Home - Convergência Digital

Internet das Coisas: um mercado de R$ 10 bilhões em 2021

Convergência Digital - Carreira
Da redação - 17/05/2017

O mercado de Internet das Coisas deve alançar receitas de US$ 3,29 bilhões, ou R$ 10 bilhões, em 2021, segundo dados divulgados no estudo “O Mercado industrial brasileiro de Internet das Coisas, Cenário para 2021”, realizado pela Frost &Sullivan. No ano passado, no Brasil, o mercado de IoT no Brasil atingiu uma receita de US$ 1.346,2 milhões, ou R$ 4,3 milhões, sendo a indústria automotiva e as manufaturas verticais as mais relevantes.

“A indústria automobilística espera gastar mais em IoT nos próximos dois anos. A logística e o transporte no Brasil são principalmente baseadas em rodovias por causa da limitada rede ferroviária; roubos de veículos e cargas são a principal preocupação. Empresas de diversos segmentos esperam ter perspectivas melhores em 2017 e retomar suas iniciativas de investimento em tecnologia”, destaca o gerente do programa de mobilidade da Frost & Sullivan, Yeswant Abhimanyu. O especialista ressalta que há oportunidades significativas em mercados como Smart Cities, Utilities, Agricultura e Saúde.

O levantamento aponta que a indústria automobilística e de manufatura estarão maduras em 2021, e a expectativa é que a da Saúde tenha as mais altas taxas de crescimento anualcomposta (na sigla em inglês CAGRs), gerando uma trilha reversa em outros mercados, começando por negócios B2C, e então envolvendo empresas.

No Brasil, devido à grande regulamentação do mercado de Saúde no Brasil, com várias questões sobre a confidencialidade e segurança dos dados, a adoção pelas instituições de saúde será uma longa jornada. "Tecnologias voltadas aos pacientes são mais fáceis de serem adotadas, como serviços móveis, apps e dispositivos, que levarão o mercado de saúde B2C a atingir a soma de US$610 milhões em 2020”, completa a Gerente de Pesquisas em Saúde Transformacional da Frost & Sullivan, Rita Ragazzi. 

Segundo ainda a consultoria, o ecossistema de IoT no Brasil ainda é fragmentado. Há desafios para ampliar a capacidade de consultoria e a integração para que as empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação ofereçam soluções ponta-a-ponta em IoT. “Novos modelos de negócios evoluem rapidamente em diferentes mercados no Brasil tanto por meio de empresas estabelecidas, como por meio das startups, o que gera um cenário positivo para inovação e co-inovação de soluções para necessidades especificas do País”, completa o Diretor de Pesquisa e Consultoria em Transformação Digital da Frost & Sullivan para América Latina, Renato Pasquini.

A Frost & Sullivan define IoT como objetos de uso cotidiano — de veículos a equipamentos para cafeterias em hotéis — que são conectados à Internet e que podem estar conectados uns aos outros. A pesquisa exclui IoT e objetos que exigem interface humana. A estimativa de receita se refere a hardware (módulo de conectividade e outros componentes), software e serviços diretamente ligados a soluções IoT.                                         

 

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

21/11/2017
Uber faz acordo com Volvo para comprar 24 mil carros autônomos

20/10/2017
Operadoras vão à Fazenda e pedem tarifa zero de imposto para Internet das Coisas

04/10/2017
Plano Nacional de Internet das Coisas vai gerar R$ 135 bilhões ao Brasil

04/10/2017
Grupo Algar: mercado de Internet das Coisas vai se autorregulamentar

04/10/2017
Viabilizar negócios em Internet das Coisas é o desafio de agora

03/10/2017
Mercado pede ‘carência regulatória’ para Internet das Coisas

03/10/2017
Plano prevê até 10 ‘unicórnios’ brasileiros para Internet das Coisas

22/09/2017
Governo: Internet das Coisas não acontecerá sem Telecomunicações no Brasil

22/09/2017
Teles Tradicionais X Especializadas: o dilema para a IoT

20/09/2017
BNDES diz que, 'por enquanto', ainda tem dinheiro para internet das coisas

Destaques
Destaques

Melhores 4G do mundo se estabilizam em 45 Mbps

Com média de 20 Mbps, o Brasil não faz feio entre 77 países analisados nesse quesito. Mas a disponibilidade ainda está abaixo de 60% do tempo, de acordo com relatório do 3º trimestre divulgado pela Opensignal.

Smartphones responderam por 59% dos acessos à Internet na América Latina

Estudo da GSMA aponta que as operadoras vão investir US$ 70 bilhões para aumentar a cobertura 4G na região. Levantamento também mostra que há 300 milhões de pessoas digitalmente excluídas.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Teles Tradicionais X Especializadas: o dilema para a IoT

Por Fábio Trindade

M2M e a Internet das Coisas são elementos centrais no debate das novas tecnologias que formarão o futuro em torno da 5G e continuarão em crescimento vertiginoso.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site