GESTÃO

Governo reafirma uso da TI com o foco voltado ao cidadão brasileiro

Luiz Queiroz* ... 17/05/2017 ... Convergência Digital

Pensar a tecnologia e a inovação com foco na prestação de serviços públicos de qualidade. Esse foi o tema da "Expo TIC Brasília", que aconteceu nesta terça-feira (16) em Brasília, promovido pela Network Eventos, em parceria com a Associação Brasileira de Software (ABES). O encontro serviu para os principais atores da TI federal ressaltarem um discurso que vem sendo unificado nos últimos meses, que já se tornou um compromisso: a TI só se justifica, quando seu foco for dotar o cidadão com serviços de qualidade e acesso à informação.

O evento reuniu toda a nata da Tecnologia da Informação e Comunicações do Governo Temer. Estiveram presentes a Secretaria de Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPDG), a Secretaria de Política de Informática do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), a Vice-Presidência de Tecnologia da Caixa, a presidência da Dataprev, a Diretoria de Operações do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), a Vice-Presidência Corporativa dos Correios e a Associação Brasileira das Empresas de Software (ABES).

Qualidade de vida

Para o presidente da Dataprev, André Leandro Magalhães, as soluções tecnológicas só atingem seu objetivo no governo se garantirem qualidade de vida à sociedade. O presidente apresentou a Dataprev no evento e convidou os presentes a conhecerem os data centers da empresa.

"A Dataprev tem o aprimoramento das políticas sociais como missão. Investir para facilitar o dia a dia do cidadão brasileiro, que exige cada vez mais tempestividade e qualidade dos serviços que acessa, faz parte da governança da empresa”, afirmou André Leandro. O presidente falou ainda do esforço da empresa para ofertar serviços aderentes ao mercado. "A Dataprev se atualiza constantemente para disponibilizar serviços de tecnologia de ponta. Temos atualmente analytics e nuvem; e a estruturação de uma plataforma blockchain para o sistema da Previdência e a implantação e comercialização de atendimento cognitivo estão entre os desafios da empresa", explicou.

Infraestrutura ainda é o nó

Vivalde Cunha, superintendente executivo da Vice-Presidência Corporativa dos Correios, lembrou que em tempos de digitalização, além de soluções, é preciso pensar nas contingências. “É fácil falar de serviços digitais nos grandes centros. Mas quando olhamos a dimensão desse país, temos ainda uma tarefa muito grande a cumprir, pois 1,5% da população não tem sequer energia elétrica.”

José Antonio Eirado Neto, vice-presidente de Tecnologia da Caixa, foi no mesmo sentido. "A Caixa ou qualquer outra empresa pública tem sucesso quando a população usa seu produto. Conseguir isso é realizar a nossa função social", defendeu o vice-presidente.

Internet das Coisas

Para o Governo Federal atender seu objetivo de prestar serviços de qualidade, a Secretaria de Política de Informática do MCTIC tem atuado por meio do Plano Nacional de Internet das Coisas, em parcerias com diversos países e blocos do mundo, além de estar estruturando a Estratégia Digital Brasileira (EDB), que envolve oito ministérios incluindo o MCTIC, e a Dataprev.

Maximiliano Martinhão, secretário da pasta, apontou os principais focos da atuação nesse sentido. “Estamos pensando em estrutura, propondo atuação digital no governo, atuando na segurança e na confiança do uso dos TICs, trabalhando pesquisa, desenvolvimento e inovação e incentivando a adoção da economia digital.”

No evento, Maximiliano Martinhão lembrou recente visita feita ao Data Center da Dataprev, em Brasília, na qual destacou a atuação da empresa no desenvolvimento de aplicações voltados para a melhoria da qualidade do atendimento governamental ao cidadão. “São as TICs que permitirão ao Brasil superar muitos dos seus desafios e aumentar a competitividade”, concluiu.

Cidadania Digital

“Governo Digital é o uso da tecnologia para fornecer serviços públicos de uma forma mais inteligente. O jovem brasileiro quando for consumir um serviço ofertado pelo governo não vai mais querer ir uma agência para ser atendido, não vai mais querer levar documentos em protocolos, ele vai querer resolver tudo a partir de seu celular pelo meio digital”, afirmou Pagotti, secretário de Tecnologia da Informação E Comunicação do ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão.

