SEGURANÇA

Corporações cortam orçamento de TI e pagam o preço do WannaCry

Ana Paula Lobo* ... 25/05/2017 ... Convergência Digital

O ransomware WannaCry expôs a fragilidade dos orçamentos de TI nas grandes corporações no mundo. O malware, que infectou mais de 300 mil computadores no mundo desde o dia 12 de maio, usa a vulnerabilidade de sistemas operacionais Windows já descontinuados pela Microsoft. "Em grandes companhias atualizações são difíceis de executar e evitadas por causa do orçamento e escala", revela Nikolay Grebennikov, o vice-presidente de pesquisas e desenvolvimento na Acronis.

A Rússia foi o país mais afetado pelo WannaCry - cerca de 20% dos computadores infectados estão no país. "Muitas companhias na Rússia usam sistemas desatualizados e antivírus antigos", critica o especialista. Uma das empresas foi o serviço de correio da Rússia, que ainda sofre o impacto do ransomware, com alguns de seus computadores continuam bloqueados, disseram três funcionários em Moscou à agência Reuters.

O vírus comprometeu o sistema automatizado de gerenciamento de filas e infectou terminais que funcionavam com o antigo Windows XP, disse um dos trabalhadores. Em algumas partes da capital russa terminais ainda estavam inoperantes , mas não se sabe exatamente quantas agências foram afetadas. Um porta-voz do correio russo, disse que nenhum computador foi infectado, mas alguns terminais estão temporariamente desligados como precaução. "O ataque não afetou o correio russo, todos os sistemas estão funcionando e estão estáveis", disse.

Outras instituições no país disseram que foram infectadas pelo vírus, ressaltando a rapidez de Moscou em mostrar que também é uma vítima frequente de crimes digitais e contrariando alegações dos Estados Unidos e da Europa sobre hackers patrocinados pela Rússia. E ainda há  milhares de computadores e empresas desprotegidas. De acordo com a Avast, cerca de 15% dos mais de 400 milhões de usuários do antívirus da empresa não corrigiram a falha do Windows (MS17-010). Os 10 países mais atingidos, de acordo com a companhia são (pela ordem): Rússia, Ucrânia, Taiwan, Índia, Brasil, Tailândia, Romênia, Filipinas, Armênia e Paquistão.

Segundo ainda a Avast, remover o WannaCry de um computador não é difícil. Os antivírus devem ser capazes de remover o ransomware e enviar os arquivos maliciosos para quarentena, mas isso não resolve todo o problema: os arquivos do usuário permanecem criptografados. No momento, não existe uma ferramenta de descriptografia disponível e, com base na nossa análise, a criptografia utilizada parece muito forte (AES-128 combinada com RSA-2048). A melhor solução para um computador infectado é recuperar os arquivos de um backup, se estiver disponível.

*Com dados da Agência Reuters e da Avast


NEC - Conteúdo Patrocinado - Convergência Digital
Multibiometria: saiba como ela pode cuidar da sua segurança digital

Plataforma Super Resolution, que integra espaços físicos e digitais, será apresentada pela primeira vez no Brasil no Futurecom 2018. Um dos usuários da solução é o OCBC Bank, de Cingapura. A plataforma permite o reconhecimento instantâneo das pessoas à medida que se aproximem da agência.

Clonagem do WhatsApp já atingiu 8,5 milhões de brasileiros

Segundo pesquisa realizada pela PSafe, essa modalidade de golpe faz 23 novas vítimas todos os dias no Brasil. Quase 30% dos entrevistados colocaram o vazamento das conversas como o principal prejuízo da clonagem.

Custo médio de uma violação de dados é de R$ 5,4 milhões no Brasil

Empresas brasileiras levam em, média, 250 dias para identificar a violação dos dados. De acordo com o diretor de Cibersecurity da IBM, João Rocha, as organizações enfrentaram a perda ou o roubo de mais de 11,7 bilhões de registros nos últimos três anos. Ataques maliciosos custam mais do que as violações por falhas humanas.

Em maio, Brasil teve mais de 140 milhões de ameaças disseminadas por e-mail

País fica no top 3 do ranking mundial, perdendo apenas para os Estados Unidos e a China, revela estudo feito pela Trend Micro.

Duas em cada três empresas querem Inteligência Artificial para evitar ataques hackers

Quase 70% das corporações admitem que não serão capazes de responder aos ataques cibernéticos sem o uso da IA. O levantamento global da Capgemini revela ainda que uma em cada cinco empresas admitem o impacto dos hackers e um prejuízo significativo nos negócios.



  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G