GOVERNO » Legislação

Governo veta parcelamento de P&D na Zona Franca de Manaus

Luís Osvaldo Grossmann ... 19/06/2017 ... Convergência Digital

Virou a Lei 13.451/17 o que era a Medida Provisória (757/16) que criou novas taxas para a Suframa, a fim de tapar o buraco deixado pela cobrança anterior, considerada ilegal pelo STF no ano passado. Mas não passou pelo crivo da área econômica a criação de um parcelamento de dívidas com pesquisa e desenvolvimento. 

O cerne dessa nova lei é a criação de duas taxas – Taxa de Controle Administrativo de Incentivos Fiscais (TCIF) e Taxa de Serviços (TS) – para substituir o que antes a Suframa cobrava em uma única Taxa de Serviços Administrativos criada em 2000 e que até então incidia sobre a burocracia do Polo Industrial de Manaus como o cadastro de empresas e a importação de insumos.

A tabela com os novos valores sancionada e publicada nesta segunda, 19/6, no Diário Oficial da União, é a mesma apresentada pelo governo quando publicou a MP 757 em dezembro do ano passado. Junto com ela, a exposição de motivos previa arrecadação anual “da ordem de R$ 475 milhões, já compreendidas as hipóteses de isenções e reduções”. 

Houve dois vetos, ambos sobre mudanças feitas pelo Congresso Nacional. O primeiro limou o artigo 15, que proibia o contingenciamento dos valores arrecadados com as novas taxas ao exigir sua aplicação total na estatal. Acontece que a projeção do governo é mais que o triplo do custo anual da superintendência da zona franca de Manaus, da ordem de R$ 150 milhões. 

O segundo veto derrubou outra emenda parlamentar, que permitia o parcelamento em 48 meses dos valores não investidos em pesquisa e desenvolvimento (3% a 4% da receita anual), contrapartida aos incentivos fiscais da Lei de Informática (redução de IPI). 

Segundo a mensagem de veto, o que seria o artigo 16 da nova legislação viola a Lei de Responsabilidade Fiscal (LC 101/00) pois “a renúncia de receita, ainda que não tributária, deve ser acompanhada de estimativa do impacto orçamentário-financeiro e da respectiva medida de compensação."


CDES quer prioridade para proteção de dados e transformação digital

O Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES) recomendou ao governo que garanta dotação orçamentária adequada e mecanismos de acompanhamento da digitalização do setor público.

Serpro estuda redução de jornada para cobrir eventual reoneração da folha

Informação veio através de comunicado da diretoria da empresa no Rio de Janeiro, que alega que a folha de pagamentos já alcança 70% da receita líquida e não teria como voltar a assumir um aumento de 20% na tributação pela folha.

Big data no Governo Federal levou ao corte de 5 milhões do Bolsa Família

Cruzamento de informações entre diferentes bases de dados pelo Ministério do Desenvolvimento Social é ‘garoto propaganda’ do Govdata, o Big Data do governo federal.

Serpro economiza mais de R$ 300 milhões com isenção de ICMS

Supremo Tribunal Federal dá ganho de causa para a empresa estatal, que vinha sendo cobrada pelo não recolhimento de ICMS pela Secretaria da Fazenda do Distrito Federal. Justiça entendeu que o Serpro presta um serviço público ao fornecer SCM pela Infovia Brasília.

Diretor da Dataprev que propôs demitir mil funcionários pede exoneração

Desafeto político do presidente da estatal, Leandro Magalhães, Júlio César de Araújo Nogueira foi imposto para a diretoria da empresa pelo ex-ministro do Planejamento, Dyogo Henrique de Oliveira, que, agora, segue para a presidência do BNDES.



  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G