TELECOM

Nextel Brasil: Controladora faz duras críticas à gestão no país

Da redação ... 18/05/2017 ... Convergência Digital

O conselho de diretores da Nii Holdings, companhia que controla a Nextel Brasil (que é seu único ativo atualmente), emitiu um forte comunicado ao mercado no qual critica o ambiente de controle e monitoramento de atividades da operadora no País entre os anos de 2014 e 2016, que teve à frente Gokul Hemmady (até 2015) e Francisco Valim, que esteve no comando da tele de agosto de 2015 até abril deste ano.

"Especificamente, a Nextel Brasil não estabeleceu um ambiente de controle e de monitoramento de atividades, incluindo uma estrutura organizacional com recursos suficientemente treinados onde cargos de supervisão, responsabilidades e atividades de monitoramento estavam alinhados com objetivos de reportes financeiros", declara a empresa.

No começo do mês a empresa substituiu Valim por Roberto Rittes como CEO da empresa. "Espera-se que Rittes entregue um comprometimento ainda maior para estabelecer um tom apropriado no topo (da cadeia de comando) no Brasil ao reforçar a conformidade com o código de conduta da companhia e outras políticas corporativas."

A Nii informou ainda que Ricardo Knoepfelmacher, Ricardo K., que esteve à frente da Brasil Telecom e estaria à frente do fundo interessado em comprar a Oi, renunciou ao Comitê de Nomeação de Governança Corporativa do conselho. Em seu lugar entrará Robert Schriesheim como membro independente da mesa.


Oi assume negociação para participação acionária da China Telecom

Revelação acontece logo depois de o ministro Gilberto Kassab afirmar que a operadora precisa de dinheiro novo para evitar a intervenção ou a caducidade das concessões.

Telecom sofre forte queda, mas ainda lidera receita do setor de serviços

Pesquisa Anual dos Serviços do IBGE, referente a 2015, mostra que Telecomunicações gerou uma receita de R$ 162 bilhões, mas caiu de 18,9% no ranking para 11,3%. Tecnologia da Informação também perdeu posição para outros segmentos.

Claro Brasil: Modelo é o culpado pelo fracasso da interiorização da banda larga

Presidente da Claro Brasil, José Félix, sustentou que do jeito que está o modelo de telecom não tem mais jeito.

OTTs exigem mudanças, mas TV paga precisa entregar o que o consumidor quer

A verticalização do setor - onde atores estão distribuindo, programando e produzindo conteúdo - é um enorme desafio para os reguladores, diz o diretor da AT&T/DirectTV, Michael Hartmann.

Anatel vai à assembleia da Oi para votar contra plano de recuperação

Orientação é da Advocacia Geral da União. “Do jeito que está, vamos à assembleia para dizer não”, disse o presidente da agência Juarez Quadros. 

Presidente de Claro Brasil diz que pagar por TV aberta é insustentável

Para José Félix, acerto com a Simba, que reúne Record, SBT e RedeTV!, tem futuro limitado. “Não sei quanto tempo esse acordo vai durar. Um sinal que está no ar não tem que ser pago.”


Veja a revista do 60º Painel Telebrasil 2016
Revista do 60º Painel Telebrasil 2016
O Brasil enfrenta uma de suas mais graves crises, e as telecomunicações em banda larga são essenciais para a retomada do desenvolvimento sustentável, com inclusão social, na moderna sociedade da informação e do conhecimento. Este foi o mote dos debates durante o 60º Painel Telebrasil, realizado nos dias 22 e 23 de novembro, em Brasília.

  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G