator aponta para aspectos subjetivos nesse julgamento e que “juízes e tribunais devem avaliar a necessidade de circulação das informações e imagens, tendo em conta as exigências coletivas em favor da transparência dos atos e fatos da história, da política, da economia ou da cultura, de maneira a viabilizar o controle desses dados pela cidadania. Em um processo judicial, deve-se avaliar se dados e fatos que se pretendem sejam esquecidos são necessários para atender ao interesse social relevante. Se a informação é de interesse público, não se deve aplicar o direito ao esquecimento”. 

Originalmente o texto apresentado pelo deputado Alexandre Baldy (PTN-GO) previa somente a exclusão de dados pessoas de determinados aplicativos ao fim da relação – ou seja, o direito de solicitar que os dados sejam apagados de uma rede social, por exemplo, no encerramento da conta ou em caso de morte. O texto que passou na CCT incluiu o prazo de sete dias para os dados serem excluídos. O projeto conforme o substitutivo a ser votado na CCJ está assim: 

O Congresso Nacional decreta:

Art. 1o Esta Lei altera a Lei no 12.965, de 23 de abril de 2014, (Marco Civil da Internet), dispondo sobre o armazenamento de dados de usuários na rede mundial de computadores.

Art. 2o O art. 7o da Lei n.o 12.965, de 23 de abril de 2014, passa a vigorar com a seguinte redação:

“Art.7o (...)

X – exclusão definitiva dos dados pessoais que tiver fornecido a determinada aplicação de internet, a seu requerimento, ou, em se tratando de morto ou de ausente, a requerimento do cônjuge, dos ascendentes ou dos descendentes, até o terceiro grau, ao término da relação entre as partes, ressalvadas as hipóteses de guarda obrigatória de registros previstas nesta Lei;

(...)

Parágrafo único. A solicitação de exclusão de que trata o inciso X:

I – poderá ser feita por meio eletrônico, acompanhada de cópia digitalizada da declaração judicial de ausência, no caso de ausente, ou da certidão de óbito, no caso de morto;

II – será executada pelo responsável pela aplicação da Internet em um prazo máximo de 7 (sete) dias, contados a partir da data de recebimento.(NR)”

Art. 3o A Lei n.o 12.965, de 23 de abril de 2014 passa a vigorar acrescida de um artigo com a seguinte redação:

Art. 8o-A O direito ao esquecimento é expressão da dignidade da pessoa humana, representando a garantia de desvinculação de seu nome, mediante desindexação, a informações veiculadas por aplicações de internet.

§ 1o Qualquer indivíduo pode requerer, perante o juiz, a remoção de materiais e informações associadas a seu nome pelos meios eletrônicos de comunicação e pelos operadores de motores de busca na internet.

§ 2o O direito ao esquecimento não se aplica a:

I - matérias jornalísticas;

II - informações de interesse público ou valor histórico; e

III - publicidade e disseminação de dados e informações públicas sobre políticas da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios. (NR)”


Com 100 Acórdãos, STJ começa a firmar jurisprudência sobre internet no Brasil

Levantamento reúne decisões que tratam de disputas sobre responsabilidade, remoção e indenização por conteúdos postados na rede. 

Começa processo de leilão para 186 endereços ‘.br’

Primeira lista inclui domínios como nao.com.br, chope.com.br e zico.com.br. Outros 500 endereços na internet brasileira estão na fila. Lance mínimo e de R$ 50. 

Tristeza triplica uso de apps e redes sociais

Pesquisa com 200 mil usuários de iPhones sugere que o tempo de uso ‘feliz’ do Facebook é de 22 minutos por dia, em média, enquanto ‘infeliz' chega a 59 minutos. No Netflix, proporção é de 39/81 minutos.

Proteste recorre sobre ‘zero rating’ e diz que Cade não ouviu CGI.br ou Senacon

Para entidade, órgão antitruste encerrou investigação baseado nas alegações da Anatel e do MCTIC, sem ouvir os outros fiscais do Marco Civil da Internet. 

Acesso à Internet está presente em 54% dos domicílios do Brasil

Desigualdade ainda é muito forte e classes C, D e E se ressentem do preço cobrado pelo serviço, revela estudo TIC Domicílios, divulgado pelo CGI.br.

Revista Abranet 21 . junho/agosto 2017
Veja a Revista Abranet nº 21 Convenção Abranet 2017 reuniu provedores de Internet na Bahia para debater não apenas o mercado, mas também a atual situação do Brasil.
Veja também: Oportunidades no Wi-Fi; A revolução do blockchain; WannaCry para a Internet e muito mais.
Clique aqui para ver outras edições

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet - Abranet

Empresas da Internet pedem mais segurança jurídica

“O Marco Civil da Internet trouxe base sólida para criar parâmetros para se ter lei mínima para a Internet seguir avançando, mas, infelizmente, vemos varias iniciativas tentando modifica-lo", afirmou o presidente da Abranet, Eduardo Parajo.

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet

  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G