Segundo o secretário, os projetos da SETIC estão focados na desburocratização dos serviços para o cidadão brasileiro. Instituída pelo Decreto nº 8.936, de dezembro de 2016, a Plataforma de Cidadania Digital tem a finalidade de ampliar e simplificar o acesso dos cidadãos brasileiros aos serviços públicos digitais, inclusive por meio de dispositivos móveis. O Portal de Serviços do Governo federal (servicos.gov.br) se tornará o canal único e integrado para a disponibilização de informações, solicitação eletrônica e acompanhamento de serviços públicos. Atualmente, o site já conta com diversas informações sobre como o cidadão pode ser atendido pelo órgãos federais.

Outra ação para transformar digitalmente o governo federal é a Plataforma de Análise de Dados do Governo Federal (GovData). A utilização desta solução vai permitir aos gestores públicos, por exemplo, descobrir rapidamente se uma pessoa que já faleceu continua recebendo um benefício social ou fazer o cruzamento de dados de programas sociais com renda de cidadãos. “A GovData vai simplificar o trabalho do gestor público no refinamento das políticas públicas, impactando diretamente nos cidadãos”, disse Pagotti.

Estão disponíveis na GovData as 20 bases de dados mais acessadas pelos servidores públicos do governo federal. Entre elas o Cadastro de Pessoas Físicas (CPF), Sistema Integrado de Administração de Recursos Humanos (Siape), Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal (Siafi) e o Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam). Até agosto deste ano, estarão disponíveis mais dez bases para os usuários da solução.

Pagotti também voltou a informar que em breve, a SETIC lançará plataformas para a autenticação e reconhecimento digital do cidadão brasileiro. O uso da Biometria será a plataforma que facilitará ao governo manter atualizada e de forma centralizada as informações do cidadão.

Novos projetos

A Dataprev, representada por Helton Moreira, superintendente de Operações (SUOP), participou como moderadora do painel "O caminho do governo na nuvem", que contou com Alexandre Conceição, gerente geral de TI da DITEC do Banco do Brasil; Iran Martins Porto, diretor de Operações do Serpro; e Rafael Novo, consultor para Aplicações e Computação em Nuvem, da Dell EMC.

Na oportunidade, o Serpro apresentou seu projeto de estaleiro, que elimina a segmentação física de ambientes de desenvolvimento, homologação e produção; o Banco do Brasil falou dos casos em que deve-se optar por nuvem pública (sistemas periféricos), híbrida (sistemas complementares) ou privada (sistemas essenciais); e a Dell EMC apresentou dado do Gartner que aponta que 90% das empresas têm optado por manter aplicações tradicionais em nuvem privada e inovação em nuvem pública.

Fonte: STI e Dataprev.


Carreira
Eduardo Ricotta assume comando da Ericsson Brasil

Executivo, que substitui Sérgio Quiroga, prioriza a oferta para serviços digitais, como virtualização e cloud computing. Fabricante também quer ser mais atuante no 4G e em Internet das Coisas.

Governo fixa quadro da Telebras em 490 empregados, mas prevê cortar 60

Postos relativos aos funcionários cedidos, a maioria para a Anatel, serão extintos. Atualmente estatal conta com 392 empregados.

Receita libera manual para desenvolvedores testarem ambiente do eSocial

Até o dia 31 de julho, somente as empresas de TI terão acesso no ambiente de produção restrita. A partir de 1º de agosto, todas as demais empresas poderão acessar também. O portal Convergência Digital disponibiliza o manual dos desenvolvedores.

Internet das Coisas: empresas driblam entraves e 'donos dos projetos'

Mais do que investir em IoT como uma 'onda', as companhias precisam definir o que querem dos objestos conectados e dos dados coletados.

Para Claro, 700 MHz impulsionará adoção de IoT

Em entrevista à CDTV, Eduardo Polidoro, diretor de IoT na Claro Brasil, explicou que a telco está focando nos segmentos de carro conectado, cidades inteligentes e utilities para desenvolver soluções fim a fim 

Projetos vencedores de IoT envolvem TI e negócios

“Os projetos de internet das coisas que vão para frente são aqueles onde há colaboração entre as áreas”, diz Lucas Pinz, da Logicalis,



  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G