INCLUSÃO DIGITAL

Satélite brasileiro já está em órbita e passa por testes

Convergência Digital* ... 16/05/2017 ... Convergência Digital

Começou no sábado, 13/05, a calibragem dos sistemas do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas para a verificação do funcionamento das funções do equipamento. Os procedimentos são feitos a partir da órbita geoestacionária, a 36 mil quilômetros de altitude em relação à superfície terrestre, na posição 75º oeste.

“Nessa fase, começam as verificações do funcionamento de todos os sistemas, medidas de carga útil e a constatação de que o satélite está totalmente apto para entrar em operação comercial. Estes testes vão durar cerca de 45 dias”, explica o gerente de Engenharia e Operações Satelitais da Telebras, Sebastião do Nascimento Neto.

Os dados emitidos e recebidos pelo SGDC passaram a ser acompanhados pelo Comando de Operações Aeroespaciais (Comae), em Brasília (DF), e pela Estação de Rádio da Marinha, no Rio de Janeiro (RJ), neste domingo (14). Essas duas unidades serão responsáveis por controlar o satélite após o processo de calibragem, previsto para se encerrar em meados de junho. Os testes são conduzidos pela Thales Alenia Space, empresa francesa construtora do equipamento.

“Brasília e Rio fazem parte do contexto da operação do satélite, recebem e emitem informações, mas os testes estão sendo conduzidos pela empresa que construiu o SGDC. Eles fazem toda essa checagem, e nós acompanhamos os dados por meio dos nossos gateways principais”, destaca Sebastião Neto.

Segundo o diretor Técnico-Operacional da Telebras, Jarbas Valente, até o momento, todas as manobras foram realizadas com sucesso. “Isso nos dá a garantia de que obtivemos êxito nesse projeto. O próximo passo é concluir a infraestrutura terrestre necessária à prestação do serviço com qualidade.”

O SGDC é um equipamento geoestacionário brasileiro de uso civil e militar. Fruto de uma parceria entre o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e o Ministério da Defesa, recebeu R$ 2,7 bilhões em investimentos. Foi adquirido pela Telebras e possui uma banda Ka, que será utilizada para comunicações estratégicas do governo e implementação do Plano Nacional de Banda Larga (PNBL) – especialmente em áreas remotas –, e uma banda X, que corresponde a 30% da capacidade do equipamento, de uso exclusivo das Forças Armadas.

Fonte: Assessoria do MCTI


TICs em Foco - TRANSFORMAÇÃO DIGITAL
Prever. Prevenir. Detectar e Responder

Essas são a exigência da remodelagem da gestão de riscos e da segurança organizacional nas corporações.

Em São Paulo, 95% dos domicílios já tem sinal digital

Dados são de pesquisa realizada pelo IBOPE na capital paulista e nos 38 municípios vizinhos. No total, a região conta com 7,2 milhões de domicílios. O índice mínimo para o desligamento era de 90%.

Anatel disponibiliza lista de municípios com backhaul

Ideia da agência reguladora é manter uma base de dados atualizadas dos provedores de acesso banda larga. Hoje, segundo os dados, 3225 municípios têm backhaul.

Queda de balão de projeto de banda larga Google assusta moradores no Piauí

Moradores relatam forte explosão na zona rural de São João da Serra, no norte do estado. Empresa, por sua vez, diz que não houve queda nem explosão, mas uma descida programada. Polícia da cidade, no entanto, diz que os moradores ficaram apavorados e tiveram a sensação de um 'avião caindo'.

Banda larga via satélite terá faixas exclusivas de espectro

Decisão da Anatel reserva de 18,1 a 18,6 GHz e 27,9 a 28,4 GHz para destinação apenas a serviços fixos por satélite. Mas o peso do Fistel, que chega a R$ 201 para cada antena receptora (Vsat) ainda é uma barreira a essa modalidade.

Telebras fará leilão da capacidade de banda larga via satélite

Dos 56 Gbps em banda Ka do satélite geoestacionário, a ser lançado em março, 45 Gbps serão vendidos à iniciativa privada para oferta de acesso a internet em áreas remotas. Estatal terá 11 Gbps para atender governo e pequenos provedores.

Amazônia Conectada busca R$ 70 milhões para seguir em frente em 2017

Boa parte dos recursos será usada na aquisição e implantação de fibra óptica para ampliar a infraestrutura, explica o subchefe do CITEX, do Exército, coronel Eduardo Wolski.



  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G