INCLUSÃO DIGITAL

Telebras programa para julho testes de capacidade no satélite brasileiro

Convergência Digital* ... 14/06/2017 ... Convergência Digital

Começa nesta quinta-feira, 15/06, o processo de transferência do comando de operação do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC) para a Telebras. Chamado handover, o procedimento se estenderá até 30 de junho, quando a empresa assumirá as funções do equipamento. Atualmente, os testes de verificação do SGDC são feitos pela Thales Alenia Space, que construiu o satélite, a partir do seu centro de controle em Cannes, na França. Os testes são acompanhados pelos Centros de Operações Espaciais da Telebras instalados em Brasília e no Rio de Janeiro.

Após 38 dias do lançamento ao espaço, o SGDC chegou à sua posição final na manhã do dia 11/06. Alocado na posição 75° oeste, o equipamento passará pelos últimos procedimentos antes de entrar em operação definitiva. Até o momento, os resultados são satisfatórios. "Todas as semanas temos o que comemorar quanto aos testes do SGDC. Até agora, todos os testes que envolvem a verificação da cobertura do satélite, do comportamento do sistema de radiação das antenas e dos transmissores do SGDC estão indicando respostas conforme o esperado", disse o diretor Técnico-Operacional da Telebras, Jarbas Valente.

Em julho, serão feitos os testes fim-a-fim, que vão avaliar a real capacidade e as condições de cobertura requeridas pelo SGDC, para que a Telebras possa ativar clientes na rede do satélite. Convênios firmados entre a empresa pública e os ministérios da Educação e da Saúde vão permitir que pelo menos 7 mil equipamentos públicos municipais, estaduais e federais se conectem à rede mundial de computadores. Além disso, vai possibilitar a ampliação do Plano Nacional de Banda Larga (PNBL).

"Vivemos a era da conectividade, e o satélite vai permitir acesso à banda larga em todas as regiões do país, incluindo as mais distantes e remotas, levando educação, pesquisa, integração, prestação de serviços, como internet para escolas rurais e postos de saúde. O SGDC vai trazer inclusão e cidadania, aumentando a competitividade nas empresas e cumprindo com a missão social e digital de conectar e integrar todos os lugares desse imenso país", ressaltou o presidente da Telebras, Antonio Loss.

O satélite

O SGDC é o primeiro equipamento geoestacionário brasileiro de uso civil e militar. Fruto de uma parceria entre o MCTIC e o Ministério da Defesa, recebeu R$ 2,7 bilhões em investimentos. Adquirido pela Telebras, tem uma banda Ka, que será utilizada para comunicações estratégicas do governo e implementação do Plano Nacional de Banda Larga (PNBL) – especialmente em áreas remotas –, e uma banda X, que corresponde a 30% da capacidade do equipamento, de uso exclusivo das Forças Armadas.

A aquisição do satélite da Thales Alenia Space foi feita por meio de competição internacional, via contrato com a Visiona, uma joint venture entre a Telebras e a Embraer. A criação da Visiona, em 2012, corresponde a uma das ações selecionadas como prioritárias no Programa Nacional de Atividades Espaciais (PNAE) para atender aos objetivos e às diretrizes da Política Nacional de Desenvolvimento das Atividades Espaciais (PNDAE) e da Estratégia Nacional de Defesa (END).


TICs em Foco - TRANSFORMAÇÃO DIGITAL
Prever. Prevenir. Detectar e Responder

Essas são a exigência da remodelagem da gestão de riscos e da segurança organizacional nas corporações.

Palotina, no PR, investe em TIC para se transformar em cidade inteligente

Com pouco mais de 35 mil habitantes, a localidade está em processo de informatização da gestão pública e busca alternativa de investimentos para expandir a oferta de banda larga.

Telebras promete banda larga 10 vezes mais barata com novo satélite

Depois de roadshowm em São Paulo, estatal fará apresentações em Londres e Nova York para atrair competidores ao leilão da banda Ka que pretende realizar em 28 de agosto. 

Falta disposição política para criar cidades inteligentes no Brasil

Muitas prefeituras estão comprando tecnologia e criando uma 'torre de babel' dos seus sistemas, adverte José Marinho, diretor da Rede Cidade Digital. "Esses dados não vão gerar informações, não vão melhorar a gestão pública. Eles são um gasto", acrescenta.

Oi: Quase 60% dos domicílios da nossa região não têm banda larga

Ao falar sobre a nova lei geral de Telecom e bens reversíveis, o presidente da Oi, Marco Schroeder, diz que se 'os bens reversíveis valem R$ 100 bi, e não valem, eu vou vender a minha parte".

450MHz: Relator propõe dois anos para que teles troquem satélite por rede na área rural

Conselheiro da Anatel, Otávio Rodrigues, entende que as dificuldades não impediam o uso da faixa de 450 MHz e que o uso de soluções por satélite constituem descumprimento ao edital do primeiro leilão 4G, de 2012.

Em São Paulo, 99,6% dos domicílios já assistem TV Digital

Para quem coordena a transição digital, números são evidência de que os brasileiros rapidamente se adaptam ao fim das transmissões analógicas. 



  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G